*Este artigo foi produzido pelo Oficina das Palavras com exclusividade para o Blog de Valor.

 

Inovação, dedicação e paixão descrevem a rotina dos desenvolvedores – profissionais que trabalham com grandes ideias. Junto com estas grandes ideias, eles costumam carregar o sonho de colocar seus projetos em prática e abrir suas próprias startups – empresas inovadoras que ainda estão se inserindo no mercado.

O maior desafio desses profissionais para conseguirem alcançar o objetivo desejado está, na maioria dos casos, na situação financeira da empresa. Por conta disso – e para conseguir fortalecer a empresa no mercado, os desenvolveres costumam contar com a participação dos investidores-anjo, que tiveram e têm um papel fundamental na história de grandes startups ao redor do mundo.

É sobre o papel do investidor para startup de um desenvolvedor e a importância do match entre estes profissionais no ambiente empresarial que falaremos no artigo de hoje. Confira!

O papel do investidor-anjo

O investidor-anjo não costuma aparecer nas atividades da empresa, mas é peça importante no desenvolvimento do negócio – principalmente para as startups. Com liquidez para aplicar e sempre à procura de investimentos melhores que os ofertados pelas instituições financeiras, os investidores são responsáveis por, além de investir financeiramente, servir como consultores ou conselheiros dos empreendedores.

Logo, é imprescindível que se tenha em mente que esse profissional não é só uma máquina de dinheiro, e sim uma ferramenta fundamental para otimizar e automatizar os negócios.

Manter um bom relacionamento entre o desenvolvedor e o investidor é fundamental para os resultados da empresa. Afinal de contas, de um lado, temos quem teve a ideia e sonha em desenvolver sua empresa; de outro, quem entende de negócios e busca alcançar bons resultados financeiros e um espaço de destaque em um mercado cada vez mais competitivo.

O case da OneSkin

Uma parceria entre investidor-anjo e um desenvolvedor que deu muito certo foi a empresa estadunidense OneSkin, com sede em San Francisco. A startup surgiu com objetivo de buscar moléculas atuantes no processo de rejuvenescimento da pele, e o seu projeto já contemplava alguns diferenciais de empresa bem estruturada – principalmente em termos contábeis e governamentais.

Conectar um investidor-anjo à empresa, no entanto, acelerou o processo de desenvolvimento do negócio. A entrada desse profissional fez com que, em cerca de um ano, a empresa conseguisse evoluir rapidamente – gerando resultados e expectativas positivas.

Aliando o papel do investidor e do empreendedor em prol do negócio

Trabalhando juntos, o investidor e o empreendedor responsável pela startup podem alcançar ótimos resultados em um período de tempo muito reduzido. É a soma das características e habilidades de cada um dos envolvidos que pode definir o sucesso ou o fracasso de uma boa ideia.

Para firmar essa parceria e alcançar o sucesso quando o assunto é startup, o consultor e conselheiro de Investidores e Mentor Advisor de Startups, Sérgio Kimio Enokihara, e a coach da Effecta Coaching, Janaina Manfredini, têm algumas dicas – que podem, inclusive, incentivar  o match das funções de cada uma das partes.

Da parte do investidor, Enokihara afirma que é necessário entender o limite do seu poder e do seu papel enquanto investidor. Isto é, mesmo sendo esse profissional o responsável por um alto porcentual do desenvolvimento da empresa, ainda existem outros executivos que fazem parte das decisões finais do negócio.

Em relação ao desenvolvedor, a coach Janaina Manfredini completa que esse profissional deve definir um Modelo De Gestão e Governança com o objetivo de facilitar a transparência da empresa para o acompanhamento dos funcionários – mantendo, inclusive, o investidor confortável e confiante em relação ao futuro da startup.

Aliando o importante papel do investidor e suas respectivas habilidades e possibilidades às características, aos objetivos e ao empenho do desenvolvedor e criador da startup, as chances de sucesso do negócio se multiplicam. Bom para o investidor, melhor ainda para o empreendedor e desenvolvedor.

E você, já pensou em criar uma startup e contar com um investidor anjo? Ou já pensou em atuar como investidor de um projeto inovador oriundo de uma startup? Deixe seu comentário!

Autor

Autor Convidado

Este artigo foi produzido por um autor parceiro e/ou convidado com a finalidade de compartilhar suas opiniões sobre temas diversos e contribuir com o site.

shadow

Posts relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *