Uma pesquisa realizada pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) demonstrou que a poupança é o investimento preferido de grande parte dos brasileiros, correspondendo a 69,5% de todas as aplicações nacionais.

A mesma pesquisa apontou que 56,1% dos entrevistados preferem investimentos de baixo risco porque temem perder dinheiro.

A facilidade em abrir uma conta e sacar o dinheiro, aliada ao baixo risco desse investimento e à falta de uma educação financeira no Brasil são alguns motivos que explicam a crença popular de que a poupança é a melhor opção para guardar as economias do mês.

Se você ainda acredita nisso, siga a leitura e confira o post de hoje que preparamos para acabar de uma vez por todas com esse mito!

O que é caderneta poupança?

Embora o linguajar popular utilize o termo caderneta de poupança como sinônimo de poupança, os dois termos não têm o mesmo significado.

Enquanto fazer uma poupança significa simplesmente guardar dinheiro, seja aplicando capital em algum investimento ou deixando as economias embaixo do colchão como os antigos faziam, a caderneta de poupança é a forma de investimento da qual falaremos nesse texto.

Mesmo com baixíssima rentabilidade, a caderneta de poupança é um dos investimentos mais tradicionais no Brasil. Para aplicar dinheiro, basta que a pessoa física ou jurídica abra uma conta poupança em uma instituição financeira e comece a depositar recursos nela.

Os valores depositados servirão para movimentar o mercado financeiro, ou seja, o banco emprestará o capital a outras pessoas e lhe devolverá a quantia com juros.

As cadernetas de poupança são regulamentadas pelo Banco Central do Brasil (BACEN) e apresentam as seguintes características:

  • são isentas de taxas de administração. Porém, os bancos podem cobrar taxas para  movimentações financeiras como nas transferências para outros bancos;
  • não há cobrança de Imposto de Renda (IR) ou Imposto sobre Operações Financeiras (IOF) sobre os rendimentos;
  • independentemente do banco no qual o dinheiro está investido, os cálculos de rentabilidade serão sempre baseados nos mesmos parâmetros;
  • a rentabilidade é calculada de forma mensal. Caso os valores depositados sejam retirados da conta em um período inferior a um mês, não haverá nenhuma rentabilidade;
  • qualquer pessoa física ou jurídica poderá abrir uma conta poupança. A abertura e movimentação de menores de 16 anos devem ser feitas pelo responsável legal. Jovens com idade entre 16 e 18 anos podem abrir a conta com a assinatura do responsável;
  • a caderneta de poupança possui a garantia do Fundo Garantidor de Crédito (FGC) para valores de até R$ 250.000,00.

Como funciona o seu rendimento?

Atualmente, a poupança é o tipo de investimento menos rentável. Até a data de 04/05/2012, a caderneta de poupança rendia 0,5% ao mês + a TR (Taxa Referencial). O que resultava em média, um rendimento de 6,5% ao ano.

Após essa data, todos os depósitos efetuados em poupança, passaram a render da seguinte forma:

  • se a taxa de juros básica SELIC for maior que 8,5% ao ano, a poupança renderá o mesmo 0,5% ao mês + TR;
  • caso a taxa SELIC seja igual ou menor que 8,5% ao ano, a poupança renderá 70% da meta da taxa SELIC para o ano + TR.

É importante destacar que quem já possuía algum valor aplicado na poupança depositado antes de 04/05/2012, continuará recebendo 0,5% + TR, independentemente da SELIC.

A baixa rentabilidade da poupança se dá, principalmente devido à TR, que costuma ser baixíssima. Se acompanharmos um histórico dos valores dessa taxa, podemos perceber que, muito embora a TR tenha certa correlação com a SELIC, ela costuma ficar muito abaixo da taxa básica de juros.

Em tempos de SELIC em queda, a tendência é que a TR despenque. Em passados recentes, a TR costumava ficar zerada durante vários meses. Em épocas assim, os poupadores se limitam a ganhar, no máximo 0,5% ao mês com a caderneta de poupança.

Por que não vale a pena investir na poupança?

Se a baixa rentabilidade da caderneta de poupança ainda não lhe convenceu de que este investimento não é a melhor opção, confira alguns outros bons motivos para você trocar a poupança por outra aplicação!

Perda da rentabilidade devido à inflação

Em períodos de inflação mais elevada o consumidor que deixa seu dinheiro aplicado na poupança está, na verdade, perdendo capital.

A rentabilidade real corresponde ao valor do rendimento mensal do investimento descontado a taxa de inflação. Em tempos de inflação alta, esse percentual supera os rendimentos da poupança e revela que os preços aumentaram mais do que o seu patrimônio acumulado.

A conclusão é de que se a inflação aumenta, o consumidor tem que pagar mais pelos mesmos produtos e serviços que satisfazem as suas necessidades do mês, ou seja, seu poder de compra diminui e a poupança não consegue suprir essa diferença.

Não há investimento sem risco

Há um mito muito grande entre os investidores de que a poupança está imune a qualquer tipo de risco. Entretanto, apesar de o risco ser baixo, há sim a possibilidade de perda do dinheiro caso o branco quebre.

Conforme comentamos, o FGC garante aos investidores valores de até R$ 250 mil. Com exceção da Caixa Econômica Federal que garante 100% do dinheiro aplicado, se o investidor aplicou valores superiores a esse limite de garantia, terá um prejuízo sem precedentes se a instituição financeira vier a falir.

Lembre-se: não existe investimento sem risco e a história nos mostra que vários bancos já quebraram, seja no Brasil (Banco Santos e Banco Cruzeiro do Sul) ou até em países ricos como os Estados Unidos (Lehman Brothers, Bear Stearns).

Há melhores opções de investimento

Muitos investidores aplicam dinheiro na caderneta poupança por não terem grandes quantias de capital quando estão começando seus investimentos. Por isso, o senso comum acredita que a poupança é a única opção para quem tem pouco dinheiro.

No entanto, esse pensamento não procede. Há outras alternativas para pequenos investidores como o Tesouro Direto, que são títulos da dívida pública com valores mínimos para aplicação de R$30,00. O investimento pode ser feito por qualquer pessoa física pela internet com baixíssimo risco e melhor rentabilidade do que a poupança.

Gostou de saber por que a poupança é um dos investimentos menos rentáveis e aconselhados no mercado hoje? Então, compartilhe esse post com os seus amigos nas redes sociais para que eles também se convençam disso!

Grande abraço,

André Bona

Autor

André Bona

André Bona possui mais de 10 anos de experiência no mercado financeiro, tendo auxiliado milhares de investidores a investir melhor seus recursos e é o criador do Blog de Valor - site de educação financeira independente.

shadow

Posts relacionados

Comentários

  1. Leandro    

    Boa tarde André, tudo bem?

    Saquei meu fgts e o valor total do saque é de R$12.000,00. Já tenho alocado em títulos do tesouro R$34.500,00.

    Estou sem idéias de onde alocar meu saque do fgts, pensei em ações mas o mercado não está muito favorável neste momento, teria alguma sugestão?

    Obrigado,
    Leandro

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *