Atualmente, é cada vez maior o número de pessoas que têm se aventurado no mercado de ações como traders, seja como uma maneira de obter uma renda extra ou mesmo com o intuito de tornar-se um profissional no ramo.

E o motivo é bem fácil de compreender: com essa atividade, é possível obter um retorno bastante significativo do investimento inicial. Porém, ao contrário do se imagina, dedicar-se a operações especulativas na Bolsa de Valores não é assim tão simples.

Cerca de 95% dos investidores individuais que se aventuram como trader na bolsa de valores acabam, no final das contas, perdendo dinheiro. Isso porque, para que os ganhos sejam realmente satisfatórios, é necessário ter em mente que investir em ações não é uma atividade que depende meramente da sorte.

Apesar de uma formação acadêmica ou especializada não ser exigida para exercer essa atividade, é preciso dedicar-se a conhecer e estudar alguns assuntos relevantes, além de levar em consideração uma série de outros critérios para que tudo saia conforme o planejado. Não é uma tarefa fácil, mas é perfeitamente possível caso você esteja disposto a conhecer o assunto mais a fundo.

Quer descobrir como trabalha, quais os desafios e o que é preciso saber para virar um trader na Bolsa de Valores? Então não deixe de acompanhar o artigo de hoje, pois é exatamente sobre isso que falaremos a seguir. Confira!

Afinal, o que é um trader?

A palavra trader é de origem inglesa e, em tradução literal, significa “comerciante”. Quando se fala do mundo dos investimentos e do mercado de ações, podemos dizer que um trader, de uma maneira bastante resumida e simplificada, é um especulador, um investidor que atua de maneira individual na Bolsa de Valores, comprando e vendendo ações, contratos e outros ativos.

Assim, pode-se dizer que qualquer pessoa que atue, mesmo que de maneira mais ocasional e como uma forma de obter uma fonte secundária de renda, no mercado de ações, é um trader. Entretanto, o termo é mais comumente utilizado para designar pessoas que fazem dessa atividade a sua profissão.

Um trader profissional é aquele que se dedica única e exclusivamente a essa atividade, geralmente sendo um investidor de curto prazo, que atua em operações que duram entre poucas horas a algumas semanas.

Em função disso, os traders costumam realizar uma grande quantidade de operações diariamente, acumulando variações pequenas — entre 0,5% e 4% —, mas que, a médio e longo prazos, significam ganhos bastante interessantes. Isso quando são operações vencedoras, o que nem sempre acontece, diga-se de passagem! Por essa característica de atuação, esse tipo de investidor costuma ser bastante beneficiado em momentos de alta volatilidade do mercado.

O termo trader é utilizado para designar dois tipos distintos de investidores: os day traders e os swing traders. A principal diferença entre eles é o tempo de duração das operações nas quais investem. Confira abaixo o significado de cada um desses perfis:

Day trader

São os investidores que atuam na modalidade diária da Bolsa de Valores. Isso significa que o investidor compra e vende as ações no mesmo dia, em questão de horas e até mesmo minutos.

Como todas as operações de Day Trade são iniciadas e encerradas no mesmo dia, o investidor não paga e nem recebe o valor total que está negociando, somente a porcentagem de variação entre a compra e a venda.

Em função dessa característica, nessa modalidade é possível movimentar um valor muito mais alto do que o investidor possui de fato — entre 6 a 30 vezes o valor do contrato —, no que se convencionou chamar de alavancagem.

A possibilidade de alavancagem é extremamente atrativa, visto que ela permite o alcance de resultados de um investidor de grande porte, mesmo que você não seja, na realidade, um deles.

A alavancagem é considerada por muitos uma grande vantagem. Porém é muito honesto esclarecer também que é justamente essa mesma alavancagem que é capaz de quebrar (como de fato quebra) vários investidores, levando a perder todo o dinheiro investido. E isso não é raro!

Entretanto, obviamente, os riscos e retornos dessa modalidade de investimento são proporcionais. Assim, é necessário ter bastante cautela, um amplo conhecimento do mercado e uma análise de riscos bastante apurada para se aventurar no mundo do Day Trader.

É muito correto lembrar também que os day-traders são adorados pelas corretoras. Isso porque investidores que operam muito, deixam um volume considerável de custos com elas, que adoram e inclusive fomentam esse comportamento.

A verdade nua e crua é que muitos investidores iniciantes são seduzidos completamente com essa possibilidade e acabam perdendo rios de dinheiro que nunca mais irão recuperar.

Swing trader

Os swing traders, assim como os day traders, são investidores de curto prazo. Porém, nessa modalidade, o foco das atividades está em operações que duram entre uma e duas semanas. Em função disso, os resultados são ligeiramente mais expressivos, variando entre 1% e 4%. Da mesma forma, estamos falando de quando tudo dá certo, o que não ocorre sempre e nem na maioria das vezes, diga-se de passagem.

Entretanto, embora traga resultados mais significativos do que a modalidade day trader, uma grande desvantagem da modalidade swing trader é que a alavancagem não é permitida nesse sistema. Ou seja, só é possível operar dentro do limite de dinheiro que você possui, de fato, para investir.  Assim, o swing trader só costuma valer a pena para investidores que possuem um volume inicial de investimento bastante alto.

Obviamente, a ideia de virar um trader da Bolsa de Valores, com a possibilidade de trabalhar de qualquer lugar do mundo — bastando, para isso, ter um computador com acesso à internet em mãos — ganhando rios de dinheiro com compra e venda de ativos no mercado de ações soa incrivelmente atrativa, certo?

Porém, antes de começar suas atividades no ramo, é necessário ficar atento a alguns critérios, extremamente necessários para que você alcance os resultados desejados. Saiba, desde já, que essa não é uma tarefa fácil, que possui muitos desafios e exige um amplo conhecimento do mercado em questão.

Nos tópicos a seguir, falaremos um pouco mais sobre os requisitos necessários para virar um trader na Bolsa de Valores sem que, com isso, você acabe perdendo muito dinheiro.

Quais são os desafios de um day trader?

Caso o seu desejo seja virar um day trader na Bolsa de Valores em tempo integral, saiba, desde já, que você terá que se dedicar por um tempo bastante considerável, além de ter muito esforço, paciência e determinação para alcançar seus objetivos.

Os desafios são muitos e o período de aprendizagem costuma ser bem longo ou até mesmo eterno! E nem assim isso traz garantia de lucros.

Além da barreira financeira, você também terá que estar muito atento em relação às fontes de onde você retira a informação. Em tempos de acesso ilimitado à internet, o que não faltam são conteúdos, cursos, materiais e informações sobre esse assunto disponíveis ao alcance de um clique. Mas será que eles são realmente confiáveis?

Os mentores escolhidos por você são realmente day traders profissionais, que lhe passarão conhecimentos úteis e aplicáveis sobre o assunto? Refletir sobre essas questões antes de matricular-se em um curso ou contratar uma consultoria poderá lhe poupar muitas dores de cabeça e perdas financeiras homéricas no futuro. É muito importante que você entenda: essa pessoa que me ajuda ganha dinheiro com os custos das minhas operações? Ela ganha dinheiro vendendo cursos para mim? Ou ela ganha dinheiro sendo trader de fato?

Além desses desafios iniciais bastante significativos, fique atento também aos que listaremos logo abaixo. Verifique com bastante frieza e racionalidade se você possui o perfil necessário para enfrentá-los e superá-los com o tempo!

O medo do erro

Um fato é incontestável: como day trader, você cometerá equívocos e perderá dinheiro. Você está preparado para lidar com isso de maneira que os erros cometidos não influenciem suas próximas decisões?

Deixar-se levar pelo medo não é, nem de longe, a atitude mais acertada para alcançar o sucesso nessa atividade.

A falta de controle sobre o mercado

No mundo do mercado financeiro, é absolutamente impossível controlar os fatores externos — você só tem o poder de controlar a si mesmo e suas decisões.

Por maiores que sejam os seus conhecimentos da área financeira e matemática, as flutuações da Bolsa de Valores são imprevisíveis e você terá de manejar essa instabilidade toda se quiser se dar bem como day trader.

Por isso, desenvolver e aprimorar sua capacidade de ser flexível e ter jogo de cintura é essencial nesse ramo. Entenda que é você quem deve-se moldar-se ao cenário externo e não o contrário.

A falta de garantias de resultados positivos

Esse é outro grande desafio a ser superado. Por maior que seja o montante de dinheiro que você possui para investir, isso não é, absolutamente, uma garantia de ganhos. Nenhum day trader, por melhor que seja, consegue evitar perdas, mesmo que elas sejam esporádicas. Eu disse esporádicas aqui apenas para ilustração. Por na realidade, as perdas serão bem frequentes e os resultados positivos é que serão esporádicos!

Acostume-se com o fato de que os resultados nesse ramo são totalmente incertos e que, para se sair bem, você deve desenvolver a capacidade de perceber seus erros em tempo hábil para agir, de modo a minimizá-los da melhor maneira possível, e ainda assim, manter-se confiante.

A autorresponsabilidade

Se existe uma profissão onde é totalmente impossível responsabilizar outra pessoa por equívocos ou perdas, essa profissão é a de day trader. Nesse ramo, o investidor é 100% responsável pelos resultados que alcança, sejam eles positivos ou negativos.

Por mais que você utilize um sistema mecânico ou que seja assessorado por alguém em suas decisões, tenha em mente de que a escolha desses auxiliares foi sua também.

Muitas vezes, desenvolver a autorresponsabilidade é um grande desafio. Afinal, é muito mais fácil e cômodo “culpar” X, Y ou Z por suas perdas financeiras. Assim, indiretamente, você não toma para si os riscos da atividade e, caso as coisas não saiam conforme o planejado, não precisará lidar com sentimentos negativos, como culpa ou frustração.

A necessidade de altos níveis de dedicação e empenho

Por mais que investidores ocasionais ou que operem na Bolsa de Valores como uma maneira de obter uma segunda fonte de renda possam ser vistos como traders, se o seu desejo é ser bem-sucedido nesse ramo e torná-lo a sua atividade principal, você terá que dedicar muito de seu tempo e energia para obter sucesso.

Pare e pense: você tem esse tempo e vontade disponíveis? Se a resposta for negativa, esse não será um bom negócio para você.

Recursos financeiros suficientes

Os recursos financeiros representam outra grande barreira para quem quer se tornar um trader.

Apesar de não exigir investimentos iniciais exorbitantemente altos para começar suas atividades como day trader, como já mencionamos anteriormente, o período de aprendizagem é longo. E, durante esse tempo, é bem pouco provável que você ganhe dinheiro suficiente para o seu sustento.

Por isso, se ser um day trader profissional é a sua meta, além do investimento inicial, você deve possuir também economias suficientes para manter o seu estilo de vida enquanto os resultados no mercado financeiro não chegam.

O ideal aqui é, antes de realmente começar a sua empreitada na Bolsa de Valores, juntar todo o capital necessário para que você possa passar pelo período inicial (que pode ser muito longo) sem maiores apertos, podendo dedicar-se exclusivamente a essa atividade.

Falta de conhecimento

Apesar de não ser possível predizer com exatidão todas as oscilações do mercado financeiro, ser um day trader de sucesso não significa apenas contar com a sorte. Muito pelo contrário!

Ter o domínio de ferramentas adequadas, que lhe permitam uma percepção acurada do que está acontecendo no mercado em determinado momento, é crucial para desenvolver e aprimorar suas percepções e feelings sobre o mercado financeiro e a Bolsa de Valores. Porém nada disso garantirá qualquer possibilidade de previsão de um próximo movimento de um ativo.

Obviamente, basear suas decisões somente em indicadores e análise técnica e de gráficos — achando que isso é o suficiente para antecipar com precisão de 100% as oscilações do mercado e, com isso, minimizar seus erros a zero — é uma grande ilusão. Mas mesmo assim, ter profundo conhecimento do mercado é uma forma bastante útil de alcançar o sucesso como day trader.

E dada a importância do conhecimento de mercado e de ferramentas de análise, no próximo tópico discutiremos mais a fundo o que é preciso saber, de fato, sobre gráficos e análise técnica para se tornar um day trader na Bolsa de Valores.

O que é preciso saber sobre gráficos e análise técnica?

Nenhum investidor em sã consciência montará sua carteira de investimentos baseado apenas em sua crença pessoal em determinadas empresas ou porque tem um grande amigo que trabalha em uma delas.

Para alcançar resultados promissores na Bolsa de Valores, é preciso conhecer o mercado e, sobretudo, saber analisar os cenários, investindo com estratégia, pois ninguém, absolutamente ninguém, pode prever o próximo movimento de um ativo de renda variável.

Hoje em dia, existem diversas escolas de análise de comportamento de mercado, sendo a análise técnica uma das mais difundidas e utilizadas por traders.

O que é a análise técnica?

De forma resumida, podemos dizer que a análise técnica (também chamada análise gráfica), é uma escola de análise do mercado financeiro que utiliza gráficos como ferramenta principal. Por meio da análise desses gráficos, teoricamente, é possível determinar o melhor momento para comprar ou vender ativos.

Além da análise gráfica, a análise técnica também se baseia em outras teorias para tentar encontrar padrões nos movimentos do mercado — como na premissa de que o mercado é o resultado da soma dos desejos, medos e expectativas das pessoas (fatores psicológicos).

Os que acreditam que determinado ativo se valorizará (compra) contra os que pensam exatamente o contrário (venda) é o que define, ao fim e ao cabo, o valor real desse ativo. E são exatamente essas manifestações que aparecem nos gráficos característicos desse tipo de análise.

A análise técnica utiliza dados gerados pelas transações, como preço e volume, levando em consideração os componentes emocionais presentes no mercado em determinado momento. Como resultado, os gráficos gerados são capazes de demonstrar a formação de tendências e determinar alvos (até onde os preços se movimentarão).

Os gráficos

De maneira geral, existem dois tipos de gráficos gerados em uma análise técnica: o gráfico de barras e o gráfico de candles.

O gráfico de barras é o formato mais popular. Através da formação de barras conforme as movimentações do pregão vão acontecendo, é possível obter diversas informações relevantes. Valores de abertura e fechamento, assim como valores máximos e mínimos em determinado período de tempo são representados nesse tipo de gráfico.

Já o gráfico de candles utiliza as mesmas informações do gráfico de barras (abertura, fechamento, máximo e mínimo) para a formação do símbolo. A diferença, entretanto, é que o gráfico candles é também dividido em duas outras partes: corpo e sombras.

A parte que representa o corpo refere-se à abertura e fechamento. Caso o valor de abertura tenha sido inferior ao fechamento (dia de alta), o corpo recebe a cor branca. Em caso contrário (dia de queda), o corpo recebe outra cor. As sombras são traços que representam os valores máximos e mínimos alcançados em determinado período de tempo.

Os gráficos intraday

Os gráficos gerados em uma análise técnica podem ter distintas periodicidades. Normalmente, são diários (equivalendo a um dia de pregão), mensais ou anuais. Entretanto, existe também uma outra classe de gráficos, denominados intraday.

Os gráficos intraday são gerados em intervalos bastante reduzidos de tempo, normalmente, de alguns minutos. Os mais comuns costumam ser de 1, 5, 15, 30 e 60 minutos. Como já era de se esperar, a análise técnica de gráficos intraday costuma ser de grande auxílio para investidores do tipo day trader.

Ao dar informações precisas e rápidas sobre valores de negociação de ações de determinada empresa em um período bastante curto de tempo, é possível determinar o surgimento de tendências e até mesmo de reversão.

Considere um home-broker

A imagem do pregão com corretores gritando com as mãos levantadas é coisa do passado. A chegada da era da informação revolucionou totalmente nossa sociedade, e no mercado de ações essa realidade não é diferente.

Hoje em dia, com o acesso amplamente expandido da internet, houve um gigantesco avanço na criação de ferramentas que permitem a realização das mais diversas atividades cotidianas de maneira remota. Para isso, basta ter um dispositivo móvel que possua acesso à internet.

E como não poderia deixar de ser, no mercado de ações, a revolução digital também chegou com tudo. Atualmente, todas as operações do ramo são feitas de maneira 100% digital.

Dentro desse contexto, os home-brokers têm ganhado a cada dia mais destaque. Foram essas plataformas que democratizaram o acesso de pessoas físicas ao mercado de ações de uma maneira, até então, inimaginável.

Surgidos na década de 1960, nos Estados Unidos, os home-brokes foram imediatamente aceitos pelo mercado financeiro, tendo popularizado-se em todo o mundo no mesmo ano de seu lançamento. No Brasil, porém, a Bolsa de Valores de São Paulo só passou a aceitar operações provenientes desse tipo de plataforma no final da década de 1990.

O que é um home-broker, afinal?

Home-brokers são plataformas online que permitem que qualquer pessoa possa comprar e vender ações sem precisar sair do conforto de sua casa. Através delas, também é possível investir em commodities, operações de câmbio e até mesmo em empresas dos Estados Unidos, através do S&P 500.

Para utilizar o sistema, é necessário somente possuir uma conta em uma corretora que esteja devidamente registrada na CMV, ter acesso a uma conexão estável de internet e, principalmente, um conhecimento sólido do funcionamento do mercado.

Quais são as funcionalidades de um home-broker?

Uma das principais vantagens de utilizar um home-broker em suas atividades como trader da Bolsa de Valores é que a grande maioria das funções da plataforma são intuitivas e não requerem um conhecimento aprofundado do sistema para que possam ser corretamente operadas. Com uma interface amigável e autoexplicativa, é possível comprar e vender ações de maneira rápida e segura.

Utilizando um home-broker, você poderá acompanhar de perto o status de todas as suas operações, além de poder, na grande maioria das plataformas existentes no mercado, ter acesso a ferramentas de “stop”, que limitam grandes perdas, e ao book de ofertas, que lista as melhores ofertas de compra e venda de determinado ativo em um momento específico.

Por fim, outra excelente funcionalidade dos home-brokers é a possibilidade de poder usufruir de um canal de atendimento direto com a sua corretora. Assim, caso surjam dúvidas, questionamentos ou a necessidade de alguma informação específica, basta utilizar a plataforma para entrar em contato com algum especialista.

Entretanto, é necessário novamente frisar que, por maiores que sejam as facilidades trazidas aos investidores com o advento do home-broker, para se obter êxito como um trader da Bolsa de Valores, é imprescindível investir tempo e ter dedicação para aprender mais sobre o assunto. O home-broker dá acesso a um mundo de possibilidades e justamente por isso, como traz muitos benefícios, já quebrou milhares de investidores que fizeram operações sem noção real dos riscos assumidos.

Apenas uma base de conhecimentos sólida e consistente é capaz de garantir que você alcance resultados positivos e possa, por fim, fazer com que o seu dinheiro trabalhe para você, se tornando um trader na bolsa de valores — vivendo de renda e trabalhando de qualquer lugar do mundo!

Escrevi esse artigo com o intuito de falar um pouco desse mundo e da sedução que ele pode trazer aos investidores iniciantes. Porém, o fato é que é muito difícil encontrar pessoas que conseguem viver de operações de day-trade obtendo ganhos com regularidade. Até porque a renda variável, como o nome diz, é variável e por isso vai variar nos terrenos negativos e positivos.

Você gostou desse conteúdo? Acha que ele foi relevante e útil para você? Então não deixe de compartilhá-lo em suas redes sociais! Dessa maneira, você contribui para que esse conhecimento chegue a mais pessoas interessadas nesse assunto!

Um grande abraço,

André Bona

Autor

André Bona

André Bona possui mais de 10 anos de experiência no mercado financeiro, tendo auxiliado milhares de investidores a investir melhor seus recursos e é o criador do Blog de Valor - site de educação financeira independente.

shadow

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *