*Este artigo foi produzido pelo portal Chaves na Mão com exclusividade para o Blog de Valor.

 

A locação de um imóvel envolve uma série de documentos, trâmites e burocracia. Por conta disso, muitas pessoas optam por alugar um imóvel direto com o proprietário. Essa é uma modalidade prevista na legislação, mas que faz necessária cautela para evitar incômodos no futuro.

Isso acontece porque é uma transação feita sem intermediários, ou seja, profissionais capacitados e com vivência no mercado imobiliário. Ainda assim, se você quer encontrar casas para alugar em Curitiba e outras regiões do país direto com o proprietário, saiba que é possível ter sucesso e fechar um negócio satisfatório direto com o proprietário, mas alguns detalhes exigem atenção.

Se você quer saber como alugar uma casa ou apartamento direto com o proprietário e de forma segura, fique atento ao post que preparamos para você. Confira!

Tenha atenção ao contrato de locação

O contrato é uma das peças mais importantes de uma transação financeira, e em uma locação isso não é diferente. Esse é o documento que vai assegurar às partes que todos os direitos e deveres serão cumpridos, ou estarão sujeitos a multas e sanções.

Tenha cautela na hora de elaborar o contrato de locação. Os corretores de imóveis e as imobiliárias já sabem de todos os detalhes que devem constar no documento, mas como fazem os meros mortais?

A tarefa pode parecer complexa, mas é possível. Esteja certo de que o contrato prevê as datas de início e fim da locação, os valores mensais, o índice e a periodicidade de reajuste e as taxas que devem ser pagas pelo locatário.

Também garanta que o documento preveja situações de inadimplência, desistência do contrato e até deterioração do imóvel durante a vigência do contrato.

Esses detalhes asseguram locador e locatário que ninguém deverá arcar com nada que não é de sua responsabilidade.

Conheça seus deveres

Um contrato de locação é protegido pela Lei do Inquilinato, que também elenca as principais responsabilidades de um inquilino.

Se você pretende alugar um imóvel, saiba que é sua obrigação entregá-lo nas mesmas condições de conservação em que ele estava quando as chaves lhe foram entregues. Por isso, se o imóvel exige que a pintura seja renovada, que algum vidro seja trocado ou que a fiação seja consertada, o inquilino deve providenciar os reparos.

Também é obrigação do locatário pagar o aluguel em dia e ficar responsável por contas de água, energia elétrica, IPTU (Imposto Predial e Territorial Urbano) e taxas condominiais.

Esses detalhes de uma propriedade estão incluídos no documento de vistoria. Falaremos dele a seguir.

Faça uma vistoria completa no imóvel

O documento de vistoria detalhe para locador e locatário a situação do imóvel assim que ele é entregue ao inquilino.

No papel devem constar o estado de conservação da pintura, dos vidros das janelas, dos azulejos e dos demais revestimentos distribuídos pela casa.

Também é necessário testar torneiras, chuveiros e tomadas a fim de identificar qualquer vazamento ou problema que esses itens apresentem.

Não deixe de olhar os armários com atenção. Abra todas as portas e diagnostique eventuais danos que eles podem apresentar. Nessa hora, convém ficar atento à presença de cupins e brocas, que podem minar todo um móvel.

Para que o documento de vistoria seja ainda mais assertivo, registre todos os detalhes com fotos. Dessa forma, fica mais fácil argumentar no caso de haver divergências ao final do contrato.

Nessa hora pode ser conveniente que você contrate um profissional especializado em vistoria de imóveis. Essas pessoas têm a experiência necessária para não deixar nenhum detalhe passar despercebido.

Ainda que você queira uma kitnet para alugar em Curitiba ou qualquer outra cidade, é necessário fazer uma vistoria completa, independentemente da metragem do imóvel.

Inclua as garantias locatícias no contrato

Por mais que seu contrato seja feito direto com o proprietário, ele provavelmente vai exigir uma das garantias permitidas pela Lei do Inquilinato.

Uma das modalidades de garantia é a de fiador, que deve ser uma pessoa com imóvel quitado e que ficará responsável por suas dívidas em caso de inadimplência. Entretanto, muitas pessoas veem essa garantia como a mais constrangedora das opções e, com alguma conversa, conseguem convencer o proprietário a rever outras garantias.

Outra opção é o depósito caução. Nessa modalidade, locador e locatário abrem uma poupança e o inquilino fica responsável por depositar um valor. Esse dinheiro garantirá que o proprietário não sairá no prejuízo. Em geral esse valor é de três vezes o aluguel.

Existem também o título de capitalização, que pode chegar a até dez vezes o valor da locação, e o seguro-fiança. Esse último é um seguro contratado e pago pelo inquilino. A seguradora se compromete a não deixar o proprietário sem receber o aluguel, mas não libera o locatário da dívida adquirida.

Garanta que o contrato preveja uma única modalidade de garantia locatícia, já que duas ou mais é prática proibida por lei.

Mantenha uma relação harmoniosa com o proprietário

Brigas e desavenças são maléficas a qualquer relacionamento. Por isso, procure manter a calma, a cordialidade e a harmonia em suas conversas com o proprietário.

É importante evitar discussões a respeito de atrasos no aluguel e no pagamento das contas. Lembre-se de que o contrato de locação direto com o proprietário é coisa séria, mesmo sem a intermediação de um corretor ou uma imobiliária.

A harmonia no relacionamento entre vocês pode ser extremamente benéfica. Caso você passe por dificuldades financeiras ou precise argumentar a respeito do reajuste, será mais fácil o locador ouvir uma pessoa que sempre lhe tratou com educação e respeito.

É importante, também, você cuidar do imóvel. A locação nada mais é do que o usufruto de um bem de outra pessoa, por isso, seja cuidadoso.

No caso de apartamentos para alugar em Curitiba e outros locais do país direto com o proprietário, vale a pena respeitar sempre as normas do prédio, quando for o caso, evitando que sua reputação seja abalada.

Alugar imóvel direto direto com o proprietário pode ser um aluguel tão protegido quanto um contrato feito por profissionais. Por isso, é importante que as duas partes se comprometam a cumprir com as suas obrigações e deveres.

E você? Conhece alguém que precise alugar imóvel direto com o proprietário e quer ajudá-lo a se proteger? Então compartilhe esse post nas suas redes sociais e ajude-o a fazer um contrato seguro!

 

*O Chaves na Mão é um portal de classificados online de imóveis e veículos. Fundado em 2013 e sediado na cidade de Curitiba (PR), o site tem como objetivo ajudar as pessoas a encontrar seu novo imóvel ou veículo com mais facilidade no dia a dia.

Autor

Autor Convidado

Este artigo foi produzido por um autor parceiro e/ou convidado do Blog e Valor, com a finalidade de compartilhar suas opiniões sobre temas diversos e contribuir com o site.

shadow

Posts relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *