O banco de investimentos BTG Pactual optou por não fazer alterações em sua carteira de Small Caps para o mês de maio 2020 em relação ao portfólio do mês de abril. Neste mês, entre as 5 Small Caps da carteira do BTG Pactual foram mantidas, inclusive, as escolhas da instituição no mês anterior: Taesa (TAEE11) e SLC Agrícola (SLCE3).

As Small Caps são ações de empresas menores, que possuem baixa liquidez na bolsa de valores na comparação com papéis de grandes companhias, mas que detêm alto potencial de valorização ao longo de tempo. Na B3 (antiga BM&FBovespa) os investidores conseguem acompanhar o desempenho destes papéis por meio do Índice Small Cap (SMLL).

Com as entradas das ações da SLC Agrícola e Taesa em abril e a ausência de alterações neste mês, 5 Small Caps da carteira do BTG Pactual para o mês de maio 2020 são: BR Properties (BRPR3), Minerva (BEEF3), Taesa (TAEE11), SLC Agrícola (SLCE3) e Sinqia (SQIA3).

Compondo a carteira de Small Caps para o mês de maio 2020

Em relatório enviado no início do mês de maio a clientes institucionais, os analistas Carlos Sequeira, Bernardo Teixeira e Osni Carfi explicaram os motivos que levaram o banco a manter a composição da carteira neste mês em relação ao mês de abril, que inclui companhias com valor de mercado de até R$ 10 bilhões.

Confira algumas análises da equipe do BTG para a composição da carteira de Small Caps para o mês de maio do banco de investimentos:

BEEF3

De acordo com os analistas do BTG Pactual, as ações da Minerva continuam sendo uma das principais escolhas da instituição para o setor de alimentos. O BTG espera um sólido Fluxo de Caixa Livre Yield em 2020 da companhia do segmento de carnes e acredita em um alto potencial de valorização para seus acionistas à frente.

TAEE11

A Taesa foi escolhida pelo BTG Pactual para compor a carteira de small caps em maio de 2020 graças ao seu histórico de boa geração de dividendos. Segundo o banco, “o segmento de transmissão é o menos afetado pelo recente surto de Covid-19” no país.

BRPR3

De acordo com os analistas do BTG, a BR Properties (BRPR3) tem condições de se beneficiar do avanço dos aluguéis nos próximos anos e da queda nas taxas de vacância. A instituição reforça que o momento é positivo tanto para os ativos de São Paulo quanto para os ativos da companhia no Rio de Janeiro.

SLCE3

Já SLC Agrícola chegou à carteira do banco também em meio a “um ambiente de pouca visibiliadde sobre quanto tempo o surto de Covid-19 poderia durar”. Para os analistas da instituição, no entanto, apesar do momento delicado, a empresa “deve conseguir resultados resilientes nos próximos trimestres”.

SQIA3

De acordo com o BTG, a Sinqia pode ser uma opção interessante por conta da expectativa de que a maior parte dos recursos captados no recente follow-on da empresa seja investida ainda neste ano. Antes, as projeções apontavam para um investimento mais gradativo, ao longo de três anos. A expectativa, portanto, é por uma aceleração no crescimento da companhia.

O portfólio de Small Caps do BTG teve um avanço de 20,3% no mês de abril de 2020, ante uma alta de 10,2% do índice Small Cap (SMLL). Desde julho de 2010, a carteira acumula uma rentabilidade de 949%, contra 64,5% do Índice SMLL e 32,2% do Ibovespa.

Sobre o BTG Pactual digital

BTG Pactual digital é a plataforma digital do BTG Pactual – o maior banco de investimentos da América Latina e quinto maior banco brasileiro, com mais de 35 anos de expertise em investimentos e gestão de recursos atuando no Brasil, Chile, Colômbia, México, Peru, Argentina, Estados Unidos e Inglaterra.

Quer acelerar a conquista da sua liberdade financeira? Então clique aqui e saiba como fazer o seu dinheiro trabalhar para você agora!

Autor

Luana Neves

Jornalista e redatora. Atuou como editora de Economia no Jornal DG e Revista Quem é Quem - Economia, assinou por três anos coluna diária de Economia e já produziu conteúdo para diversos portais de notícias do Brasil.

Posts relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *