Olá!

O crédito tem apresentado nos últimos anos taxas de crescimento históricas em nosso país. Trata-se de um dos pilares do modelo de desenvolvimento econômico atual capitalista, onde a sua expansão permita às pessoas consumirem mais produtos e serviços, gerando aumento de produção nas empresas e conseqüente aumento no nível de emprego e renda… e mais crédito e mais produção e mais renda e mais crédito… e assim vai girando o ciclo. Obviamente isso só pode ser sustentado por contínuo crescimento econômico do país.

No entanto, saber utilizar as linhas de crédito pode fazer uma grande diferença entre o sucesso e o fracasso financeiro pessoal.

Os juros do crédito

Para o mercado financeiro, o custo do juros do crédito caminha, entre outras coisas, de mãos dadas com o risco que o tomador possui de não honrar com o seu compromisso. Importante frisar que esse risco não é somente avaliado no aspecto do caráter. Esse, sem dúvida, é um dos itens, mas não é o único. Alguns bancos usam 7 fatores de avaliação de risco na concessão de crédito. Uma pessoa que possua uma profissão de alta periculosidade, por exemplo, pode possuir excelente caráter, ser organizado financeiramente mas, se corre risco de morte em sua atividade profissional, pode deixar um rombo para o banco, em caso de óbito.

E porque as taxas de juros são tão diferentes entre as linhas de crédito?

Além dos aspectos que influenciam no risco, existe o componente relacionado à urgência do crédito. E essa urgência fica evidenciada justamente na forma como uma pessoa contrata uma linha de crédito, podendo representar mais ou menos risco. Uma pessoa organizada e racional utiliza linhas de crédito mais baratas, pois se planeja para isso. Uma pessoa desorganizada financeiramente, normalmente, gasta rios de dinheiro com juros.

Cartão de crédito

O cartão de crédito é uma linha de crédito que pode ser a mais BARATA e também a mais CARA para o consumidor. Se o usuário utiliza o seu limite de cartão e paga sua fatura de forma integral na data do vencimento, será a mais barata. Neste caso, ele está demonstrando ser organizado financeiramente e cumpridor do seu compromisso e por isso tem a sua disposição essa linha de crédito totalmente SEM JUROS.

Crédito direto ao consumidor (CDC)

Os CDCs podem possuir taxas de juros variadas. Os CDCs consignados, por exemplo, representam uma boa garantia aos bancos, pois são descontados em folha. Dessa forma, uma eventual desorganização financeira do indivíduo não compromete o risco da operação. Já outras modalidades de CDC, em caso de descontrole financeiro ou situações de urgência do tomador, podem gerar inadimplência para o banco.

Se um cliente possui a disposição duas linhas de CDC, sendo uma com uma garantia adicional que é o desconto em folha e outra onde não há essa garantia, obviamente a segunda opção terá juros mais elevado.

Financiamentos

Financiamentos são aquelas linhas de crédito com destinação específica, como aquisição de veículo, aquisição de imóvel, computadores, material de construção e etc. Essas linhas normalmente possuem juros próximos aos CDCs, podendo ser um pouco mais baixas em alguns casos. No financiamento de veículos, por exemplo, o próprio carro fica como garantia adicional da operação. É importante frisar que é uma garantia adicional e não única. Para o banco, não interessa ter que pegar o carro de volta, por exemplo. Ele quer é receber as parcelas. Então o que ele avalia mesmo é a capacidade de pagamento do tomador em função de sua renda.

Cheque especial

O limite especial da conta corrente possui a seguinte característica: o cliente simplesmente saca o dinheiro da conta, usa como quiser e não tem nenhuma previsão de devolver ao banco. Apenas os juros serão cobrados enquanto fizer uso do dinheiro. Obviamente, isso representa um risco maior para o banco do que as linhas anteriores. Dessa forma, os juros por esse crédito serão mais elevados.

Cartão de crédito rotativo

Quando um cliente faz compras no cartão de crédito e não honra com o pagamento da fatura na data e no valor correspondente ao compromisso assumido, o risco para o banco torna-se elevadíssimo, uma vez que não há compromisso estabelecido de pagamento do valor, não há garantias de desconto em folha e o cliente, de certa forma, demonstrou-se inábil com seu controle financeiro. Obviamente as causas desses imprevistos podem ser diversas, mas em todas elas o risco é mais alto. Além disso, o banco TERÁ que pagar os valores das vendas dos produtos para as lojas onde o cliente consumiu, IMPRETERIVELMENTE. Por isso, a taxa de juros do rotativo do cartão de crédito é a mais elevada do mercado.

Adequando a necessidade à linha de crédito

Se eu pretendo adquirir um carro, o ideal é que eu busque um financiamento de veículos e não o cheque especial ou um CDC. Pode ser que, se eu tiver a minha disposição duas linhas pra comparar, provavelmente, neste caso, a comparação será entre o CDC consignado e o financiamento de veículo. Se eu não tiver o CDC consignado, certamente a taxa do financiamento do veículo será a mais adequada.

Se eu pretendo adquirir uma televisão, posso usar um CDC. Ou parcelar sem juros no cartão, desde que eu pague rigorosamente na data. Mas não devo usar o cheque especial.

O cheque especial e o rotativo do cartão de crédito só deverão ser utilizados quando o indivíduo NÃO POSSUI nenhuma outra linha de crédito disponível naquele exato momento e em situações de extrema urgência, e deverá quitá-lo no MENOR PRAZO POSSÍVEL. Pode ocorrer uma situação de urgência, num final de semana, onde seja necessário usar o cheque especial e não seria possível estudar um CDC. O correto nesses casos é, na primeira oportunidade, quitar o cheque especial, MESMO QUE O CLIENTE RECORRA AO CDC.

Dessa forma, se fizermos um ranking aproximado das linhas de crédito disponíveis, dos juros mais baratos para os juros mais caros, teremos:

> Cartão de crédito – pagamento integral de fatura – JUROS ZERO!

> CDC Consignado

> Financiamento de veículos

> CDC (outros)

> Cheque especial

> Rotativo do cartão de crédito

Portanto, ao usar o crédito, verifique sempre as opções disponíveis e escolha, racionalmente, a mais adequada para você.

Um grande abraço!

André Bona

Autor

André Bona

André Bona possui mais de 10 anos de experiência no mercado financeiro, tendo auxiliado milhares de investidores a investir melhor seus recursos e é o criador do Blog de Valor - site de educação financeira independente.

shadow

Posts relacionados

Comentários

  1. Paulo César    

    Gostei das informações e estudarei esta linha econômica porquê me interessei do assunto devido a atual situação vivida no país. Obrigada. Parabéns. Paulo César.

  2. Wando    

    Oi, Bona
    Muito interessante esse tópico, obrigado pelo esclarecimento. Mas e quanto ao parcelamento da fatura do cartão de crédito? Em caso de impossibilidade do pagamento integral da fatura, vale mais a pena contratar um CDC para cobrir o que falta ou parcelar a fatura?
    Abraço
    Obrigado

  3. luciano    

    Dentre as linhas de crédito disponíveis a que possui o menor valor em custo realmente é o cartão de crédito, o problema são as anuidades, usando ou não usando possuem um custo. Há opções sem anuidade, mas com juros maiores do que os normais em caso de inadimplência.
    Todas as formas possuem custos, se não for cobrado do cliente terá custo ao lojista, então temos que usar sempre o que é mais adequado ao nosso perfil ou ao perfil do cliente.

  4. M. Castro    

    Ótimo texto, muito bem explicado e com exemplos bem práticos. Parabéns!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *