*Este artigo foi produzido pelo Gorila com exclusividade para o Portal André Bona.

 

No mercado de ações você certamente já deve ter ouvido falar no termo “Small Caps”. Ele se refere às ações de empresas de baixa capitalização, muitas vezes chamadas de ações de terceira linha.

Sempre é bom ressaltar que nem só de ações de grandes empresas vive o mercado de investimentos. Há também ações menos famosas e que podem proporcionar boas oportunidades de lucro, como é o caso das Small Caps.

No geral, as Small Caps consiste em empresas com valor de mercado abaixo de R$ 2 bilhões. Por serem companhias menores, elas normalmente têm como características:

  • Serem empresas relativamente recentes, podendo ter alguma diversificação setorial, mas sem a liderança do setor;
  • Serem empresas com um pouco mais tempo de mercado, concentradas em um setor relativamente pequeno, podendo ou não ser líderes nele;

Um ponto interessante é que elas têm um grandes chances de valorização. Justamente por serem empresas de baixa capitalização, as Small Caps têm um potencial bem maior de crescimento do que as Large Caps, ou melhor, ações de primeira linha.

Porém, os papéis das Small Caps têm menor liquidez na Bolsa, o que os torna suscetíveis a oscilações bruscas de preço. Além disso, por serem empresas consideradas mais arriscadas que a média, as Small Caps contam com um volume de negociações mais baixos quando se comparado às ações mais conhecidas pelos investidores, como Vale ou Petrobras.

Vantagens

Com certeza, um dos pontos positivos de investir em Small Caps é o grande potencial de valorização. Em geral essas empresas apresentam negócios inovadores ou atuam em setores que ainda não estão consolidados, o que consequentemente oferece um crescimento bastante elevado.

O investidor ainda leva vantagem por encontrar esse papéis a um preço mais baixo do que as de empresas maiores. Isso permite comprar um lote padrão (um pacote com geralmente 100 ações) com menos dinheiro do que faria ao adquirir um lote de ações já mais consolidadas.

Além disso, por serem empresas menores são alvos fáceis para aquisição pelos concorrentes ou até por fusões com suas competidoras. Quando isso acontece é comum que os preços das ações tenham uma forte alta, uma vez que a união gera diversos ganhos de escala nas operações da empresa além de maior poder de mercado.

As Small Caps também ganham destaque entre entre os investidores em momentos de crises internacionais. Isso se dá porque as empresas dependem mais do mercado interno do que do externo.

Riscos

Por terem baixa liquidez, as Small Caps são mais indicadas para quem pode deixar o dinheiro investido em longo prazo. Dessa forma, o ideal é que você não precise desse dinheiro dentro de um prazo de três a cinco anos. Além disso, há o risco de não conseguir vender os papéis tão facilmente.

Como muitas ações são novas na bolsa, pode ser difícil precificar as ações de um jeito correto e compatíveis com as operações e valorização de marca da empresa.

Outro problema que precisa ser levado em consideração é a incerteza de crescimento. Por conta de boa parte das empresas serem novas, pode ser que suas operações ainda não sejam sólidas ou que a companhia esteja enfrentando problemas financeiros ou até jurídicos.

Índice

Uma das maneiras mais simples de acompanhar o desempenho das Small Caps no mercado brasileiro é através do Índice Small Cap (SMLL). Criado há cerca de 13 anos, ele reúne ações de empresas com menor valor de capitalização na B3 e que costumam gerar um volume de negociações diário menos elevado.

Além disso, como não existe um valor mínimo para investir, sempre é bom ficar de olho nos diversos impostos e taxas de corretagem antes de comprar os papéis.

Exemplos

Conhecidas pelo grande público em diversos segmentos, empresas como Alpargatas,  Hering, Lojas Marisa, Camil, B2W, Gol, CVC, TOTVS e Via Varejo faziam parte do índice Small Caps em abril de 2019.

Vale lembrar que algumas empresas começaram como Small Caps e hoje estão no Ibovespa. Quer um exemplo? O Magazine Luiza teve seus papéis passando de R$ 7,00 para mais de R$ 180,00, e hoje faz parte do índice Ibovespa. Para ilustrar melhor, coloque no Gorila compras de ações MGLU3 em 2012 e veja como a rentabilidade subiu através de gráficos.

Um ponto importante para ficar atento é que mostrar apenas a variação de preço nem sempre é a melhor coisa a fazer pois podem ter ocorridos eventos corporativos. Entretanto, a maneira sempre correta de verificar ganho é a partir da rentabilidade ou a capitalização de mercado (se a empresa vale 5 ou 50 bilhões de reais).

Viu só? Conhecer as Small Caps são uma forma dos investidores poderem investir a sua grana na Bolsa além dos papéis já conhecidos. Um jeito de diversificar a carteira e bom para quer correr mais um pouco de risco.

 

Autor

Robinson Dantas

Robinson Dantas é CEO do Gorila Invest e possui mais de 18 anos de experiência no mercado financeiro. Além disso, é fundador da Iporanga Investimentos, onde era responsável pela gestão de risco e membro do conselho da holding FS2. Antes, passou pelo Morgan Stanley na área de Equity Derivatives Trading em Nova Iorque.

shadow

Posts relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *