Você já deve ter percebido a quantidade de siglas que existem no mercado financeiro, não é mesmo?

Além de todos aqueles investimentos já conhecidos, como CDB, LCI e LCA, chegou a hora de você conhecer o papel da CETIP sobre seus investimentos.

A CETIP é uma instituição importante para o país e que todo investidor deveria conhecer sua atuação.Quer saber mais? Continue a leitura!

O que é a CETIP

Primeiramente vamos à sigla e um pouco de sua história: a Central de Custódia e de Liquidação Financeira de Títulos Privados, mais conhecida como CETIP, foi fundada em 1984. Inicialmente era uma organização sem fins lucrativos e suas atividades só começaram no início no ano de 1986.

Em 2008, a CETIP deixou de ser uma entidade sem fins lucrativos para se tornar uma sociedade por ações. Já em março de 2017, a CETIP se juntou à BM&FBovespa formando, assim, a B3 (Brasil, Bolsa, Balcão), 5ª maior Bolsa de Valores, em termos de valor de mercado, do mundo.

Na época, ela chegou a valer aproximadamente US$13 bilhões. Vale lembrar que, apesar da fusão, a CETIP manteve todas as suas atividades.

Essa organização beneficia tanto companhias do segmento financeiro quanto pessoas que realizam investimentos intermediados por ela. São mais de 17 mil empresas, clientes e outros participantes, como por exemplo: Corretoras de valores, Bancos, Fundos, Concessionárias, Fundações e Seguradoras.

Papel da CETIP

A CETIP é a instituição privada responsável por processar, registrar, guardar e liquidar os títulos financeiros privados que ocorrem diariamente no mercado.

Suas atividades são regulamentadas pela Comissão de Valores Mobiliários (CVM) e fiscalizadas pelo Banco Central do Brasil. A CETIP ainda conta com uma estrutura de autorregulação, que supervisiona e fiscaliza operações, atividades da própria instituição e o mercado. Resumindo isso: para verificar se tudo está em ordem.

É interessante dizer que antes da criação da CETIP, toda movimentação e liquidação financeira de títulos eram feitas fisicamente. Para se ter uma ideia, os títulos eram emitidos em papel e a liquidação financeira se dava através de cheque.

Isso feito, as liquidações eram por meio de cheques. Há quanto tempo você não usa um talão de cheques, ou já usou alguma vez na vida? CETIP aí para facilitar a vida do mercado.

Vale dizer que a CETIP é a maior câmara de ativos privados do país e a maior depositária de títulos privados de renda fixa da América Latina.

A CETIP e seus investimentos

Voltando a falar no papel da CETIP sobre os investimentos, a plataforma abriga praticamente todos os ativos de renda fixa privada do mercado brasileiro.

Aí dentro da lista de papéis e títulos que são de sua responsabilidade estão – atenção à sopa de letrinhas: Certificado de Depósito Bancário (CDB); Recibo de Depósito Bancário (RDB); Letra de Câmbio (LC); Depósito Interfinanceiro (DI); Debêntures; Letras de Crédito Imobiliário (LCI); Letra de Crédito do Agronegócio (LCA); Letra Financeira (LF); Certificado de Operações Estruturadas (COE); Cotas de Fundos; Certificado de Recebíveis Imobiliários (CRI); Certificado de Recebíveis do Agronegócio (CRA).

E a lista não para por aí: tem também Títulos Estaduais e Municipais; Certificados Financeiros do Tesouro. Créditos Securitizados da União e Títulos de Dívida Agrícola.

O papel da CETIP ainda se estende até mesmo sobre TED e DOC. Isso mesmo, aquelas duas transações que comumente fazemos quando queremos transferir dinheiro entre dois bancos, para uma outra conta ou mesmo para uma corretora quando vamos investir.

Além disso, ela é a instituição responsável por mensurar e a divulgar todos os dias a taxa CDI, indicador muito presente na vida dos investidores em renda fixa.

Importância da CETIP

Além de saber todos os ativos nos quais podemos investir e que fazem parte da responsabilidade da CETIP, é interessante notar que, por ser um agente de custódia do mercado, a CETIP garante confiança e segurança nas transações. Vamos explicar melhor como isso é feito.

Quando você decide investir num título de renda fixa, existe o emissor do título (empresas ou bancos), o vendedor do título (corretoras) e o comprador (investidor). Agora você deve estar se perguntando onde entra a CETIP, certo?

Se você compra, por exemplo, um CDB, o título não fica guardado com a corretora que efetuou a venda. Geralmente, o registro, custódia e liquidação desses ativos são realizados por um intermediário operacional. No caso do mercado brasileiro, essa função é executada justamente pela CETIP.

A CETIP faz essa ponte entre entre quem investe e as instituições que oferecem os investimentos. O investidor pode também conferir no site da CETIP se a sua ordem foi executada pela corretora. Isso dá mais transparência e confiança para o investidor.

É importante dizer que nem todas as corretoras registram os investimento na CETIP. Portanto, fique de olho onde você aplica sua grana.

E caso a corretora quebre e o site saia fora do ar, você consegue consultar seus investimento em renda fixa através do site da CETIP. O que já é um alívio e vale para se acontecer o mesmo se você investe através de algum banco.

Já a parte de devolução dos valores fica a cargo do FGC – Fundo Garantidor de Crédito, que você já conhece o papel.

*Este artigo foi produzido pelo Gorila com exclusividade para o Portal André Bona.

Autor

Robinson Dantas

Robinson Dantas é CEO do Gorila Invest e possui mais de 18 anos de experiência no mercado financeiro. Além disso, é fundador da Iporanga Investimentos, onde era responsável pela gestão de risco e membro do conselho da holding FS2. Antes, passou pelo Morgan Stanley na área de Equity Derivatives Trading em Nova Iorque.

Posts relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *