Um bom planejamento financeiro é essencial para ter sucesso no seu trabalho como autônomo. No entanto, grande parte dos trabalhadores que trocam a carteira assinada para comandar seu próprio negócio encontram dificuldades no controle das finanças.

O trabalhador autônomo precisa ter disciplina e organização das finanças para conseguir sustentar o negócio e se pagar. E ele precisa saber que o planejamento financeiro para autônomo é um pouco diferente do que para um assalariado.

Veja a seguir as principais dicas de planejamento financeiro para ter sucesso como autônomo:

1.  Separe suas finanças pessoais e o dinheiro do seu negócio

A dica mais simples e fundamental para se organizar financeiramente é separar as finanças do seu negócio das suas finanças pessoais. Pode parecer óbvio, mas esse ainda é um dos principais motivos pelo qual muitos autônomos se endividam e se atrapalham na hora de gerir seu próprio negócio.

Uma boa forma de manter as finanças organizadas é ter contas separadas, uma para Pessoa Física e outra conta para Pessoa Jurídica. Essa distinção dos custos pessoais dos profissionais também vai te ajudar na parte burocrática, como na declaração do Imposto de Renda.

2.   Detalhe os custos pessoais e da empresa

Dedique um tempo para fazer detalhar todos os seus custos, separando em diferentes planilhas: uma para o seu negócio, outra para a sua vida pessoal. Inclua todas as despesas, sejam fixas, como aluguel, internet, telefone, e as variáveis, como água, luz, cartão de crédito.

No caso de contas em comum, como por exemplo, se você trabalha na sua casa, divida proporcionalmente o gasto pessoal do jurídico. Considere também os ganhos. Se não souber todos com precisão, estime um valor.

Feito isso, veja se a conta está fechando e aproveite para cortar supérfluos e economizar. Se o orçamento não fechar, considere aumentar a carga de trabalho, reduzir ou priorizar alguns custos.

Vale ressaltar que, como autônomo, você não terá 13º salário e haverá meses em que a demanda de trabalho poderá ser menor. Por isso, é bom já incluir na planilha uma quantia para ser fazer uma reserva de emergência.

3.   Use alternativas de crédito com inteligência

Empreendedores com conta Pessoa Jurídica ou MEI tem à disposição diferentes modalidades para conseguir crédito, seja empréstimos com taxas diferenciadas, cartões de crédito, crédito com garantia, entre outros.

Apesar dessas linhas de crédito serem importantes em alguns casos, como na troca de um contrato de crédito mais caro por um mais barato ou casos de urgência, deve-se considerar muito bem o valor pago de juros e o quanto isso irá representar no seu orçamento.

Mais uma vez o planejamento financeiro se faz essencial tanto para evitar ter que recorrer a uma dessas linhas como para considerar os possíveis empréstimos que já tem e o quanto poderá pagar por mês.

O cartão de crédito também entra nessa análise. Apesar de ser um produto de traz vantagens se utilizado corretamente, o controle no seu uso é fundamental para não extrapolar e ficar no vermelho.

4.   Se programe para o longo prazo

O profissional autônomo não tem férias, 13º e recolhimento de INSS garantidos. Por isso, precisa ter um planejamento financeiro que garanta esses benefícios. Todas essas questões devem ser resolvidas por conta própria e o quanto antes.

Para uma aposentadoria tranquila, recolha contribuições mensais para o INSS, pague uma previdência privada ou ainda, invista em títulos de vencimento em longo prazo. É importante já colocar na planilha mensal uma quantia a ser destinada para garantir sua tranquilidade no futuro.

Com uma idade mais avançada fica difícil manter o mesmo ritmo de trabalho. Além do mais, você merece um descanso também.

Poderá até continuar trabalhando, mas sem a pressão de necessitar desse dinheiro para sobreviver. O mesmo vale para quem quer tirar férias ou pretende fazer uma retirada extra em determinado momento, como ocorre com quem recebe o 13º salário.

O planejamento financeiro ideal é separar um valor fixo por mês para cada uma desses objetivos. O indicado é que esse valor não ultrapasse 10% da renda.

5.   Acompanhe o seu planejamento financeiro de perto

Para que o seu planejamento financeiro seja eficaz, é fundamental acompanhar as finanças de perto, ajustar e cortar os gastos quando necessário para que as contas fechem no positivo.

Tenha o controle de todos os ganhos e despesas, por menores que sejam, sempre anotando e verificando de tempos em tempos. Esse controle pode ser feito em uma planilha do Excel ou até mesmo no bom e velho papel e caneta.

Para quem acha que terá dificuldades em seguir todas as dicas, pode usar a tecnologia a seu favor e utilizar um sistema de gestão. Existem diversos programas que auxiliam no controle das finanças, tanto pessoais quanto profissionais.

Não importa por qual meio será feito o planejamento financeiro, o essencial é que seja acompanhado de perto e com exatidão. Só assim, poderá mudar a sua mentalidade perante as finanças e se organizar. Esses são fatores chave para o sucesso como autônomo.

 

*Este artigo foi produzido pelo GestãoClick com exclusividade para o Portal André Bona.

Autor

Autor Convidado

Este artigo foi produzido por um autor parceiro e/ou convidado com a finalidade de compartilhar suas opiniões sobre temas diversos e contribuir com o site.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *