Giro pelo mundo – US, Europa, China, Chile, Rússia e até Egito

US

Sobre US eu continuo achando que a inflação vai dar as caras e o FED vai ter que subir umas 4x os juros esse ano levando esse dos atuais 1,5% para 2,5%. Isso porque: (i) preços de commodities subiram; (ii) taxação de Steel e Alumínio; (iii) dólar desvalorizado impacta nos preços de importados; (iv) mercado de trabalho com baixa disponibilidade de mão de obra aliado aos controles migratórios.

Mas entre o que eu acho e o que a realidade mostra, existe muitas vezes um grande gap….veja que o último dado de inflação dessa semana tranquilizou o mercado.

 

Abrindo por diferentes setores que afetam o CPI, da pra ver que os que sofrem influencia do petróleo como transporte já tem puxado a inflação pra cima:

E o PPI (inflação ao produtor) que pega mais o efeito do dólar mais fraco nos insumos, vem mostrando que a tendência é de mais inflação a frente:

O que falta para a inflação dar as caras e o cenário que falei ali em cima se materializar, é alguma reação dos salários:

Essa discussão de juros é deveras importante porque determina o preço do dinheiro no mundo e de quebra coloca um piso nos juros aqui no Brasil….por isso acho mega relevante.

Sobre a discussão do aço e alumínio e Trump e tudo mais….achei esse gráfico bem bacana pra dar uma visão geral acerca da produção de aço e as importações americanas….

[…]

 

Leia o texto na íntegra no blog BUGG – Análises Econômicas e de Investimentos, de William Castro Alves.

 

Autor

William Castro Alves

Economista pela UFRGS, iniciou sua carreira em 2004 na Solidus Corretora, tendo passado pelo Koliver Merchant Bank e Banco Alfa. Atuou como analista de Investimento na XP e responsável pelas gestão das Carteiras Recomendadas.

shadow

Posts relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *