Investir em ações não é uma atividade complexa como pode se pensar. No entanto, para aumentar suas chances de sucesso neste mercado, você precisa conhecer alguns critérios, principalmente quando se trata do comportamento dos vendedores e compradores de ações.

Esqueça aquelas cenas de filme nas quais várias pessoas gritam enquanto falam ao telefone. Isso não existe mais. Hoje em dia as coisas são bem diferentes e a maioria das negociações são feitas por meio digital, ou seja, pela internet com o auxílio de Home Brokers.

Contudo, isso não significa que ainda não seja necessário que compradores e vendedores se comuniquem para tirar o melhor de suas ofertas. Neste texto vamos explicar para você como funcionam as negociações entre as partes. Confira!

O que os compradores de ações fazem

Para se dar bem, o comprador precisa saber muito mais do que emitir um pedido de compra. Há estratégias de mercado para que tudo seja realizado da melhor maneira e para que ele não saia perdendo.

O comprador de ações geralmente presta atenção e age de acordo com alguns fatores: primeiro, ele procura por ações de empresas com fundamento, ou seja, companhias que têm uma boa reputação no mercado e que estão lucrando.

Depois, analisa o valor das ações. É interessante para ele encontrar as que tenham um valor abaixo do que realmente a companhia vale, ou que tenham um preço que faça sentido. Com esses parâmetros fundamentalistas em mãos somados, geralmente, à análise técnica, o comprador dá andamento a uma ordem de compra.

Vale lembrar que, ao longo das horas, dos dias, semanas, meses e anos, os preços das ações mantêm-se em movimento, sendo influenciados por diversos fatores. É importante ter em mente que:

  1. qualquer tipo de acontecimento externo positivo ou negativo pode ter resultado direto no preço das ações;
  2. o valor das mesmas muda conforme as tendências. Perceber quais são elas dá poder para que ele opere um passo à frente;
  3. se aconteceu uma vez, provavelmente acontecerá de novo. Basicamente, fatos podem se repetir e, por isso, estudar o passado das tendências do mercado pode ajudar muito o investidor.

Como as ações são compradas

Para comprar as ações é preciso ter um cadastro em uma corretora — lembre-se de que, no Brasil, a corretora deve estar habilitada na CVM (Comissão de Valores Mobiliários). Existem três maneiras de fazer uma compra: individual, através de fundo de investimento e por meio de um clube de investimento.

Na primeira, o investidor é o responsável por dar as ordens de compra das ações, assim como as de venda. A transação é feita pela internet, por meio dos Home Brokers ou corretoras.

No caso do fundo de investimento, o comprador tem uma parte do total das ações que estão no fundo. As operações que ocorrem ficam a cargo do gestor certificado pela CVM. Cada fundo deve ter as suas próprias regras e também a expectativa de risco em cada transação.

O clube de investimento, por sua vez, é um conjunto de pessoas — ele comporta, no máximo, 50 pessoas e, geralmente, é formado por familiares ou amigos. Diferente do fundo, essa modalidade não precisa de um gestor habilitado pela CVM para fazer as negociações. Os membros possuem mais liberdade para realizar aquilo que querem.

Após escolher uma das formas de investir, o interessado deve ficar atento às taxas que necessitam ser quitadas para investir no mercado de ações. São elas:

  • administração: ela é paga aos fundos e clubes pelo tempo em que o comprador operou nesses modelos;
  • corretagem: toda vez que compra ou vende ações o investidor deve pagar essa taxa à corretora;
  • custódia: qualquer um que possua ações precisa pagar essa tarifa à corretora. Porém, é comum que ela não seja cobrada no período em que o comprador emitiu ordem de compra das ações;
  • emolumentos: a BM&FBovespa é a responsável por cobrá-la. Ela utiliza o valor das transações como referência para decidir o seu preço;
  • performance: quando o fundo consegue render mais do que o que está no contrato deve-se pagar essa alíquota.

O que fazem os vendedores

Os vendedores também precisam ficar atentos às tendências do mercado — afinal, eles querem que a sua ação seja valorizada. Assim como os compradores, as condições externas são muito importantes, bem como o histórico da empresa e como ela é enxergada no mercado.

Afinal, é muito difícil que compradores de ações queiram correr riscos com títulos pouco confiáveis e de uma companhia sem lucro. Em relação ao processo de venda, ele é bem semelhante ao de compra:  é preciso que você esteja filiado a uma corretora.

A grosso modo, assim que o vendedor faz uma oferta de venda, ele deve aguardar até que algum comprador se manifeste mostrando interesse naquela proposta.

Quem leva a melhor entre vendedores e compradores

Apesar ser simples, o processo de venda e compra de ações na bolsa de valores contém características peculiares. Nele, os dois lados não medirão esforços para conseguir tirar o melhor da negociação. É necessário, então, entender bem de oferta e demanda, pois os dois lados são os responsáveis por definir qual será o preço final das ações.

O comprador diz qual preço está disposto a pagar pela ação e o vendedor, que já tem um preço estabelecido, dificilmente vai ceder. Outro fator é o mercado: dá para perceber quem está ganhando pela forma como cada um age.

Se os compradores estão mais agressivos em relação à procura das ações, por exemplo, o preço aumentará. Se eles estão dispostos a pagar mais, as ações ficam valorizadas e os preços sobem.

Porém, se os vendedores estão decididos sobre a venda e aceitam a proposta de preços baixos dos compradores, o preço não vai aumentar — ele tende a cair. E assim as negociações começam a acontecer. Contudo, a seguir vamos esclarecer como elas funcionam na prática.

Como funcionam as negociações

Existe um momento específico para que os dois lados negociem — ele é conhecido como pregão. Antigamente, esse processo era feito pessoalmente e era chamado de Viva Voz: entre os períodos da manhã e da tarde durante a semana, os corretores se encontravam e negociavam as ações.

Atualmente, isso é realizado eletronicamente com um programa de computador que compacta todas as informações em torno das negociações e permite a realização das transações. O que acontece é que a corretora recebe a ordem do investidor e faz o intermédio da negociação. A partir daí, a ordem entra no software da bolsa de valores e avisa que alguém quer comprar determinada ação.

Do outro lado, um segundo investidor envia uma ordem de compra também através de sua corretora, pelo preço que julgar mais interessante para a compra destes ativos. Esta ordem também é enviada para a bolsa e, caso as duas ordens se ajustem uma à outra, é realizada a negociação. Pode parecer um processo bastante demorado, mas tudo isso ocorre em uma pequena fração de segundos.

E então? Entendeu bem como funciona o comportamento dos vendedores e compradores de ações? Gostou deste artigo e quer conhecer mais sobre o assunto? Assine a nossa newsletter e fique por dentro de tudo sobre o mundo das ações!

Autor

André Bona

André Bona possui mais de 10 anos de experiência no mercado financeiro, tendo auxiliado milhares de investidores a investir melhor seus recursos e é o criador do Blog de Valor - site de educação financeira independente.

shadow

Posts relacionados

Comentários

  1. Jonas    

    Parabéns! Sua orientação foi bem didática!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *