O início do novo ano costuma ser o momento de revisitar antigas promessas, planos e projetos. E se perder peso ou comprar uma casa são objetivos de longo prazo, investir bem o seu dinheiro é algo que pode levar poucos minutos para ser feito e com resultados que podem ter um grande impacto para o seu futuro.

Se você já está convencido de que perde dinheiro ao deixar o montante parado na conta-corrente, consumido pela inflação, ou percebeu que a poupança comum há muito tempo deixou de trazer resultados rentáveis, este post foi feito para você.

Aqui você encontrará um guia para decidir quais são os melhores investimentos para os seus recursos em 2017. Confira!

Como fazer os melhores investimentos?

Antes de analisar as opções no mercado para investir o dinheiro é preciso estar atento a dois fatores fundamentais: o perfil do investidor e o seu planejamento financeiro e a conjuntura da economia na qual se pretende investir.

O perfil do investidor e o planejamento

O perfil do investidor é um retrato das aspirações, expectativas e características de personalidade do dono do recurso.

Se a ideia é investir o dinheiro apostando em grandes ganhos e não se importando muito com o risco de grandes perdas, estamos diante de um investidor arrojado, cujo perfil permite aventurar-se na compra de ações na Bolsa de Valores, por exemplo.

Já se o investidor tem menor tolerância para perdas, mas, ainda assim, pretende retirar lucros frequentes dali, as aplicações em renda fixa podem ser uma opção, assim como investimentos em empresas.

Se, no entanto, você pretende contar com todo o dinheiro no futuro e não quer se preocupar com perdas, garantindo uma rentabilidade menor mas estável, sua escolha deve recair sobre fundos de renda fixa oferecidos por bancos.

Além da propensão ao risco, há também o planejamento financeiro pessoal. Se um investidor é arrojado, mas possui um compromisso a pagar nos próximos meses com parte de seus investimentos, não é adequado que ele corra riscos com essa parte do patrimônio.

A conjuntura econômica

Outro aspecto vital a considerar na hora de decidir onde colocar seu dinheiro é a condição econômica do país. O Brasil enfrenta hoje uma recessão, o que quer dizer que sua economia, em vez de crescer, está diminuindo.

Por outro lado, há alguns meses, a inflação continuava alta. Nesse cenário, a taxa de juros praticada pelo Banco Central (Selic), e que orienta todas as taxas de rentabilidade e de juros praticadas no mercado, estava em seu mais alto patamar.

No entanto, há um certo otimismo dos economistas em relação ao futuro breve das contas brasileiras. O ano de 2017 já pode experimentar um discreto crescimento. Com a queda recente da inflação e a dificuldade da economia de se reaquecer rapidamente, o Banco Central iniciou uma diminuição importante na taxa Selic, que deve se manter em baixa.

A flutuação desses índices todos impacta diretamente na rentabilidade da maior parte dos investimentos.

Quais as melhores opções de investimentos?

Considerando-se as premissas descritas acima, alguns investimentos chama a atenção e podem (sem garantias, porque o mercado muda) apresentar rentabilidades melhores investimentos para 2017:

Tesouro Prefixado

Já considerado uma boa opção no ano passado, esse título deve se converter na melhor opção para muitos investidores graças à sua alta rentabilidade e segurança de retorno.

A retomada de melhores condições da economia brasileira fazem com que investir em papéis do Tesouro, ou seja, comprar parcelas da dívida do governo brasileiro, se torne ainda mais seguro. Não existe hoje um risco de calote federal. Os prefixados são a melhor opção entre os títulos oferecidos hoje pelo Banco Central.

Com a queda da inflação, títulos do tesouro indexados pelo IPCA, cujo vencimento ocorre no curto prazo podem decepcionar. São, no entanto, um investimento seguro e atraente para quem pretende resgatar os valores a longo prazo. Nesses casos, a indexação ao IPCA garante rentabilidade e protege o investimento da corrosão da inflação. Boa opção para investimento em aposentadoria, por exemplo.

Atenção também aos títulos corrigidos pela Selic. Considerados grandes investimentos há três anos, isso agora mudou porque não há no horizonte previsão para que a taxa básica de juros volte a subir, ao contrário, ela deve seguir em queda. Assim, a tendência é que os papéis LFT, aqueles atrelados à Selic, percam em resultado para os prefixados.

Lembre-se de que há cobrança de imposto de renda regressivo nos investimentos do título (os percentuais variam de 22,5% a 15%, a depender do momento da retirada do dinheiro) e que é possível inscrever-se em corretoras que não cobram percentual de administração dos investimentos.

Se a prefixação de taxas em momentos de queda é uma alternativa interessante, convém também lembrar que isso pode ser feito também com títulos de emissão bancária que também existem nas modalidades prefixadas, como CDBs, LCIs, LCAs e LCs.

Fundos Imobiliários

Responsáveis por boa parte dos ganhos de investidores nas últimas décadas, graças à valorização vertiginosa do setor nas grandes cidades, os fundos imobiliários desaceleraram com a crise econômica. No entanto, a retomada do crescimento deverá novamente transformá-los em bom investimentos.

É interessante que o investidor entre o quanto antes nessa opção, para aproveitar as facilidades da baixa e maximizar seus ganhos. Fundos imobiliários funcionam como uma associação de credores que investem em construção civil. Com o aquecimento dos negócios, obter uma fatia do fundo também passa a ser mais caro.

Os fundos imobiliários também são favorecidos em períodos de queda de selic, ajudando na valorização de suas cotas.

Bolsa de Valores

Raciocínio parecido ao dos Fundos Imobiliários se aplica na Bolsa. Recentemente, dezenas de empresas acumularam perdas nos valores negociados no mercado e muita gente perdeu dinheiro com ações. Por outro lado, com a melhora das expectativas, o mercado acionário foi um destaque de rentabilidade em 2016 e, se essas expectativas prosseguirem positivas, a bolsa pode continuar performando bem.

Mas lembre-se de que o mercado é cíclico e que os esforços para melhorar a situação financeira das empresas deve começar a dar resultados nos próximos meses.

Investidores afeitos a riscos podem colher bons frutos ao comprar as ações baratas de muitas companhias que podem (sem garantias, lembre-se) experimentar grande valorização no médio prazo.

Informado sobre as possibilidades dos melhores investimentos de 2017, agora é só separar o dinheiro que quer ver render e investir! O mercado financeiro exige atenção constante e o investidor NUNCA deve tomar uma decisão de investimento sem levar em consideração seus objetivos e necessidades pessoais e nem tampouco a sua propensão ao risco.

Para saber tudo isso, basta nos seguir nas redes sociais: FacebookInstagramTwitter, e YouTube!

Grande abraço!

André Bona

Autor

André Bona

André Bona possui mais de 10 anos de experiência no mercado financeiro, tendo auxiliado milhares de investidores a investir melhor seus recursos e é o criador do Blog de Valor - site de educação financeira independente.

shadow

Posts relacionados

Comentários

  1. Lucas Oliveira    

    Andre, Boa Tarde

    Gostaria de saber o seguinte, estou na faze de acumulação do fundo de emergência , mas vou poupar pouco por mês e a ideia era de colocar no tesouro Selic , mas com a queda da Selic qual outro produto que posso utilizar com uma boa liquidez.

    Grato.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *