Quando começamos a ler sobre investimentos nos deparamos com muitos produtos e inúmeras notícias. Bolsa que sobe, ações que despencam, e tantas outras informações. Porém, não precisa ser assustador e você não precisa começar sua trajetória como investidor buscando produtos mais complexos!

Existem produtos de baixo risco para investir que podem ser ideais para que você faça o principal: dê o passo inicial para se tornar um grande investidor!

Se você está dando seus primeiros passos neste mercado, este é o artigo certo para você. Explicaremos neste artigo, de forma definitiva, 5 produtos com baixo risco para investir. Certamente eles poderão ajudar você a iniciar sua vida de investidor, montar sua reserva de emergência e dar o pontapé inicial na formação de uma carteira de investimentos sólida.

Boa leitura!

O que é um produto de baixo risco?

Nos investimentos, quando falamos sobre riscos, estamos falando, principalmente, sobre sua volatilidade.  Se um investimento tem risco, ele pode ter um histórico de volatilidade alta, não sendo possível prever seu comportamento de entrega de rentabilidade futura.

Em geral, produtos que apresentam risco são indicados para pessoas que apresentam características como perfil mais arrojado e maior conhecimento do mercado. Por isso, é importante conhecer o seu perfil de investidor antes de investir.

Isso não significa, contudo, que investimentos mais arrojados não podem fazer parte da carteira de investidores com menor tolerância riscos. Assim como os investimentos de baixo risco podem compor a carteira de investimentos de qualquer investidor. Tudo dependerá do seu perfil e dos seus objetivos pessoais.

Para quem está dando os primeiros passos no mercado, entretanto, investimentos de baixo risco podem ser opções interessantes para os primeiros aportes. E também para a formação de uma reserva emergencial.

Investimentos de baixo risco: 5 produtos para investir

A seguir, você confere 5 opções de investimentos que apresentam baixo risco e que podem se tornar alternativas de investimento de qualquer investidor.

Vamos lá?

1.       Poupança

A opção mais conhecida dos brasileiros não poderia faltar nessa lista!

Apesar de ser muito questionada por conta de seu rendimento, a poupança é uma das opções mais procuradas no Brasil.  Esta  modalidade,  inclusive, continua ainda em 2019 ocupando o 1º lugar na escolha pelos investidores de varejo do Brasil.

E quais são as características desse tão controverso investimento?

A remuneração dos depósitos de poupança se dá basicamente com uma remuneração básica e uma remuneração adicional.

A remuneração básica é a TR – Taxa Referencial, e a remuneração adicional obedece a seguinte regra:

– 0,5% a.m. quando a Taxa Selic for superior a 8,5% a.a. ou,

– 70% da Taxa Selic quando esta for igual ou inferior 8,5% a.a.

O rendimento da poupança ocorre em seu aniversário. Ou seja, quando o saldo completa um mês, é creditado o rendimento.

É importante verificar que, caso seu dinheiro fique aplicado por um prazo menor que um mês, você não receberá nenhum rendimento. Portanto, antes de colocar seu dinheiro a poupança, verifique o tempo que ele ficará efetivamente aplicado.

2.       CDB – Certificados de Depósito Interbancário

Os CDBs são títulos privados que representam um depósito a prazo. O investidor deixa seu dinheiro com a instituição e combina uma remuneração em determinado tempo.

Existem, inclusive, opções ao investir em CDB:

– Você pode investir com prazo determinado e somente terá a remuneração mantendo o investimento até esse prazo. Em geral, nesta, modalidade, você consegue taxas melhores, mas precisa prestar atenção pois se realizar o saque antes do previsto perde o rendimento;

– É possível investir em CDB com liquidez diária, sem nenhuma carência, podendo sacar a qualquer momento com o rendimento ajustado pelo tempo aplicado;

– E também pode-se aplicar com a taxa remuneratória se elevando quanto maior o tempo que o dinheiro ficar aplicado.

A remuneração do CDB, na maior parte das vezes, é um percentual do CDI.

Pode ser também um valor pré-fixado, no momento da aplicação, ou ainda, ser atrelada também a outros índices, como IPCA.

3.       LCI (Letra de Crédito Imobiliário) e LCA (Letra de Crédito do Agronegócio)

As LCI’s e LCA’s são títulos que se diferem em seus lastros. Enquanto um está atrelado a carteira imobiliária da instituição, o outro é a carteira do agronegócio.

Assim como no CDB, o investidor deixa o dinheiro com a instituição e recebe um título em que estão pactuados remuneração, prazos e demais especificações.

Conheça algumas características principais dessas letras de crédito:

– Apresentam para pessoa física a isenção de cobrança de Imposto de Renda.

– Tem carência mínima de 90 dias.

Podem ser estabelecidas carências maiores, que geram um rendimento melhor. Porém, caso se escolha a carência mínima do produto, após 90 dias, ele terá liquidez diária.

Nos investimentos abordados até aqui, o maior risco é o risco da instituição não arcar com o combinado, não pagar – o risco de crédito. Porém, essas modalidades contam com a proteção do FGC, o que significa que depositantes e investidores tem seus recursos garantidos em caso de insolvência de instituições financeiras até determinado valor. Para mais detalhes da garantia, acesse o site do FGC.

4.       Títulos Públicos Federais

Cada vez mais populares entre os investidores pessoa física de varejo no Brasil, os Títulos Públicos Federais nada mais são que títulos de dívida pública do país, emitidos para captação de recursos.Ao comprar um título federal o investidor está financiando o país.

Além disso, considera-se que esses títulos representam baixíssimo risco – já que representam o risco do país não os pagar.

Os títulos públicos são comercializados na plataforma do Tesouro Direto, onde estão descritas todas as formas de funcionamento desse mercado.

Ao aplicar no Tesouro Direto, o investidor tem a sua disposição títulos prefixados e títulos pós-fixados.

Os prefixados são os:

– Tesouro Prefixado e Tesouro prefixado com Juros Semestrais.

E os pós-fixados são:

– Tesouro SELIC; Tesouro IPCA + com Juros Semestrais e Tesouro IPCA +.

Dentre o leque de opções de Títulos Públicos o investidor precisa entender as diferenças entre eles e quais vão lhe atender.

Em se tratando de investimentos de baixo risco, dentre os papéis do Tesouro, o de menor risco é o Pós-Fixado Tesouro SELIC. Esse título apresenta baixa volatilidade no mercado o que evita perdas em vendas antes do vencimento.

5.       Os Fundos de Investimento de Renda Fixa

Os Fundos de investimentos funcionam como um condomínio de pessoas que reúnem seus recursos para investir. O cotista faz sua adesão ao verificar, em determinado Fundo, características de gestão e administração que lhe atendam.

Os Fundos de Investimento apresentam grande diversidade. A maior parte é regida pela Instrução CVM 555, que é o caso dos Fundos de Renda Fixa, de Ações e os Fundos Multimercado.

A indústria de Fundos de Investimento vem crescendo no Brasil, à medida que os investidores começam a procurar produtos com características de diversidade, bom desempenho e gestão profissional. Em 2019 a captação desse setor vem batendo recordes.

Contudo, vamos nos ater aqui aos Fundos de Renda Fixa, que apresentam perfil de risco mais conservador, logo, baixo risco.

Dentre os tipos de fundos disponíveis, a categoria de Fundos de Renda Fixa apresenta a maior captação de recursos dos investidores no Brasil.

Os Fundos de Renda fixa aplicam basicamente em ativos de renda fixa. Os mais populares são os Fundos de Renda Fixa Referenciados, que aplicam buscando acompanhar determinado índice. Na Renda Fixa, o índice mais utilizado é o CDl, sendo o Fundo de Renda Fixa Referenciado DI o mais comum.

Existem, ainda, os Fundos de Renda Fixa SIMPLES que devem aplicar, no mínimo, 95% do patrimônio líquido em títulos públicos federais.

Essa categoria foi criada exatamente para ampliar o acesso aos fundos de investimento a todos os cidadãos. Afinal, a partir desta categoria, é possível investir com pequeno valor inicial e baixíssimo risco.

Conclusão

Como você pode perceber, não é necessário iniciar no mundo dos investimentos correndo muitos riscos. Atualmente existem inúmeras oportunidades para investimentos no mercado – inclusive entre os investimentos de baixo risco, que estão sempre à disposição dos investidores para aplicação.

Portanto, seja o seu perfil conservador, moderado ou arrojado, é sempre importante conhecer as opções de investimentos de baixo risco. E também as oportunidades mais arriscadas, a fim de fazer uma escolha cada vez mais assertiva quanto à sua carteira de investimentos.

O mais importante, contudo, é que você não se esqueça que, na matemática dos investimentos, não há o certo e o errado, e sim o que vai atender melhor às expectativas de cada investidor.

Pense nisso!

Como fazer seu dinheiro trabalhar para você?

Aprender a investir melhor seu dinheiro e tomar boas decisões de investimentos, de acordo com seu planejamento pessoal, é a única maneira de fazer seu dinheiro trabalhar para você e de conquistar todos os seus objetivos financeiros.

Quer acelerar a conquista da sua liberdade financeira? Então clique aqui e saiba como fazer o seu dinheiro trabalhar para você agora!

Autor

Daniela Viola Bona

Especialista em Finanças e Economista pela UFES (ES). Especialista em Comportamento Organizacional. Atua no mercado financeiro há 10 anos. Realiza atividades de educação e treinamento como professora/instrutora na área de banking/economia.

shadow

Posts relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *