Pessoas que desejam conquistar a independência financeira sempre se perguntam: como acumular patrimônio?

Talvez você não saiba que uma das formas de alcançar essa meta é aumentando seu número de bens, sejam eles móveis, imóveis ou ativos financeiros. Constituir um patrimônio sólido é o primeiro passo em direção à tão sonhada liberdade financeira.

Foi pensando nisso que resolvi escrever este artigo. Vou mostrar do que se trata e como acumular patrimônio com 7 dicas muito simples (porém extremamente valiosas!) que ajudarão você nessa empolgante jornada rumo ao sucesso financeiro. Confira!

O que é acúmulo de patrimônio?

De modo direto, acumular patrimônio significa reunir o máximo de bens (móveis, imóveis ou ativos financeiros) em um determinado período de tempo. Para que você entenda melhor todo o conteúdo deste post, vou definir como bens tudo o que a pessoa possui.

Casas, carros, terrenos, dinheiro em poupança ou aplicado em algum tipo de investimento e ações são alguns exemplos. Acumular um patrimônio que o leve à tão sonhada independência financeira requer a combinação de dois fatores: poupar e investir.

Portanto, ao mesmo tempo em que você economiza e poupa o dinheiro que recebe como fruto de seu trabalho, também deve utilizar esse valor para buscar por investimentos que contribuam para o crescimento de seu patrimônio. Além disso, você deve seguir uma série de recomendações. Começarei a descrevê-las no próximo tópico.

Como acumular patrimônio?

1. Eliminando as dívidas ao máximo

Decidi falar sobre as dívidas no primeiro tópico porque elas são as principais vilãs de quem deseja acumular patrimônio. Há quem passe toda a vida endividado, sempre assumindo compromissos com bancos, lojas ou instituições financeiras.

Não estou afirmando que você não deva contrair dívidas. No entanto, é preciso cuidado extremo ao entrar em qualquer tipo de parcelamento, mesmo que as taxas de juros pareçam muito atrativas.

Uma despesa minimamente aceitável é o financiamento imobiliário. Isso porque muitas pessoas sonham em adquirir a casa própria — e uma das formas de alcançar tal meta é recorrendo a esse produto, disponibilizado por alguns bancos.

Além disso, o imóvel adquirido ao fim do parcelamento será considerado um patrimônio. Portanto, livre-se das dívidas, em primeiro lugar, e tome cuidado para não contrair outros compromissos financeiros futuramente, salvo quando realmente for necessário.

2. Investindo com foco no longo prazo

Aplicar seu dinheiro em ativos de longo prazo só trará benefícios. Dentre as vantagens, posso destacar que não é necessário analisar frequentemente os investimentos e, além disso, você poderá pagar menos impostos e ter maior rentabilidade em suas aplicações.

Porém, para que o investimento constitua um bom patrimônio, será preciso escolher bons ativos. Não adianta optar por um investimento de longo prazo, no qual a quantia ficará aplicada por um bom tempo sem a necessidade de análises aprofundadas e cálculos financeiros, se o ativo não tiver uma boa rentabilidade.

Os maiores investidores do mundo sempre exaltaram os investimentos de longo prazo. Quanto mais tempo os valores permanecerem investidos, maior costuma ser sua rentabilidade.

3. Variando os investimentos

Há uma frase muito utilizada no mercado de investimentos: “não coloque todos os ovos em uma única cesta, pois, se ela cair, todos quebrarão”. Essa lógica pode ser adotada em qualquer tipo de aplicação que você fizer.

Portanto, nunca direcione todo o seu dinheiro a um único investimento. Se o ativo se perder ou começar a dar prejuízo, todo o recurso aplicado será perdido.

Sendo assim, a diversificação de investimentos é um passo importantíssimo para o acúmulo de patrimônio. Se for investir em algum produto financeiro disponível no Brasil, alterne a sua carteira entre aplicações de renda fixa e variável, por exemplo.

Se pretende priorizar ações, nunca aplique toda a quantia que possui em ativos de uma única empresa. Já se deseja investir em imóveis, adquira vários de menor valor em vez de um único mais caro. Por fim, busque a variação de investimentos sempre. Lembre-se: nunca coloque todos os seus ovos em uma única cesta.

4. Produzindo renda passiva

Renda passiva é, basicamente, colocar o seu dinheiro para trabalhar para você — e não o contrário. Em outras palavras, investir nessa modalidade é adquirir ativos que gerem retornos financeiros sem que seja preciso trabalhar para isso.

Uma forma clássica de renda passiva é a aquisição de imóveis para disponibilizá-los para aluguel. Outro exemplo é a rentabilidade de títulos públicos, ou até mesmo os dividendos pagos referentes aos investimentos em ações.

5. Investindo seus próprios recursos

A primeira dica que citamos aqui neste artigo para acumular patrimônio foi se livrar das dívidas — e este tópico tem certa relação com o assunto. Existem pessoas, claramente desinformadas, que contraem empréstimos ou financiamentos para investir o dinheiro adquirido.

Nem é preciso mencionar que isso é altamente condenável! Você deve investir o seu próprio dinheiro: aquele obtido pelo seu trabalho ou gerado de algum investimento que tenha realizado.

Jamais invista recursos provenientes de uma dívida, até porque grande parte dos ganhos (caso eles ocorram) deve ser destinada ao pagamento da dívida contraída. Além disso, você correrá o risco de o ativo não gerar o retorno esperado e de ter que arcar com os prejuízos dos valores perdidos.

6. Reduzindo os gastos diários

No início deste artigo também mencionamos que o acúmulo de patrimônio se dá por dois fatores — e poupar é um deles. Sendo assim, a nossa 6ª dica é sobre redução de gastos diários.

Elabore uma planilha com todas as suas despesas, descrevendo cada centavo, desde aquelas pequenas compras até valores maiores. Feito isso, verifique quais gastos são desnecessários e simplesmente elimine-os da sua vida.

7. Criando o hábito de juntar dinheiro

Além de reduzir os gastos diários, você deve criar o hábito de juntar dinheiro para, com o passar do tempo, formar o seu patrimônio. Faça um planejamento para a aquisição de um bem e reserve uma quantia mensal em uma conta poupança ou algum tipo de aplicação de resgate imediato (mais recomendável).

Fazendo isso, em alguns anos você terá o seu patrimônio constituído e gozará dos benefícios da tão sonhada e desejada liberdade financeira.

Gostou deste artigo sobre como acumular patrimônio? Agora que você entendeu esses conceitos, que tal assistir a um vídeo sobre a diferença entre ganhar dinheiro e acumular riquezas? Saber diferenciá-los fará toda a diferença para sua liberdade financeira!

Autor

Redação Blog de Valor

O Blog de Valor é um site de educação financeira independente com a missão de auxiliar pessoas e famílias a melhor compreender o mercado financeiro e os seus produtos. Assine nossa newsletter!

shadow

Posts relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *