Tônica da Semana: O que o yield americano tem a ver com seus investimentos?

Bom dia srs e sras! Estou em trânsito novamente. Essa vida de cigano não é mole!! Mas estou voltando para Inglaterra hoje, pois a saudade da esposa e da minha filhota já não cabe no peito.

Promessa é dívida…Prometo que no meio da semana dou minha opinião sobre o IPO de BMG … vou fazer um postar aqui  … lembro que é só mais uma opinião em meio a diversas outras.

 

O QUE PESOU NO MERCADO

Semana passada postei “Papai Noel chegando mais cedo?” … quem leu sabe que não acredito no velinho, ainda mais vestindo vermelho né! Pois então…tivemos 3 fatores explicam o que pesa no mercado:

  1. Mercado passa a duvidar da capacidade ou vibiabilidade de um acordo efetivo entre China e EUA para acabar com a guerra comercial.
  2. A diretora da Huawei foi presa no Canadá, a pedido dos EUA, algo que irrita os chineses e põe banho de água fria na aparente trégua entre os 2 países.
  3. A curva de yield americano inverte e os ursos voltam ao mercado chamando atenção para uma recessão na economia americana, em algum momento lá na frente.

 

INVERSÃO DA CURVA DE YIELD AMERICANA E SEUS INVESTIMENTOS

Primeiro acho que vale comentar o terceiro ponto: que raios é isso de inversão da curva de yield e porque é ruim? 

De forma simples…quando as taxas de juros de curto prazo ficam mais altas que as taxas de longo prazo!

O gráfico abaixo foi o foco do mercado na semana passada. Nele você tem o diferencial de taxa entre os títulos americanos de 5 anos e 2 anos. É um menos o outro mesmo.

É normal que títulos mais longos paguem uma taxa maior para compensar ao investidor o maior risco. Pense você qual seria a taxa de juros que você cobraria para um empréstimo de 1 ano? Agora se fosse um empréstimo de 5 anos?  Maio prazo –> maior risco –> maior taxa…simples assim. Só que o que aconteceu na semana passada foi que as taxas de 5 anos passaram a ser menores que as de 2 anos, o que parece não fazer muito sentido não é mesmo? Sim, há menos que tenha alguma M…ali na frente que jogue a economia para o buraco … ora uma numa economia em recessão o Banco Central age e joga as taxas de juros no chão pra tentar estimular a economia.

Então em suma é: mercado não tem acreditado que a economia americana seguirá pujante e vê sinais de perigo na frente. Ahh e só pra não deixar passar batido, o diferencial de taxas de 10 anos e 2 anos também está perto de inverter

Bom e o que pesa ainda mais é que olhando o passado, esse fato (a inversão da curva) foi um bom preditor de recessões nos EUA. No gráfico abaixo marquei com círculos vermelhos o quando isso aconteceu. Veja que logo o spread de taxas (diferencial) voltam a subir em resposta a uma grave crise que joga o país em recessão (areas cinzas do gráfico).

Outra consequência desse movimento de inversão da curva, e também reflexo de um cenário de medo de uma crise, é o aumento da volatilidade em termos gerais do mercado. Gráfico abaixo tenta mostrar isso. A linha vermelha é o diferencial de taxas (eixo invertido) e em azul a média do VIX que é um índice de volatilidade.

Volatilidade não necessariamente é algo ruim, mas indica que o cidadão terá que ter mais estômago para investir em ações.

Então a questão central que se colocou no mercado é: estamos a beira de uma grande crise na economia americana…se de fato a maior economia do mundo sofrer, todos sofremos…logo os ativos de maior risco como ações sofrem…

 

RAY DALIO E A BOMBA RELÓGIO

Sobre esse assunto, Ray Dalio, o gestor do maior hedge fund do mundo prevê que em 2 anos teremos uma crise nos EUA e ela será advinda do descontrole fiscal das contas públicas americanas….ele inclusive levanta uma polêmica de que o Dólar como reserva de valor perderia espaço …será??

A matéria do Samour é interessante…segue o link abaixo:

“Bomba-relógio”: as previsões de Ray Dalio sobre a próxima crise…

Leia: https://braziljournal.com/bomba-relogio-as-previsoes-de-ray-dalio-sobre-a-proxima-crise

Isso deu o que falar nos EUA e ajudou ele a vender seu livro…rs. Argumentos bons…agora uma crise em 2 anos? E pra isso não precisa ele falar…tem gente que calcula índices de probabilidade de recessão…abaixo um gráfico da Oxford Economics mostrando que sim, de fato a probabilidade vem aumentando, mas que ainda esta em nível baixo quando comparamos a …[…]

 

Leia o texto na íntegra no blog BUGG – Análises Econômicas e de Investimentos, de William Castro Alves.

Autor

William Castro Alves

Economista pela UFRGS, iniciou sua carreira em 2004 na Solidus Corretora, tendo passado pelo Koliver Merchant Bank e Banco Alfa. Atuou como analista de Investimento na XP e responsável pelas gestão das Carteiras Recomendadas.

shadow

Posts relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *