Olá!

Hoje falaremos sobre um tipo de operação, que pode ser realizada na bolsa de valores, chamada Long&Short.

Long&Short:

O conceito dessa operação é o seguinte: imagine que existam duas ações negociadas em bolsa e que essas duas ações possuam uma relação forte entre si.

Exemplo: VALE3 (ações ordinárias da Vale) e VALE5 (ações preferenciais da Vale).

Por se tratarem de ações de uma mesma empresa, há uma determinada lógica em admitir que seus preços tendem a caminhar em trajetórias similares e que há uma correlação histórica entre eles.

A oportunidade:

Num dado momento, ocasionado pelos movimentos de mercado, pode ocorre uma distorção nessa relação. E é justamente nessa situação que surge a oportunidade de realizar um long&short e, tentar obter lucro com o retorno da relação ao padrão anterior. Trata-se de uma operação de arbitragem.

Exercício:

Vamos supor que duas ações da mesma empresa, hipoteticamente, custem:

  • ABDC4: 55,00
  • ABCD3: 50,00
  • Relação histórica entre elas: ABCD4 / ABCD3 = 1,10

Num dado momento, em função de uma distorção, essa relação se apresenta conforme abaixo:

  • ABCD4: 50,00
  • ABCD3: 40,00
  • Relação distorcida: 1,25

Qual deve ser o posicionamento na operação?

Bom, para que a relação entre os dois ativos retorne aos habituais 1,10, será necessário que, a partir desse momento, o ativo ABCD3 possua uma performance SUPERIOR ao ativo ABCD4, para que a relação se corrija.

Dessa forma, num mesmo volume financeiro, o investidor deverá COMPRAR o ativo ABCD3 e, no mesmo instante, VENDER o ativo ABCD4.

Importante observar que essa venda será feita a descoberto! O investidor não possui essas ações que fará a venda. Para isso fará uma operação que demonstramos no artigo: Ações: como ganhar dinheiro com a queda.

Como será o lucro/prejuízo da operação:

Para o investidor que montou essa posição, ele obterá lucro caso a relação volte a 1,10. Para isso, será necessário que o ativo ABCD3 possua uma performance superior ao ativo ABCD4.

Por outro lado, se a relação continuar se distorcendo e aumentar ainda mais, ocorrerá o prejuízo.

Fica claro, portanto, que o lucro será obtido simplesmente com o retorno da relação ao nível anterior, independente se as duas ações vão cair, as duas vão subir ou cada uma vá para um lado. Por isso é dito que a operação de long&short não expõe o investidor ao risco direcional do mercado de ações.

Vamos algumas possibilidades de movimento, com o resultado de cada uma delas:

  • Cenário 1:
  • ABCD4: cai de 50,00 para 42,90
  • ABCD3: cai de 40,00 para 39,00
  • Relação: 1,10
  • Resultado: lucro
  • Cenário 2:
  • ABCD4: sobe para 55,00
  • ABCD3: sobe para 50,00
  • Relação: 1,10
  • Resultado: lucro
  • Cenário 3:
  • ABCD4: cai de 50,00 para 45,00
  • ABCD3: cai de 40,00 para 35,00
  • Relação: 1,29
  • Resultado: prejuízo
  • Cenário 4:
  • ABCD4: sobe para 55,00
  • ABCD3: sobe para 43,00
  • Relação: 1,28
  • Resultado: prejuízo

Com esses exemplos, fica claro que o que deve ser monitorado é a RELAÇÃO entre os dois ativos e não necessariamente que algum deles suba.

Existem vários fundos de investimentos que só fazem esse tipo de operação e, mesmo fazendo operações em bolsa, podem ganhar mesmo que a bolsa suba, caia ou permaneça onde está. É o que chamamos de investimento em bolsa “não direcional’.

Assim é o long&short!

Grande abraço,

André Bona

Autor

André Bona

André Bona possui mais de 10 anos de experiência no mercado financeiro, tendo auxiliado milhares de investidores a investir melhor seus recursos e é o criador do Blog de Valor - site de educação financeira independente.

Posts relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *