*Este artigo foi produzido pelo App Renda Fixa com exclusividade para o Blog de Valor.

 

Você já ouviu falar que “investir é para ricos”? É muito provável que sim. A verdade é que existem vários mitos que rondam o mercado financeiro e que podem confundir você, investidor de primeira viagem.

Se você tem dúvidas, anseios, preocupações e insegurança na hora de decidir onde colocar o seu dinheiro, saiba que um planejamento personalizado sempre vai te ajudar a investir com mais clareza. Esse é um dos jeitos mais simples para alcançar seus objetivos.

Os mitos que o investidor ouve na hora de investir, no entanto, podem deixar o cenário não tão claro assim – especialmente para quem não domina este mercado, e causar ainda mais desconfiança nos investidores. Por isso, este artigo vai desvendar cinco mitos você pode encontrar na hora de decidir fazer suas aplicações.

Continue a leitura e conheça os principais mitos na hora de investir!

Para investir tem que ser rico

Esse é o mito que mais distancia grande parte da população do momento de começar investir: acreditar que comprometer uma parte do seu salário com planos futuros pode prejudicar o seu momento atual e que produtos de investimento custam muito caro e só quem pode ter acesso são os ricos.

Mitos! Quando você começa a planejar as suas finanças e vai reduzindo gastos desnecessários, é possível aumentar sua parcela de poupança, realocar seu salário de uma maneira que te deixe mais seguro e investir. Uma dica é passar todas as suas transações para uma planilha.

Desde a entrada de dinheiro, como salário e comissões, como também a saída de dinheiro – que é o pagamento de contas de água, luz, telefone, aquele app de corrida… colocando todas essas informações numa planilha, a visualização da situação se torna muito mais clara e você consegue saber exatamente onde consegue reduzir seus gastos para investir. Ah… não precisa ser expert em Excel não, ok? Pode fazer do jeito raiz – com papel, caneta e calculadora!

O ideal é que você consiga investir de 10% a 20% da sua renda mensal, mas isso pode ser feito aos poucos. Assim você vai se acostumando a trabalhar o seu orçamento, entendendo mais sobre sua real necessidade de investir e criar aquela reserva legal pro futuro.

Em se tratando de aportes, saiba que existem títulos  como os do Tesouro Direto, que te possibilita investir a partir de cerca de R$30. Saiba mais sobre este assunto na plataforma do Tesouro Direto por esse link.

Investir em grandes bancos é sempre melhor

No Brasil, temos cinco grandes bancos que, juntos, detêm 80% do mercado. Você provavelmente já até tem conta em algum deles. O fato é que a confiança e solidez que essas instituições passam para o público têm um custo.

Vamos supor que eu, você e uma terceira pessoa, pode ser o Roberto, trabalhamos na mesma empresa. Porém, o Roberto entrou há algumas semanas e ainda não o conhecemos muito, já eu e você trabalhamos juntos há três anos e somos bem amigos. Imagine que eu esteja com um problema financeiro e te peça dinheiro emprestado, e o Roberto está passando por uma situação parecida também. Você só pode emprestar o dinheiro para uma pessoa e precisa fazer uma escolha.

O Roberto ofereceu algo mais atrativo do que eu. As garantias que ele oferece são menores, já que você não conhece muito bem ele e não sabe se ele vai de fato te pagar. Acontece que o Roberto pretende te retornar esse empréstimo com uma taxa de juros mais alta do que a minha. E agora?

O mesmo acontece com bancos grandes e pequenos. Os maiores não precisam oferecer taxas elevadas para captar recursos tanto quanto um banco menor.

Por isso, manter seu dinheiro investido nas mais conhecidas instituições nem sempre é a melhor opção.

Só a poupança que é segura

Somente um tipo de investimento foi confiscado no Brasil. E sim, foi a poupança. O presidente Collor elaborou esse confisco como uma tática econômica, mas acabou não dando certo. Grande parte da população não podia sacar seu próprio dinheiro.

Mas, segundo o SPC Brasil (Serviço de Proteção ao Crédito) e a Confederação Nacional dos Dirigentes Lojista, 61% dos consumidores ainda aplicam seu dinheiro na poupança e sua justificativa é a segurança e liquidez.

Falar que a poupança é o investimento mais seguro ou o único investimento seguro é um mito infelizmente muito comum. A caderneta de poupança possui a mesma segurança que outros títulos de renda fixa, como CDB, RDB, LCI, LCA, entre outros.

Essa proteção é a garantia do FGC, o Fundo Garantidor de Crédito, que protege o investidor em caso de falência ou intervenção da instituição financeira com um limite é até R$250 mil por CPF ou conglomerado financeiro.

Em relação à liquidez, existem aplicações que você pode sim fazer o resgate a qualquer momento. É o caso do Tesouro Selic, dos CDBs com liquidez diária e dos Fundos de Renda Fixa.

O melhor é comprar imóveis e receber aluguel

Esse era um papo muito comum na época dos nossos avós; viver da renda e da valorização dos imóveis era praticamente uma realização. Existem, no entanto, produtos bem mais vantajosos, que não apresentam riscos como o de liquidez.

Por exemplo, um proprietário de imóvel quer dinheiro por conta de alguma emergência. Caso ele não tenha outra forma de ter esse valor em mãos, terá que vender a casa, o que pode demorar muito tempo. Outra coisa que pode acontecer é vender por um preço abaixo do que comprou.

É importante que você entenda os riscos e conheça diferentes alternativas que podem apresentar uma maior rentabilidade.

Rentabilidade alta é só o que importa

Muitas pessoas só prestam atenção na taxa de rentabilidade e acabam deixando de lado outros critérios, como prazo de resgate, nível de risco, investimento mínimo, entre outros.

O primeiro passo que um investidor iniciante deve seguir é conhecer seu grau de tolerância ao risco, saber qual é o seu perfil de investidor irá te mostrar quais são os produtos mais recomendados para você! Produtos com prazos de resgate mais longos costumam oferecer boas taxas de rentabilidade, períodos mais longos tornam o compromisso maior, então a taxa oferecida também será maior.

O mercado financeiro é cheio de mitos e, por isso, é muito importante entender seu funcionamento para não cair em contos e acabar deixando de planejar seu futuro e aplicar seu dinheiro. Deixar seu dinheiro parado ou em produtos com baixo rendimento por acreditar no que estão comentando também pode ter graves consequências.

Por isso, a melhor estratégia é sempre investir em conhecimento para derrubar esses mitos e sempre buscar informações de qualidade na hora de investir!

 

*O App Renda Fixa é uma plataforma de comparação de investimentos, que permite ao investidor buscar e comparar produtos de renda fixa de maneira simples e intuitiva.

Autor

Autor Convidado

Este artigo foi produzido por um autor parceiro e/ou convidado com a finalidade de compartilhar suas opiniões sobre temas diversos e contribuir com o site.

shadow

Posts relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *