*Este artigo foi produzido pela Juridoc com exclusividade para o Blog de Valor.

 

Se você tem vontade de empreender e ter o próprio negócio, é possível que já tenha tido uma grande ideia para uma nova empresa ou startup. Mas, depois desta grande ideia, o que fazer para tirá-la do papel?

Você provavelmente precisará de um site, de uma equipe de tecnologia, algum espaço de escritório, etc. Ou seja, precisará de dinheiro – como a maioria das empresas e empreendedores para financiar uma startup e fazer o seu negócio decolar. Afinal, nem sempre quem tem a ideia ou um projeto para ser colocado em prática tem recursos financeiros para empreender ou gerir essa ideia em longo prazo.

A falta de capital inicial, no entanto, não precisa ser o maior obstáculo que vai impedi-lo de realizar o seu sonho.  Se você quer começar seu próprio negócio, mas não tem recursos próprios, ainda é possível tirá-lo do papel de várias maneiras.

A boa notícia é que existem muitas formas diferentes de obter financiamento para abrir a sua empresa. E é exatamente isso que vamos abordar neste artigo. Confira!

5 alternativas para financiar uma startup

Então, o que você faz quando tem uma ótima ideia de negócio, mas não tem dinheiro para financiar? Enquanto alguns empreendedores recorrem a empréstimos para pequenos negócios ou crowdfunding, outros procuram investidores-anjo, etc.

São muitas, no entanto, as alternativas para financiar uma startup e tirar o seu negócio do papel.

Que tal começar com Bootstrapping?

Quando começam, muitos empreendedores usam o “bootstrapping”, o que significa financiar sua empresa, juntando todos os fundos pessoais que você puder encontrar.

Isso normalmente inclui sua conta poupança, cartões de crédito e quaisquer linhas de empréstimos que você possa ter, como home equity, por exemplo.

Em muitos casos, usar o dinheiro que você tem em vez de pedir emprestado ou levantar é uma ótima abordagem. Também é uma forma de ir se mantendo até que seus negócios sejam lucrativos.

Mas, se você está procurando escalar rapidamente seu negócio, pode ser vantajoso trazer fontes externas de financiamento. Por essa razão, listamos outras cinco formas de investimentos para impulsionar a sua ideia inovadora.

Conheça cada uma delas a seguir!

1 – Money Love – considere amigos e familiares

Pedir dinheiro e dinheiro a seus amigos e familiares lhe parece uma perspectiva um pouco assustadora? Mas que tal dar uma olhada nas pessoas mais próximas a você?

Saiba que esse pode ser um importante primeiro passo para começar e tem sido utilizado com bastante frequência por empreendedores iniciantes.

Cada vez mais, é comum encontrarmos empreendedores com uma boa ideia, mas sem capital. E o que eles fazem? Recorrerem à família ou os amigos para obter um aporte inicial de capital.

Esse tipo de investimento é chamado de Love Money, porque na maioria das situações a família e os amigos investem mais pelo fator afinidade com o empreendedor do que pelo próprio negócio.

Mas antes de pedir dinheiro a seus amigos e familiares, você deve ter um plano de negócios pronto. Dessa forma, você pode explicar exatamente o que está vendendo, o que planeja fazer, como ganhará dinheiro e de que forma pretende ressarci-los.

Vale destacar que as vantagens do Love Money além de ser um ponto de partida para o dono da ideia, também pode gerar mais confiança no mercado de investimento, visto que sua startup já terá conquistados alguns pontos no quesito credibilidade.

2 – Investidores Anjos

Um investidor anjo é uma opção de financiamento atraente para startups que são muito pequenas para atrair capitalistas de risco.

De modo geral, os investidores anjos são indivíduos de alto patrimônio líquido que geralmente contribuem com mais do que capital. Eles geralmente têm conhecimento e muitos contatos relacionados ao setor que estão investindo.

Esse tipo de investidor pode ajudar a sua empresa contribuindo com informações comerciais e conselhos e, geralmente, fazem suas escolhas baseadas em seus interesses pessoais e menos em análise de mercado.

Por isso, se a sua ideia é boa, comece a ampliar o seu networking e prepare uma boa apresentação sobre o seu negócio e atrair um angelinvestors.

3 – Crowdfunding

O crowdfunding ou financiamento coletivo tem se destacado como um motor propulsor para que têm um projeto, mas nem sempre tem os recursos para colocá-lo em prática. Esse tipo de financiamento permite captar capital para criar novas empresas ou tirar ideias inovadoras do papel.

Basicamente, esse tipo de investimento oferece às pessoas físicas a oportunidade de investir capital em uma nova empresa em troca de uma participação societária (equity) ou de títulos conversíveis de dívida.

No mundo todo, o crowdfunding tem uma participação expressiva no lançamento de Startups por meio de plataformas projetadas exatamente para facilitar o acesso do empreendedor aos investidores.

4 –  Venture Capital

Esse capital é conhecido como capital de risco e os investidores, claro, são denominados de capitalistas de risco. Esse perfil de investidor gosta de colocar seu capital em negócios inovadores com uma perspectiva de crescimento em longo prazo.

Ao mesmo tempo em que esses investimentos costumam ser são arriscados, também são capazes de gerar retornos impressionantes conforme o crescimento da empresa.

É importante ressaltar que, neste tipo de financiamento, os investidores costumam influenciar as principais decisões das empresas nas quais estão investindo, pois é seu dinheiro que está em jogo.

Oura característica do perfil destes investidores é voltar-se para negócios que já estão em uma fase de desenvolvimento, ou seja, que já mostraram que podem dar algum retorno.

5 –  Aceleradoras

As aceleradoras começaram a surgir no Brasil por volta de 2011 e, desde lá, elas têm oferecido um ambiente promissor para o desenvolvimento de startups.

O principal objetivo dessas organizações é oferecer ferramentas para as empresas se desenvolverem até o seu ponto de sustentabilidade.

Por esse motivo, elas oferecem aconselhamento, orientação e várias formas de suporte para empresas na fase de inicialização, atuando como uma espécie de campo de treinamento.

Simplificando, o papel principal das aceleradoras é identificar, apoiar e investir no rápido crescimento das  startups.

Bônus – Crie um plano de negócios detalhado antes de buscar financiamento

Antes de partir em busca de investidores, você precisa ter uma compreensão clara de como planeja operar sua empresa.

Sem dúvidas, vai ser difícil para você levantar dinheiro de alguém sem um plano de negócios. Os diferentes tipos de investidores, que citamos acima, precisarão ver projeções financeiras antes mesmo de pensar em abrir as suas carteiras.

Portanto, um plano de negócios aumentará suas chances de obter fundos. Por outro lado, as empresas que possuem um plano de negócios também apresentam taxas de crescimento mais altas e se prepararam melhor para os contratempos.

Por fim, para fazer uma escolha adequada, é preciso analisar o que você almeja para a sua empresa e equacionar o quanto o investidor em potencial poderá agregar a seu negócio, não somente para tirar a sua ideia do papel, mas para o seu sucesso em longo prazo.

 

 

*Juridoc é uma plataforma de automação e gerenciamento de contratos e documentos que permite um processo eficiente, com redução de tempo e custos. O software simplifica todo o ciclo de vida do contrato, agiliza o fluxo de trabalho e aprimora a conformidade.

Autor

Autor Convidado

Este artigo foi produzido por um autor parceiro e/ou convidado com a finalidade de compartilhar suas opiniões sobre temas diversos e contribuir com o site.

shadow

Posts relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *