A população brasileira está se interessando, cada vez mais, por investimentos. Antigamente, a caderneta de poupança era a principal fonte de aplicação, mas atualmente existem inúmeras modalidades para se investir.

CDBs, Títulos do Tesouro Direto, CDI, LCA, entre outros. Pode-se dizer, inclusive, que o mercado de investimentos está passando por uma grande revolução de produtos e de opções de investimento.

Um novo produto que foi lançado no mercado recentemente foi o COE (Certificado de Operações Estruturadas). Já existem diversas informações disponíveis, até mesmo pessoas falando que essa modalidade é uma excelente maneira de “tomar pinga e não ter ressaca”.

Mas você sabe o que são as operações estruturadas? Continue a leitura deste artigo e descubra como funciona as operações estruturadas e quais são suas principais características!

O que é são as operações estruturadas?

As operações estruturadas são a combinação de dois ou mais dispositivos financeiros. Seu principal objetivo é aproveitar as oportunidades para maximizar ganhos futuros ou para proteger seus investimentos de riscos existentes.

As operações estruturadas são capazes de permitir que o investidor se beneficie da alta de um ativo, bolsa, dólar ou juros, evitando elevados riscos de perda do montante principal. Existem, ainda, algumas opções que permitem que o investidor ganhe muito mais do que a simples variação dos juros no período.

É possível, também, a junção de vários derivativos para a criação de investimentos que levam em consideração a proteção de seu dinheiro e a sua rentabilidade. Dessa forma, o investidor pode diversificar sua carteira de investimentos, aumentando a rentabilidade de seus ativos.

Como funciona?

O investimento em operações estruturadas pode ser feito por meio de um COE. Para emitir um COE, a instituição financeira cria alguns cenários, simulando o desempenho de um ativo. Dessa forma, a rentabilidade é sempre atrelada a uma determinada cotação.

Pode-se escolher o índice Bovespa, a variação cambial do dólar, índices de bolsas estrangeiras e, até mesmo, ações de empresas. Assim, afirma-se que as perdas nesse investimento são limitadas, bem como os seus ganhos.

É possível saber qual será o rendimento do seu dinheiro, no momento da aplicação. Por exemplo, se você investir em um COE na modalidade Valor Nominal Protegido indexado ao dólar, com limite de rentabilidade de 10% e, no vencimento do contrato, a moeda subir 20%, você receberá todo o dinheiro investido mais 10% de rentabilidade, como determinado.

Mas, caso a moeda apresentasse variações negativas, você receberia apenas o montante investido, sem perdas ou ganhos.

Exemplo

Para facilitar o entendimento, um exemplo pode ser de grande valia. Imagine que, devido à conjuntura mundial, você acredita que o índice Bovespa subirá. Mas você já possui outros investimentos e não deseja arriscar seu montante na Bolsa de Valores.

Assim, a melhor opção pode ser fazer uma aposta limitada, adquirindo um Certificado de Operações Estruturadas atrelado à Bovespa.

O que é o Certificado COE?

O Certificado COE é um dos tipos de operações estruturadas disponíveis no mercado. Existem diversos tipos de operações que também são consideradas operações estruturadas. O COE se tornou mais famoso pelo fato das instituições financeiras serem as responsáveis por oferecerem essa modalidade aos clientes.

Deve-se ressaltar que no caso de COE, os emissores combinam títulos de renda fixa, ações e outras opções, passando para o investidor qual será a rentabilidade, o prazo de investimento e o risco máximo que o investidor terá de correr, que, geralmente, é muito baixo.

Vale lembrar ainda que, no Brasil, a emissão dos COEs podem ser feitas em duas modalidades: Valor Nominal Protegido, no qual o valor principal investido está garantido, e Valor Nominal em Risco, no qual há a possibilidade de perda até o limite do capital investido.

Qual o perfil do investidor?

Independentemente de qual seja o tipo de investimento, é imprescindível ter ciência do perfil de investidor. Saber se aquele investimento se adéqua às suas características e particularidades como um investidor pode ser fundamental para o sucesso da aplicação e, também, para a busca de seus objetivos.

O investidor que se interessar pelas operações estruturadas precisa ter uma tolerância moderada ao risco. Seus ativos podem apresentar excelentes taxas de rentabilidade, bem acima das opções de renda fixa, por exemplo. Mas, em contrapartida, podem não render nada, considerando o pior cenário possível.

Consequentemente, é interessante que o investidor possua outros investimentos. Esses devem conter boa liquidez e certa garantia de rentabilidade. Em outras palavras, o investimento em COE é interessante, mas para um determinado perfil de investidor.

Você deve buscar por rentabilidades superiores à renda fixa e, ainda, conseguir diversificar suas aplicações. Porém, não é aconselhado partir para investimentos mais complicados e arriscados, como é o caso do mercado de ações.

Quais as vantagens de se investir em operações estruturadas?

A principal vantagem de optar pelo investimento em operações estruturadas é poder participar de novos mercados, que contêm oportunidades únicas. Portanto, esse investimento é uma excelente opção para a sua carteira de investimentos, principalmente por sua grande variação.

Vale destacar ainda que alguns ativos são demasiadamente complexos e arriscados. Mas no investimento em operações estruturadas é possível garantir que não ocorra prejuízos para o investidor.

Além disso, não é necessário acompanhar todo o mercado diariamente. Analisando apenas alguns indicadores será suficiente para garantir que o seu dinheiro esteja protegido de indexadores negativos. Fantástico, não é mesmo?

Assim, afirma-se que esse tipo de investimento pode ser um impulso, um incentivo para que você comece a buscar novas opções em mercados mais competitivos e mais complexos.

Finalmente, como investir em operações estruturadas?

Investir em operações estruturadas é simples e fácil. Primeiramente, você precisa abrir uma conta em uma corretora confiável. Após o processo de abertura de conta, você precisa escolher o tipo de COE e, também, seu indexador.

Lembre-se: é importante observar todas as variáveis, como o teto máximo, o prazo de validade e o montante a ser investido. Confira também o DIE (Documento de Informações Essenciais), que deve ser entregue pelo distribuidor do COE.

O DIE pode ser de forma digital ou física, sendo nada mais do que um resumo com todas as informações necessárias para o investimento.

As operações estruturadas são uma nova modalidade de investimento disponível no mercado. A tendência é que ela se torne cada vez mais comum no mundo dos investimentos.

E aí, o que achou do nosso artigo? Entendeu o que são operações estruturadas? Então assine nossa newsletter e fique por dentro de todas as nossas atualizações!

Autor

André Bona

André Bona possui mais de 10 anos de experiência no mercado financeiro, tendo auxiliado milhares de investidores a investir melhor seus recursos e é o criador do Blog de Valor - site de educação financeira independente.

shadow

Posts relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *