Vamos lá, mais uma semaninha…

Semana passada comentei que Petróleo, Commodities e os mercados emergentes guardam uma relação… ainda que não perfeita, tal correl se faz presente em prazos maiores…e ainda, que no curto prazo estávamos vendo o petróleo voar, o índice de commodities subindo timidamente e as bolsas de emergentes pouco reagindo. Pois bem, semana passada o gap entre eles começou a fechar…. não que tenha que fechar totalmente, mas penso sim que essas coisas não andam descorrelacionadas infinitamente… as setas rosas mostram onde estávamos semana passada.

Sim nossa bolsa subiu semana passada e com volume o que deixou muita gente animada, não é mesmo? Well a mim nem tanto …  coisa da minha carteira… faz parta… comento no post da Carteira Will

Mas na minha opinião essa alegria com o IBOV em alta foi de poucos…mais especificamente os comprados em PETR e nas empresas de materiais básicos…as commodities…sempre elas! Esse gráfico (~12 meses) bem carnavalesco aí de baixo compara o IBOVespão da massa com os índices setoriais. Fica claro o que puxou o IBOV, não é mesmo?

O que me preocupa nisso é a qualidade dessa alta…ou da sustentação do IBOV. É reflexo da economia, não tem jeito! Sem a economia andar o setor elétrico (linha verde) fica a mercê de novidades regulatórias? Varejo começa dar sinais de que está patinando (linha rosa parada) ….serviços nem engrenou…setor de construção ainda esta esperando alguma melhora (lá se vai a linha vermelha ladeira abaixo)…o setor financeiro sempre ganha dinheiro, apesar da falta de crescimento que se espera esse ano (linha laranja).

Fica meio que um samba de uma nota só sabe… e diferentemente da música do gênio Tom Jobim e Newton Mendonça, essa não é das mais legais. Mas enfim. 

No mais, os juros longos (azul) e curtos (vermelho) seguiram apontando para cima…algo não muito agradável.

E pra ajudar nesse mood não muito positivo o dólar seguiu sua trajetória de alta… abaixo o gráfico do USD/Real (linha verde) que seguiu para cima, apesar do índice dólar (linhas vermelha) que compara a moeda americana com outras moedas, ter apresentado realização.

Sobre o dólar, me chamou atenção esse gráfico abaixo. Segundo ele, ainda tem muita gente “short” (vendida) em dólar. A linha azul mostra a posição líquida em contratos de dólar e as barras a alocação em diferentes moedas (destaque para Euro e o Pound). 3 implicações aqui: (i) ou esses caras vão se zerar, comprando dólar e a moeda americana vai seguir se valorizando contra as demais; (ii) ou mais gente vai vender dólar e eles terão chance de ganhar… […]

 

Leia o texto na íntegra no blog BUGG – Análises Econômicas e de Investimentos, de William Castro Alves.

Autor

William Castro Alves

Economista pela UFRGS, iniciou sua carreira em 2004 na Solidus Corretora, tendo passado pelo Koliver Merchant Bank e Banco Alfa. Atuou como analista de Investimento na XP e responsável pelas gestão das Carteiras Recomendadas.

shadow

Posts relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *