*Este artigo foi produzido pelo Gorila com exclusividade para o Portal André Bona.

 

Talvez você já tenha se perguntado de onde vem o lucro dos bancos, não é mesmo? Pois bem, essa é uma pergunta que precisa de alguns fatores para explicar. Um dos principais motivos para o tamanho do lucros dos bancos é o chamado spread bancário.

Nos noticiários de economia não é difícil encontrar esse termo que representa a diferença entre as taxas de juros pagas e cobradas. É a partir disso que as instituições financeiras faturam o lucro, depois de pagar os impostos e cobrir os custos administrativos e ligados ao risco de inadimplência.

Essa margem de ganho pode ser explicada na prática. Veja o exemplo: quando uma pessoa abre uma conta no banco, a instituição financeira fica responsável pelo dinheiro. Mas ela não deixa o dinheiro parado. Os bancos, sejam públicos ou privados, visam captar recursos com fulano e emprestá-los com juros a cicrano.

Viu só como funciona? Agora vamos ver alguns dados que traduzem bem isso.

Dados sobre o lucro

Somente em 2018, os três maiores bancos conseguiram R$ 56,951 bilhões em lucros. O líder no faturamento foi o Itaú com R$ 25,700 bilhões, seguido pelo Bradesco com R$ 19,085 bilhões e o Santander lucrou R$ 12,166 bilhões. É muita grana!

E segundo o Banco Central (BC), os motivos para esse crescimento se deve a queda no número de calotes, aumento dos ganhos com tarifas bancárias e cartões, fora a diminuição dos gastos com agências e funcionários.

Já entrando em 2019, só no primeiro trimestre Banco do Brasil, Itaú, Bradesco e Santander registraram juntos um lucro líquido de 22,3% em ações na Bolsa de Valores de São Paulo somando R$ 19,95 bilhões. E na comparação com o quarto trimestre de 2018, a soma dos lucros dos quatro bancos relacionados acima apontaram alta de 8,3%.

Uma das maiores receitas destas instituições é a combinação entre prestação de serviços e tarifas bancárias, que teve arrecadação de R$ 27,2 bilhões. Por prestação de serviços engloba tudo desde alguns itens que não têm custo para o cliente, como abertura de conta e saque, até os demais como financiamento de automóveis e casa, câmbio de moedas internacionais e investimentos, como CDB, LCs e previdência privada.

Todos esses serviços possuem taxas que também geram receita para os bancos. Ainda existem as tarifas para manutenção de conta, DOCs e outros serviços que correspondem a 20% do lucro dos bancos.

Juros altos

Segundo pesquisa do Procon-SP realizada em maio de 2019, as taxa média de juros para empréstimo pessoal foi de 6,32% a.m., enquanto a taxa média do cheque especial chega a 13,51% a.m.. Porém, há instituições que chegam a cobrar 7,89% a.m. de empréstimo pessoal e 14,93% a.m. de cheque especial. Se você fizer a conta isso por ano dá por volta de 357% ao ano quando pensamos só no cheque especial!

Veja mais um exemplo agora utilizando a poupança para ver a diferença. Uma aplicação na poupança rende por mês cerca de 0,3715%, já a taxa de juros média mensal de um empréstimo pessoal é de 6,32%. Conseguiu ver o tamanho da diferença? É por isso que ouvimos sempre que a poupança não rende muito e tem outros investimentos que garantem uma rentabilidade maior.

Simulando uma aplicação de R$ 10.000,00: na poupança, daqui um mês, terá um rendimento total de R$ 10.037,15, enquanto que se recorrer a um empréstimo deverá pagar aproximadamente R$ 10.632,00 à instituição financeira no final do mês. Imagina isso no decorrer do ano.

Agora você consegue perceber como o lucro anual dos bancos chega a mais de R$ 56 bilhões contando taxas de juros e todos os serviços oferecidos.

Diminuição do número das agências físicas

Somado a isso, os avanços tecnológicos também estariam tornando as empresas mais competitivas e ajudando a reduzir despesas. Segundo o Sindicato dos Bancários e Financiários de São Paulo, Osasco e Região, das quatro das maiores instituições, apenas o Santander aumentou o número de agências: 28. O Itaú fechou 60 agências físicas e abriu 35 digitais, que agora somam 195. O Bradesco fechou 114 unidades e o BB, 31.

Quanto ao emprego, o comportamento não foi uniforme: o Itaú, por exemplo, tem saldo de 361 vagas em 12 meses, mas fechou 597 postos de trabalho no trimestre. O Santander perdeu 623 vagas. O Bradesco abriu 1.563 – segundo a subseção, devido a contratações na área de negócios – e o BB cortou 1.414.

Conclusão

Assim fica mais fácil entender de onde vem o lucro dos bancos, em grande parte por conta do spread bancário e altas taxas de juros cobradas, e também porque tantas pessoas estão buscando alternativas como os bancos digitais, que oferecem um cartão de crédito sem anuidade, ou instituições que tenham menores taxas por serviços como empréstimos e investimentos.

Autor

Robinson Dantas

Robinson Dantas é CEO do Gorila Invest e possui mais de 18 anos de experiência no mercado financeiro. Além disso, é fundador da Iporanga Investimentos, onde era responsável pela gestão de risco e membro do conselho da holding FS2. Antes, passou pelo Morgan Stanley na área de Equity Derivatives Trading em Nova Iorque.

Posts relacionados

Comentários

  1. Gabriely Monique    

    Parabéns pelo artigo, extremamente informativo, como explicações claras e completas, todas apresentando dados e exemplos reais.

    1. Enoque Silva    

      Quando um pagamento e um recebimento é feito pelo mesmo banco com cartões o dinheiro só existe no extrato o que eu freio ser mais uma fonte de renda fos bancos.

  2. sergio    

    Gostaria de saber no que é investido esse lucro dos bancos públicos? Qual o benefício para a população esse lucro traz?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *