Videoaula: Como investir no tesouro direto

Clique e solicite a sua assessoria de investimentos »

Olá!

Nessa videoaula é possível entender exatamente como funciona o tesouro direto, os títulos, características, prazos, rentabilidades e até mesmo a temida “marcação a mercado” dos pré-fixados que podem resultar em rentabilidades negativas em alguns momentos.

Os títulos do tesouro direto

Os principais títulos disponíveis para investimentos no tesouro direto são:

> LFT (Letra financeira do tesouro)

Título pós-fixado atrelado a Selic. Rende exatamente a taxa selic, sendo apropriado diariamente a taxa selic over. É o título mais conservador disponível, não tendo possibilidade de oferecer retornos negativos nem inferiores ou superiores à própria Selic.

Mesmo que o investidor resolva vender esses títulos antes do vencimento, ele terá a rentabilidade exatamente da Selic no período em que manteve o título.

A LFT pode ser utilizada para posicionamento mais líquido e conservador da carteira, com horizonte de curto prazo.

> LTN (Letra do tesouro nacional)

Título pré-fixado, onde o investidor já sabe, no ato da compra, qual será sua taxa anual de rentabilidade para todo o período que vai da data de compra até a data de vencimento. Independente das oscilações das taxas de juros, a taxa que vai remunerar o investidor será a mesma, desde que ele leve o título até o vencimento.

É importante observar que durante o prazo entre a compra e a data de vencimento, o valor do título pode oscilar pra cima, pra baixo, podendo em alguns momentos ter até mesmo rentabilidade negativa.

Caso o investidor resolva vender esse título antes do vencimento, não terá garantia nenhuma de ter a taxa pactuada, podendo até mesmo ter prejuízo.

A LTN pode ser utilizada para posicionamento com horizonte de tempo entre 2 e 4 anos, não sendo adeqada para posicionamentos que necessitem de liquidez.

> NTN-B e NTN-B Principal (notas do tesouro nacional)

As NTN-B e B Principal são títulos atrelados ao IPCA, que é o índice oficial de inflação no país. O objetivo do título é garantir uma rentabilidade acima da inflação para o investidor em prazos mais longos.

As NTN-B e NTN-B Principal rendem o IPCA + uma taxa fixa anual, que é definida do ato da compra até o vencimento.

É importante observar que durante o prazo entre a compra e a data de vencimento, o valor do título pode oscilar pra cima, pra baixo, podendo em alguns momentos ter até mesmo rentabilidade negativa.

Caso o investidor resolva vender esse título antes do vencimento, não terá garantia nenhuma de ter a taxa pactuada, podendo até mesmo ter prejuízo.

NTN-B e NTN-B Principal pode ser utilizada para posicionamento com horizonte de tempo acima de 4 anos, não sendo adeqada para posicionamentos que necessitem de liquidez.

É possível perder dinheiro no tesouro direto?

Sim, é perfeitamente possível e acontece com certa frequência.

É comum que vários investidores vejam informações na televisão que dizem: “investir no tesouro direto é a melhor forma, pois é a forma mais segura de investimento”.

Certamente quando falamos do risco de crédito, sim o risco do tesouro é, em teoria, o menor de todos. Porém há o risco de mercado que precisa ser entendido. Esse risco refere-se a marcação do valor no presente dos títulos que possuem um vencimento no futuro. Especialmente os que possuem algum componente pré-fixado.

Por isso, não adianta o investidor, por simplificação, entender que o tesouro é melhor e menos arriscado e pronto. O tesouro possui diferentes títulos, prazos e é preciso compreendê-lo. Caso contrário, não se espante se adquirir um título e tiver prejuízo com ele. Sim, isso é possível.

Por que normalmente os bancos não falam do tesouro direto para os seus clientes?

Bem, o tesouro direto não é um produto do banco. É do tesouro. O banco é unicamente um intermediário entre o tesouro e o investidor, por meio de sua corretora, quando ele quer investir no tesouro.

Portanto, um banco, ao vender um título do tesouro direto ganha menos do que quando vende um CDB, uma LCI ou qualquer produto próprio de renda fixa, um fundo de investimento e etc. Por isso não é interesse do banco falar do tesouro direto. Cabe ao próprio investidor informar-se sobre o assunto.

Quais títulos do tesouro direto adquirir e quando?

Entender quais são os títulos, as características de cada um, quando escolher pré-fixados e pós-fixados, entender os custos, as taxas, a tributação do tesouro direto também estão presentes nessa videoaula.

Espero que assista e goste! 

Um grande abraço,

André Bona

Autor

André Bona

André Bona possui mais de 10 anos de experiência no mercado financeiro, tendo auxiliado milhares de investidores a investir melhor seus recursos e é o criador do Blog de Valor - site de educação financeira independente.

shadow

Posts relacionados

Comentários

  1. Rodrigo    

    Faço aplicação todo mês e gostaria de saber se vale a pena investir no NTN-B Principal título com vencimento em 15/05/2035 para aposentadoria, pois o quadro de rentabilidade mostra que esse título sofreu uma forte queda? obrigado.

    1. André Bona    

      Fala Rodrigo!

      A taxa que você pactua no momento da compra da NTN-B é garantida para a data de vencimento. As oscilações que ocorrem no meio do caminho não mudam isso. De toda forma, e em qualquer valor que você tenha adquirido suas NTN-Bs, você terá a taxa pactuada no vencimento. Se precisar se desfazer antes, aí poderá ter prejuízo. Isso ocorre por uma coisa chamada marcação a mercado. Nesse video desse artigo eu falo sobre isso, na parte de como é feito o cálulo do PU.

      Assim sendo, as NTN-Bs são perfeitas para aposentadoria. Essas quedas a que você se refere não significam perda de ganhos para o investidor. São demonstrações “no meio do caminho” entre a data da compra e a data de vencimento. Apenas isso.

      Por isso, é muito importante que o investidor que compre titulos do tesouro, especialmente as NTN-B, as LTN e as NTN-F, devem ter o objetivo de levar para o vencimento, pois a taxa pactuada é garantida.

      Abs,

  2. Adriano    

    Isto é um pouco complicado para quem ainda é leigo no assunto, talvez nos falta um pouco mais de clareza para entender. Podemos fazer um exemplo detalhado, passo a passo?

    Vamos investir, no dia 01/01/2014, R$2000 em uma LFT com vencimento em 01/01/2017. Sabendo que ela é atrelada a SELIC e esta taxa flutua, como iremos ter uma noção de quanto vamos receber no vencimento? Vamos supor que no primeiro ano ela foi de 12%, no segundo ano 11% e no terceiro ano 12%. No primeiro ano rendeu 12% e os 2000 reais foi para 2240. No segundo ano rendeu 11% e os 2240 acumulados foram para 2486,40 e no terceiro ano a renda foi de 12% e o valor acumulado era de 2486,40 foi para 2784,77. É isso mesmo??? Considerando que não vamos colocar na conta as taxas de IR e nem de administração da corretora etc. Resumindo a pergunta, é isso que significa acompanhar a taxa SELIC ou não?

    1. André Bona    

      Olá Adriano, bom dia!

      Vou dividir a resposta em alguns pontos pra facilitar:

      1) Entendendo a diferença entre Selic meta e Selic efetiva:

      Existe uma diferença entre Selic meta e Selic efetiva. Vamos pegar o ano de 2013, por exemplo:

      A Selic meta divulgada pelo BACEN teve as seguintes alterações e vigências:

      – Até 17 de abril = 7,25% a.a.
      – 18 de abril a 29 de maio = 7,50% a.a.
      – 30 de maio a 10 de julho = 8,00% a.a.
      – 11 de julho a 28 de agosto = 8,50% a.a.
      – 29 de agosto a 09 de outubro = 9,00% a.a.
      – 10 de outubro a 27 de novembro = 9,50 a.a.
      – 28 de novembro até o ano seguinte = 10% a.a.

      Fonte: https://www.bcb.gov.br/?COPOMJUROS

      A sua dúvida é: então quanto terá rendido Selic no período de 31 de dezembro de 2012 a 31 de dezembro de 2013, certo?

      A primeira coisa que você precisa entender: a taxa Selic é expressa ao ano, mas ela se baseia numa taxa diária. Então quando o governo diz que a taxa agora é, por exemplo, 12%, singifica que o fator DIARIO será um cujo equivalente anual será 12%. Mas não significa que será assim por 1 ano.

      Então, o que acontece na realidade, é a chamada Selic efetiva, que é a consideração desses fatores diários ao longo de um perído.

      Sendo assim, voltamos a pergunta: COM TODAS ESSAS ALTERAÇÕES NA SELIC DENTRO DO ANO DE 2013, QUAL TERIA SIDO A RENTABILIDADE DA SELIC DURANTE TODO O ANO DE 2013?

      Aí, olharemos a Selic efetiva:

      Selic efetiva de 2013: 8,21%. Repare que a Selic começou o ano em 7,25% e foi se modificando até chegar em 10% ao final do ano.

      Você mesmo pode consultar isso no link: http://www.bcb.gov.br/?SELICACUMUL

      Basta digitar o intervalo que desejar.

      2) Custos

      Sim, os custos não foram considerados nessa conta. O IR impossível, pois muda conforme o prazo. E como ele incinde sobre todas as aplicações (algumas sem IR são exceções), entao como referência é válido. As taxas de cobrança podem variar.

      3) É isso que significa acompanhar a Selic?

      Sim. Exatamente. Veja que quem investiu atrelado a Selic em 2013, acreditando na alta da taxa, viu sua remuneração crescer ao longo do tempo. acompanhando a evolução.

      4) Outras alternativas

      Na minha opinião, se o investidor deseja apenas acompanhar Selic, acredito que possa fazer algo melhor, em termos de custos, investindo em bons fundos DI, com taxa de administração em torno de 0,30% a.a. e que entregam proximo de 100% do CDI. Além de ter a liquidez diária, a taxa de administração já é descontada da rentabilidade.

      Até porque, o próprio CDI acompanha a Selic também.

      5) Comparando

      Um fundo DI que renda 100% do CDI, em 2013, teria tido a seguinte rentabilidade, contra a Selic:

      Fundo DI = 100% do CDI em 2013 = 8,06% = 8,06 % (já descontada taxa de adm)
      LFT = Selic = 8,21% – custos (colocarei 0,40 a.a.) = 7,81 %

      – Impostos não computados, pois incidem sobre ambos

      Assim, investir no tesouro em LFT só vale a pena frente a fundos DI dos bancos comerciais, que cobram taxas de administração elevadas (acima de 0,5% a.a. chegando a 1% ou até 2%). Fundos DI de bancos de investimentos, sempre possuem taxas de administração que não impactam tanto na rentabilidade.

      Eu fiz um áudio sobre Selic meta x efetiva x cdi esses dias e coloquei no facebook. Só olhar lá: https://www.facebook.com/blogdevalor

      Espero que tenha ficado claro.

      Abs,

  3. raquel    

    Boa noite, sou iniciante em investimentos na verdade nunca investi em nada… queria começar com 2.000 mas não
    quero se preocupar em ficar toda vez comprando ações quero investir a longo prazo e largar la sem riscos e sem perda de dinheiro. oque você me aconselha?

    1. André Bona    

      Ol a Raquel!

      Olha, eu atendo aqui, só na minha base de clientes, 400 investidores. Acho que só uns 10 olham o mercado com frequência, porque gostam de olhar. Você não precisa olhar todo dia nada. Precisa apenas fazer um planejamento inicial e continuar guardando dinheiro, pois com seu montante atual, não existem muitas opções.

      A escolha dos melhores investimentos depende dos objetivos e perfil de cada investidor, de maneira individualizada.

      Pra saber que investimento é mais adequado, de acordo com seus objetivos, perfil e fase da vida financeira, veja como funciona a nossa assessoria gratuita no link https://andrebona.com.br/site/assessoria-de-investimentos

      Abaixo do vídeo, você poderá solicitar o nosso atendimento.

      Formularemos uma sugestão de investimentos 100% adequada às suas necessidades de maneira simples e imediata.

      Para entender melhor nosso serviço, você também pode consultar o nosso link de perguntas e respostas: https://andrebona.com.br/faq/

      Abs,

      André

  4. Marcelo Fayon    

    Olá, tenho procurado informações a respeito, mas não consigo encontra-las. Trata-se a respeito da venda de títulos do tipo LFT(2021), o qual acompanha a taxa Selic. Temos visto aumentos sucessivos na taxa selic, e ainda há previsão de alta até o fim do ano. Tenho dinheiro aplicado na poupança, e gostaria de migrar para os títulos. A pergunta é, caso eu compre hoje(29/05/2015), e seja necessário resgatar esse dinheiro daqui 1 ano, terei prejuízo, ou conseguirei recuperar o meu montante inicial acrescido da rentabilidade prevista para o período(1 ano)?

    1. André Bona    

      Marcelo:

      1) Não terá prejuízo. As LFTs acompanham a selic over (que é a selic diariamente). Logo todo dia ele é atualizado pra cima com a selic do dia. Quando a selic cai, apenas o fator diário de atualização é menor, mas não negativo.

      2) Você precisa avaliar o custo cobrado no banco. Uma LFT comprada em uma corretora que cobre, digamos, 0,10% ao ano de taxa de custódia (bancos normalmente cobram 0,4 a 0,5 ao ano), equivale a uma rentabilidade aproximada de 98% do CDI. Logo a LFT é melhor que a poupança, mas também não é a melhor das opções. Você pode encontrar fundos DI que rendem de 100 a 102% do CDI ou CDBs de bancos menores que rendem em torno de 104% do CDI, também com liquidez diária.

      Eu faria a migração da poupança para um fundo DI BOM (e não qualquer fundo DI) ou CDB de banco menor. Mas também depende do montante.

      O tesouro eu só acho bom para os títulos longos atrelados a inflação. Quanto a LFTs ou LTNs, titulos privados sempre pagam mais. Veja esse vídeo aqui: https://www.youtube.com/watch?v=TM377q3SqAU

      Abs,

  5. Augusto Camara    

    Andre, o que vc de comprar a LFT com dinheiro da ´´reserva de emergência“??

    1. André Bona    

      É adequado, mas há rentabilidades melhores do que LFT sem nenhuma dificuldade.
      Abs,

  6. cleusa    

    sr andre, tenho conta em outra corretora, que nao cobra taxa para investimentos em titulos publicos, mas gostaria de uma orientacao financeira , se eu abrir uma conta na corretora xp eu pagarei alem da taxa de 0,01 a.a (do meu montante investido) e tambem a taxa que se cobra mensal para quem tem investimentos diversificados. isso fica confuso nos videos, gostaria de uma explicacao clara.obrigada.

    1. André Bona    

      Olá Cleusa.
      Os custos dependem de cada modalidade de investimento. Antes de se preocupar com eles, é melhor entender quais são adequados pra você. Quando o nosso serviço de assessoria auxilia um investidor, nós tratamos de avaliar também o impacto dos custos para que sejam os menores possíveis para o investidor. A taxa do tesouro é de 0,1% ao ano, ou seja, 100,00 por ano a cada 100 mil investidos. Eu acho que isso não traz impacto. MAs é claro, se você não precisa de assessoria, melhor ter conta numa corretora que não cobra nada. Mas se precisa, eu acho que é barato demais. Não existe taxa mensal. Existe taxa para cada tipo de investimento, da mesma forma que existe em todas as corretoras. Antes de pensar em taxas, é preciso entender o que é adequado pra você. Se você se preocupar apenas com taxas, pode considerar uma taxa que você nem pagará por não ter uma determinada modalidade de investimento.

      A escolha dos melhores investimentos depende dos objetivos e perfil de cada investidor, de maneira individualizada.

      Pra saber que investimento é mais adequado, de acordo com seus objetivos, perfil e fase da vida financeira, veja como funciona a nossa assessoria no link https://andrebona.com.br/site/assessoria-de-investimentos

      Abaixo do vídeo, você poderá solicitar o nosso atendimento.

      Formularemos uma sugestão de investimentos 100% adequada às suas necessidades de maneira simples e imediata. Para entender melhor nosso serviço, você também pode consultar o nosso link de perguntas e respostas: https://andrebona.com.br/faq/

      Abs,

    2. Augusto Camara    

      Andre, qual produto vc sugere então para ser adquirido com dinheiro da ´´Reserva de Emergência“?? Eu pensei em um CDB de liquidez diária, mas geralmente os CDBs que pagam as maiores taxas tem prazo de liquidez superior a 6 meses. Portanto, não servem para ´´reserva de emergência“

      1. André Bona    

        Se você quer taxa, não quer liquidez. Se quer liquidez, não quer taxa. Uma LFT vai render entre 94 e 98% do CDI dependendo de onde você comprar (custo da instituição financeira). Um fundo DI que rende 102% do CDI com liquidez diária tem com facilidade. CDB com 102 a 104% do CDI também. A LFT, portanto, é pior que essas alternativas. Era o que eu estava tentando te mostrar no comentário anterior. Dentro da liquidez, a LFT só bate a poupança, mais ninguem. Abs,

        1. Augusto Camara    

          Andre, li 2 comentários seu, onde vc diz que um LFT equivale no máximo a um CDB aproximo dos 98% do CDI. Mas vc não explicou como e feita esta conta. Faz a conta ai pra gente ver e aprender.

          Obrigado

        2. André Bona    

          Olá!
          Essa conta tá feita nesse outro artigo aqui: https://andrebona.com.br/tesouro-selic/
          Abs,
          A.B.

  7. Robson G Barros    

    Excelente artigo, gostei muito das informações claras e objetivas.

  8. Adriana Ribeiro    

    Boa Noite !! André

    Podes mostrar o cálculo do juros compostos do Desafio 500,00 x 0,01 ?

    Pode ser via e-mail.

    Parabéns, gosto muito das tuas dicas.

    1. André Bona    

      Olá!

      Matemática financeira básica.

      Só usar a formula de juros compostos:

      M = C x (1+i)^n

      Abs,

  9. Maria C.    

    Boa tarde, André!
    Ouvi com total atenção sua aula, pois estive procurando por isso há anos…
    A única dúvida que ainda me resta é sobre “como comprar os títulos”. É via banco?
    Se eu for ao banco e procurar meu gerente ele poderá tentar me dissuadir pelo fato de não ser vantajoso para o banco?
    Obrigada.

    1. André Bona    

      Sim, além de que, no banco, a taxa cobrada é bem maior que em corretoras. Veja o serviço de assessoria: https://andrebona.com.br/assessoria-de-investimentos/
      Abs,

  10. Claudio    

    Olá André,
    assisti aos seus vídeos, e por hora, me ficou uma dúvida. Quando eu peço resgate do título no vencimento, como é feita a transferência da minha conta da corretora para minha conta no banco? Isto é cobrado ?
    Obrigado pelos vídeos e atenção dispensada.

  11. Gabriela    

    Oi Andre. Ótimo post, obrigada por compartilhar!
    Todo mês recolho R$100 na minha previdência privada, e hoje tenho por volta de R$7.000.
    Decidi retirar esse valor e investí-lo no tesouro direto adicionando aplicações mensais de R$100, visando minha aposentadoria (daqui uns 30 anos rsrsrs).
    Pensei em fazer essas aplicações no Tesouro IPCA+ NTN-B… o que você acha? É o mais vantajoso para meu cenário?
    Nesse modelo é vantajoso fazer essas aplicações mensais, ou seria melhor eu fazer um segundo tipo de aplicação somente para esses depósitos mensais?
    Obrigada!

  12. Alvaro Brito    

    Prezado André, boa tarde.

    Tenho uma divida de junto ao Banco do Brasil / cartão de credito com as seguintes condições para pagamento:

    a) R$ 3.109,47 (valor integral da divida) para pagamento avista

    b) R$ 1.150,00 (com abatimento da divida) para pagamento avista, com a condição que não poderei contratar novos empréstimos e manter limite de cheque especial.

    Sendo assim pergunto: qual é a melhor opção para pagamento ?

    Obs: estou aposentado e tenho credito consignado caso precise, já tenho cheque especial na Unicred/Credsuper.

    Agradeço se poder me orientar quanto a este pagamento, que irei utilizar os proventos do 13º para quitar.

    Grande abraço.
    Alvaro Brito
    Natal – RN

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *