Praticamente todos os negócios exigem investimento para financiar operações, crescer ou se fortalecer. Com isso, é possível encontrar muitos empreendedores buscando apoio externo. Mas, e se dissermos que a solução pode estar dentro da sua organização? Isso é possível ao transformar seus funcionários em investidores.

Com essa mudança, há uma transição dos papéis. Eles deixam de ser apenas empregados designados para uma função e se tornam, de certa maneira, donos do empreendimento. Isso traz um grande senso de responsabilidade e grandes efeitos para o estabelecimento.

Para entender mais sobre o tema, continue lendo, veja o que temos para lhe mostrar e saiba como promover essa mudança!

Por que essa transformação é tão positiva?

Até então, os funcionários sempre foram vistos como integrantes do capital humano da empresa. Porém, a possibilidade de que eles fizessem parte do negócio ainda não havia sido considerada.

Tudo começou a mudar quando algumas organizações fizeram uma mudança simples: passaram a oferecer participação no empreendimento em vez de salários, que nem sempre podiam ser pagos.

Com isso, os colaboradores começaram a receber os salários, parcialmente, em forma de ações, gerando um melhor fluxo de caixa para a empresa.

Entre os benefícios de transformar seus funcionários em investidores, é importante destacar que um dos principais é a escalabilidade de atuação. Graças à ação, é possível contratar mais gente sem, necessariamente, ter o dinheiro disponível.

Eventualmente, isso contribui para o crescimento e desenvolvimento do negócio. Caso isso aconteça, todos saem ganhando, já que os colaboradores — agora, investidores — ganham com o lucro.

Porém, outro benefício oculto que é importante não deixar de citar é o ligado ao alinhamento. Se os funcionários também são acionistas, o sucesso do empreendimento é de seu máximo interesse. Com isso, há um aumento de motivação, engajamento e competitividade.

Para completar, há uma grande redução na taxa de rotatividade, o que melhora a produtividade e diminui os custos com contratações e demissões.

Quais empresas já foram bem-sucedidas nesta tarefa?

Apesar de ser uma mudança de paradigma muito grande, transformar seus funcionários em investidores do seu empreendimento é algo que já funcionou antes com outras empresas.

A Healfies é um exemplo. Sendo uma startup, seus fundadores tinham uma ideia inovadora, mas não tinham todos os recursos necessários, especialmente os exigidos para crescer rapidamente.

Em vez de buscar apenas investimentos externos, abreviaram o trajeto e foram atrás da participação direta dos colaboradores. Assim, parte dos salários não é recebida diretamente, mas, sim em capital investido no empreendimento.

A ação deu tão certo que o número de funcionários quintuplicou em apenas dois meses e sem que houvesse qualquer prejuízo ao estabelecimento de um contrato de trabalho “tradicional”.

Dessa forma, é possível afirmar que a empresa consegue sair à frente dos concorrentes que precisam lidar com a remuneração dos investidores e dos funcionários, em vez de tratar de uma só questão, diretamente.

Quais são os passos para transformar funcionários em investidores?

Já mostramos até aqui que essa mudança é positiva e que ela já deu certo em outras empresas. Agora, só falta mostrar como fazer, certo? Assim, o seu empreendimento poderá executar o processo com tranquilidade.

Pensando nisso, separei quais são os quatro passos que julgo fundamental para que essa mudança se concretize de uma forma benéfica para todos. Veja a seguir:

1. Contrate as pessoas certas

Você pode seguir essas indicações a seguir, mas se o seu funcionário não tiver um perfil de investidor, é importante que você saiba que isso pode não funcionar. Por isso, é indispensável contratar gente adequada para essa transformação.

Busque, por exemplo, quem tem interesse em investir em um empreendimento e que entende a importância de diversificar a renda. Essa é uma forma de demonstrar valor na sua proposta e de garantir o máximo de retenção.

Além de tudo, é indispensável que as pessoas tenham afinidade com o seu segmento. Elas precisam se envolver e acreditar no seu negócio — e que também será delas, ainda que apenas uma pequena parte. Considere tudo isso e contrate quem, de fato, se encaixar no perfil.

2. Tenha um bom plano de ação

Tendo as pessoas certas, é importante que seu próximo passo seja elaborar um plano de ação. Determine, por exemplo, qual será a participação total dos funcionários, de modo a não comprometer a sua atuação majoritária.

Também é fundamental pensar em como essa mudança será proposta, qual será a apresentação da empresa feita aos colaboradores e como o investimento ficará definido.

Dessa maneira, evitam-se surpresas e erros no futuro, além de aumentar a satisfação de todos os envolvidos no processo.

3. Garanta que tudo aconteça dentro da lei

Essa modalidade de atuação ainda é relativamente recente. As novas formas de trabalho e de colaboração surgem continuamente e essa é apenas mais uma das mudanças de paradigma.

Porém, isso não significa que tudo possa ser executado sem a devida atenção à lei. Ao simplesmente incluir os funcionários no contrato social, pode se configurar uma falsa sociedade empresarial. Daí, é um pulo para o seu empreendimento sofrer processos trabalhistas — e, definitivamente, não queremos isso, certo?

Por isso, não deixe de procurar dispositivos legais para o processo. É possível, por exemplo, usar as notas conversíveis ou o mútuo conversível em ações. Especificamente, é possível empregar as prestações de serviços conversíveis em ações.

Desse jeito, as adequadas relações trabalhistas são mantidas, ao mesmo tempo em que os colaboradores passam a ser investidores.

4. Divulgue as informações do jeito certo

Depois de transformar seus funcionários em investidores, o trabalho continua. É importante, por exemplo, divulgar os dados de um jeito claro e preciso. Afinal, agora há mais acionistas e eles precisam saber como anda a saúde do empreendimento.

Ainda que os colaboradores não tenham poder de voto, eles podem opinar sobre quais caminhos seguir, por exemplo. A divulgação de informações é parte crucial para manter o relacionamento de confiança, garantindo que todo o processo aconteça de maneira a propiciar o desenvolvimento do negócio.

Após executar esses passos, existe uma grande chance de sucesso em transformar funcionários em investidores. Em seguida, basta aproveitar todas as vantagens dessa opção, inclusive em relação ao crescimento!

Ficou com alguma dúvida sobre esse assunto? Comente aqui no post e não deixe de nos acompanhar nas redes sociais!

Autor

Equipe André Bona

O Portal André Bona é um site de educação financeira independente, que tem como missão auxiliar pessoas e famílias a melhor compreender o mercado financeiro e seus produtos. Assine nossa newsletter!

Posts relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *