Para muitos, o planejamento de aposentadoria é sinônimo de aproveitar a maturidade por meio de uma vida de lazer e despreocupação com a correria da rotina de trabalho.

Mas, para outros, apenas o pensamento de aposentadoria pode causar ansiedade, sentimento de sobrecarga e despreparo. Isso porque um dos maiores dilemas para aqueles que pensam em se aposentar é conseguir equilibrar a vida que vivem hoje com a que querem no futuro.

Felizmente, nunca é tarde demais para iniciar o processo de planejamento de aposentadoria. Mas, antes disso, as pessoas precisam evitar muitos erros comuns ao se planejar, para colher os frutos de uma vida inteira de trabalho. Neste post, você conhecerá cinco falhas mais frequentes que as pessoas cometem ao planejar a aposentadoria. Confira!

1. Não saber a renda que sua maturidade exigirá

A primeira pergunta que um aspirante a aposentado deve fazer ao pensar em seu planejamento de aposentadoria é: “quanto de renda eu precisarei para manter meu estilo de vida atual na aposentadoria”?

Não surpreendentemente, para a maioria das pessoas, a resposta é: “eu não sei”, ou “eu fiz uma suposição imprecisa”. Se a estimativa for muito elevada, o objetivo da aposentadoria pode parecer absolutamente inalcançável e todo o processo de planejamento de aposentadoria se torna desanimador.

Por outro lado, se a estimativa for muito baixa, o que é o caso mais frequente, o aposentado poderá passar por uma situação financeira difícil mais tarde e ter de fazer mudanças drásticas, indesejadas.

A regra é imaginar que você precisará de, pelo menos, aproximadamente 80% de sua renda anual atual na aposentadoria. De acordo com um estudo produzido pela Universidade da Geórgia, nos Estados Unidos, a maior parte dos aposentados precisa de 80 a 90% da renda que possuem antes de parar de trabalhar, para ter uma vida confortável.

Tenha em mente que aposentados gastam mais em viagens, em entretenimento e comendo fora — principalmente no início da aposentadoria, quando têm tempo e boa saúde para desfrutar dessas atividades. E, nos últimos anos, o custo dos cuidados com a saúde pode aumentar.

2. Não economizar o suficiente

Uma questão na qual toda pessoa que pensa em se aposentar com tranquilidade deve considerar é: você está economizando para a aposentadoria hoje, ou está consumindo sua aposentadoria hoje?

É uma escolha que você fará e que terá profundas implicações para os últimos 30 anos de sua vida. Economizar para a aposentadoria está relacionado a prioridades e alternativas. Você já pensou que cinco luxuosas férias, que tira agora, podem fazer diferença em alguns anos do conforto de sua aposentadoria?

Você prefere trocar seu carro para um novo modelo agora, ou manter o uso do automóvel antigo com alguns reparos, para que possa desfrutar de novos veículos na aposentadoria?

Por exemplo, qual é o preço do café expresso do qual você não abre mão todos os dias? Cinco reais por dia, vezes 20 dias por mês, durante 50 anos, em juros compostos, resultam em somas surpreendentes que poderiam ser economizados para sua aposentadoria.

Por outro lado, uma máquina de café expresso e alguns minutos pela manhã são suficientes para encher uma garrafa térmica, a um preço bem mais baixo e que pagará por uma segurança adicional na sua velhice. Tudo é uma questão de escolha!

3. Não considerar a inflação

Como sabemos, aqui no Brasil os salários dos aposentados pela Previdência Social, geralmente, não correspondem ao valor que recebiam antes da aposentadoria. E, somado a isso, com o tempo esses benefícios tendem a se desvalorizar. Portanto, é de extrema importância que ao fazer um planejamento de aposentadoria a pessoa considere o aumento das despesas diárias proveniente da inflação.

Nesse caso, uma forma simples é optar por investimento em investimentos que tenham correção de acordo com a inflação. Assim, você garante que sua renda cobrirá seus gastos, mesmo que os preços subam acima do esperado.

4. Subestimar a expectativa de vida

Segundo o IBGE, a expectativa de vida do brasileiro atualmente é de 72,7 anos, porém, ao chegar aos 65, a esperança de vida das pessoas pode pular para 81 anos. E, no censo realizado em 2010, o instituto encontrou mais de 24 mil brasileiros com 100 anos ou mais. Assim, o ideal é que você se planeje para aproximadamente 30 anos de aposentadoria.

Sua saúde e composição genética podem alongar ou encurtar esse período de tempo. Então, a expectativa de vida cada vez mais longa reduz a porcentagem que você pode gastar de sua poupança todos os anos, porque sua economia deve durar mais tempo.

Estimar uma taxa de retirada de sua reserva financeira na casa de aproximadamente 4% ao ano (acrescentando ou diminuindo 1%, dependendo de outros fatores), é um parâmetro para o planejamento.

Porém ninguém pode antever o futuro com confiança. Muitas das suposições usadas para estimar taxas seguras de retirada provavelmente estarão invalidadas durante os 30 anos em que você estiver na aposentadoria. No entanto, ninguém sabe se terá muitos problemas de saúde, necessitando de boas condições financeiras para cuidados a longo prazo, ou apenas para viver muito mais tempo do que o esperado.

5. Ser muito conservador

Muitas pessoas esperam apenas pelo benefício social para se aposentar, o que talvez seja um dos maiores erros. Outras pessoas fazem alguns investimentos, como em títulos, caderneta de poupança, previdência privada, imóveis para viver de renda etc.

No entanto, a maior parte não diversifica seus investimentos, optando apenas pelas opções mais tradicionais disponíveis, o que é outro erro, pois muitos confundem o trivial com segurança. Ser muito conservador na hora de planejar a aposentadoria pode impedir que você tenha ainda mais segurança quando não conseguir mais trabalhar.

Muitas vezes, alguns investimentos de renda variável, como ações por exemplo, podem ter melhor rendimento do que os de renda fixa. Nesse caso, é possível que o aposentado até mesmo utilize os lucros adquiridos nesse tipo de investimento e empregue em alguma categoria de renda fixa. Assim, ele vai fazendo “rebalanceamentos” com o rendimento de investimentos diversificados. É claro que há mais risco nesse processo.

Como pôde ver, evitar os cinco erros apresentados neste post no planejamento de aposentadoria é a garantia de que você conseguirá aproveitar sua melhor idade com conforto e tranquilidade — mesmo que passe por momentos difíceis ou que viva muitos anos e com saúde.

Quer continuar acompanhando dicas para cuidar de seus investimentos? Então, siga-nos no Facebook e Instagram e esteja sempre no controle de sua vida financeira!

Grande abraço!

André Bona

Autor

André Bona

André Bona possui mais de 10 anos de experiência no mercado financeiro, tendo auxiliado milhares de investidores a investir melhor seus recursos e é o criador do Blog de Valor - site de educação financeira independente.

shadow

Posts relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *