Confira os principais destaques da economia e do mercado financeiro na última semana e acompanhe os próximos eventos econômicos e políticos desta semana:


Política e Mercado Financeiro

 

MANOBRAS NA RETA FINAL

O presidente Michel Temer reuniu-se com aliados no último domingo (30), a fim de fazer uma contagem de votos ao seu favor em relação à análise da denúncia contra ele, que será realizada na Câmara nesta semana. São necessários 342 votos para que a denúncia por corrupção passiva contra o presidente prossiga no STF – o que resultaria em um afastamento imediato de Temer da presidência por até 180 dias.

SELIC EM UM DÍGITO

O Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central decidiu reduzir a taxa Selic pela sétima vez consecutiva, na última quarta-feira (26). Com o corte de 1 ponto percentual, a Selic chega a um único digito pela primeira vez em mais de quatro anos, passando de 10,25% para 9,25% ao ano.

POUCO A COMEMORAR

O desemprego no Brasil ficou em 13% no segundo trimestre do ano, de acordo com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Segundo a pesquisa do instituto, havia 13,5 milhões de desempregados no país no período – um recuo de 0,7 ponto percentual em relação ao trimestre anterior.

EM QUEDA

O dólar fechou a última semana em queda de 0,68%, encerrando em R$ 3,13 na sessão de sexta-feira. No mês, a queda da moeda norte-americana sobre o real já chega a 5,38%.

EM ALTA

O índice Ibovespa terminou a semana passada com ganhos de 0,34%, a 65.497, impulsionado pela divulgação de diversos resultados corporativos trimestrais. Na semana, o Ibovespa acumulou alta de 1,25%.

 

Seu bolso

REVISÃO DE ÚLTIMA HORA

O Governo decidiu revisar, no final da semana passada, o aumento do tributo sobre o etanol, em vigor desde a semana passada. A partir desta semana, o aumento dos impostos sobre o combustível será de R$ 0,11 o litro, ante R$ 0,19 divulgado na semana passada – uma revisão de R$ 0,08 para baixo.

MIGALHA QUE ALIVIA O BOLSO

No cenário atual de aumento de impostos, a notícia do recuo do aumento do imposto para etanol acaba sendo positiva para o consumidor que pode abastecer com o combustível, uma vez que o etanol ficará mais competitivo em relação à gasolina.

PESO NO ORÇAMENTO

Após o aumento dos impostos sobre os combustíveis, o preço médio do litro da gasolina subiu 8,22% nas bombas brasileiras, de acordo com a Agência Nacional de Petróleo (ANP). O reajuste dos impostos coincidiu com a elevação dos preços nas refinarias, que subiu 3,91%.

PRAZO TERMINA HOJE

Hoje é o último dia para efetuar o saque das contas inativas do FGTS na Caixa Econômica Federal. Mais de 5 milhões de pessoas ainda não sacaram o dinheiro do qual têm direito. Se você tem direito ao saque e ainda não realizou a retirada do benefício, é melhor se apressar.

13º SALÁRIO EM FOCO

O Governo informou, na semana passada, que efetuará o pagamento da primeira parcela do 13º salário a pensionistas e aposentados a partir do dia 25 de agosto. Quem começou a receber o benefício neste ano receberá um valor proporcional ao período. A segunda parcela do 13º salário será paga entre os meses de novembro e dezembro.

MAIS COBRANÇAS

A Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) informou, na última sexta-feira (28), que as contas de luz do mês de agosto terão cobrança extra. Segundo a agência, a falta de chuvas fará com que a bandeira vermelha vigore no mês, resultando na cobrança adicional de R$ 3 para cada 100kWh de energia consumidos.

 

Internacional

EUA EM ALTA

O PIB dos Estados Unidos cresceu 2,6% no segundo trimestre deste ano, de acordo com dados divulgados na última sexta-feira (28) pelo Departamento de Comércio norte-americano. Os destaques do período ficaram por conta do aumento do consumo por parte da população e do crescimento dos investimentos em equipamentos e maquinários por parte das empresas.

CAOS NA VENEZUELA

O Brasil foi um dos países que pediu, no último domingo (30), a suspensão da votação da Constituinte na Venezuela, que havia sido rejeitada em plebiscito no dia 16 de julho. Países como os EUA, México, Chile, entre outros, também emitiram declarações desaprovando a situação venezuelana.

 

O que vem por aí

FIM DO RECESSO

A Câmara e o Senado voltam do recesso na próxima terça-feira (1). Mais de 20 medidas provisórias estão aguardando para serem inseridas na pauta de votações, sendo 14 delas em regime de urgência. A análise da denúncia de corrupção envolvendo o presidente Temer também está marcada para esta semana.

DE VOLTA AO TRABALHO?

Apesar da movimentação em Brasília, parlamentares da base aliada acreditam, no entanto, que não haverá quórum para votar a denúncia contra Temer na próxima quarta-feira (2), o que resultaria no adiamento da votação em plenário.

Autor

Luana Neves

Jornalista e redatora. Atuou como editora de Economia no Jornal DG e Revista Quem é Quem - Economia, assinou por três anos coluna diária de Economia e já produziu conteúdo para diversos portais de notícias do Brasil.

shadow

Posts relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *