Dentro de uma empresa, os gestores utilizam-se de diversas ferramentas para se manterem atualizados quanto à situação de seu negócio. Algumas delas são os indicadores de liquidez, que revelam a situação de crédito da empresa para várias situações.

A liquidez representa a facilidade que um ativo tem em ser convertido em dinheiro e, dentro de uma empresa, ela está ligada à solvência. Desse modo, para melhor entender sua aplicabilidade, os especialistas conceituaram a liquidez em 4 tipos de indicadores.

Quer otimizar seu tempo de análise na empresa para cumprir com obrigações? Então leia nosso artigo e descubra como definir e calcular cada um dos indicadores de liquidez.

Para que servem os indicadores de liquidez?

Os indicadores de liquidez são índices financeiros que servem para averiguar o crédito de uma empresa, ou seja, sua capacidade monetária para cumprir com suas obrigações do passivo. Dessa forma, esses indicadores são de suma importância para observar a saúde da empresa e criar proteção patrimonial.

Para chegar até aos indicadores de liquidez, os gestores precisam reunir informações dentro do balanço patrimonial. Somente com os dados do ativo e do passivo é possível calcular os índices, pois será necessária a aplicação de uma série de formulas específicas.

Após todos os cálculos necessários (mostraremos ao longo do texto), o gestor poderá averiguar a solvência de sua empresa.

Normalmente, falamos que uma organização possui alto grau de liquidez quando seu fluxo de caixa é bem administrado para cumprir com pagamentos.

Quais são os tipos de indicadores de liquidez?

Existem 4 tipos diferentes de indicadores de liquidez que são utilizados pelo setor de contabilidade das empresas. São eles: liquidez corrente, liquidez seca, liquidez imediata e liquidez geral, sendo que cada indicador representa um modelo de prazo e capacidade de pagamento.

Podemos explicar, de forma resumida, que a liquidez imediata da empresa está relacionada aos compromissos de curtíssimo prazo, já a liquidez corrente e seca representam a capacidade de pagamento a curto prazo, enquanto a liquidez geral fica em torno das obrigações de longo prazo.

Para ajudar a analisar esses indicadores, existe uma regra utilizada pela contabilidade que se baseia no resultado das formulas de cada indicador. Confira.

  • Resultado > 1: bom grau de liquidez;
  • Resultado = 1: recursos se igualam ao valor dos pagamentos;
  • Resultado < 1: não possui como quitar suas dívidas no momento.

Valores que estejam bem acima de 1 indicam que a empresa possui alto nível de liquidez para aquele período.

Contudo, se sua empresa tiver um resultado de liquidez menor do que 1, não se desespere: pode ser que seus recursos estejam concentrados a longo prazo. Avalie a situação antes de tomar uma decisão.

Indicador de liquidez corrente

O indicador de liquidez correte ou comum, como também é chamado, tem por função medir a capacidade da empresa de cumprir com suas obrigações no curto prazo. Normalmente, na gestão financeira, é ele que serve de referência para a maioria dos pagamentos, representando a saúde do caixa.

Seu cálculo é feito pela divisão dos ativos circulantes da empresa (aqueles de curto prazo – menores que um ano), pelo passivo circulante (empréstimos, alguns impostos, fornecedores). Para obter precisão nesses valores é importante que o balanço da empresa seja feito periodicamente.

Por se tratar de um indicador extremamente importante para qualquer companhia, é interessante que o valor de seu cálculo seja superior a 1. Dessa forma, o gestor saberá que a organização estará preparada para a cumprir com a maioria dos seus compromissos com terceiros.

Calculo da liquidez corrente:

liquidez corrente = ativo circulante / passivo circulante

Indicador de liquidez seca

Este indicador tem uma função bastante similar ao de liquidez corrente, com a diferença de que o estoque não é computado no cálculo do ativo circulante. Isso ocorre devido ao fato de o estoque representar um ativo que, às vezes, pode não estar atrelado diretamente ao patrimônio.

Ou seja, a liquidez seca vai informar ao gestor o valor real da liquidez do ativo circulante, mesmo que nada no estoque seja vendido ou utilizado. Normalmente, o valor desse indicador fica bem próximo ao da liquidez corrente, porém sempre menor ou igual.

Seu cálculo é feito utilizando a formula conhecida da liquidez corrente. Neste caso, no entanto, retiramos o estoque do ativo circulante e completamos o cálculo dividindo o valor resultante pelo passivo circulante descrito no balanço patrimonial da organização.

Calculo da liquidez seca:

liquidez seca = (ativo circulante – estoque) / passivo circulante

Indicador de liquidez imediata

Este indicador é considerado o de natureza mais conservadora, pois representa todos os valores da empresa que estejam imediatamente à disposição dos gestores, como: o caixa da empresa, conta corrente, investimentos de curto prazo, entre outros.

Geralmente, a liquidez imediata da empresa está atrelada à sua capacidade de lidar com emergências financeiras. Desse modo, um alto grau de liquidez imediata, proporciona à empresa uma boa vazão para lidar com as incertezas do mercado de forma ágil.

Sua capacidade de pagamento imediata acaba por excluir do seu cálculo fatores como estoque e as contas a receber, sobrando apenas os valores disponíveis. Veja.

Calculo da liquidez imediata:

liquidez imediata = disponível / passivo circulante

Indicador de liquidez geral

O indicador de liquidez geral é aquele que está atrelado às competências de uma empresa no médio e longo prazo. Desse modo, seu cálculo abrange também o ativo e passivo da empresa que superam a estimativa de tempo de 1 ano dentro do balanço.

Em geral, seu uso não é bastante corriqueiro dentro das empresas, principalmente por se tratar de compromissos distantes. Dessa forma, é preciso analisar o indicador de liquidez geral atrelando-o aos demais indicadores descritos acima.

Com uma observação mais profunda desse indicador de longo prazo, o gestor poderá definir se nos últimos anos sua empresa está perdendo ou ganhando liquidez. Assim, poderá traçar planos para o financiamento de seus projetos no futuro, com previsões mais corretas.

Calculo da liquidez geral:

liquidez geral = (ativo circulante + realizável a longo prazo) / (passivo circulante + passivo não circulante)

Manter o controle de uma empresa, requer do gestor um alto grau de percepção e capacidade profunda de análise. A tomada de decisão deve ser baseada em valores matemáticos e não em “achismos”.

Por isso, saber como funcionam os indicadores de liquidez dará uma visão mais holística de seu negócio. Afinal, conhecimento também é investimento e, com ele, o caminho para a independência financeira se abre.

Gostou do conteúdo? Então que tal se manter atualizado sobre este e outros assuntos? Assine a nossa newsletter para receber outros artigos imperdíveis!

Autor

Redação Blog de Valor

O Blog de Valor é um site de educação financeira independente com a missão de auxiliar pessoas e famílias a melhor compreender o mercado financeiro e os seus produtos. Assine nossa newsletter!

shadow

Posts relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *