Cresce o numero de dividas com cartão de crédito no país

De acordo com uma pesquisa realizada no inicio do ano passado, grande parte dos brasileiros estão deixando de pagar suas faturas, aumentado assim a dívida com cartão de crédito.

O debito com o cartão tem até agora o maior numero de inadimplentes do ano.

A pesquisa indica que de cada 10 brasileiros apenas 6 pagam suas faturas mensais do cartão. Ainda assim, os organizadores da pesquisa afirmam que isso não significa que o valor total da fatura esteja sendo pago.

O numero de pessoas que pagam apenas o valor mínimo da fatura também subiu. Economistas acreditam que este é um sinal bastante negativo para o trabalhador comum.

Especialistas afirmam que a partir do momento em que você se acostuma a pagar o valor mínimo, acaba entrando em uma avalanche que demora a passar. Os juros do cartão impedem que o valor da parcela diminua.

Segundo o Banco Central, o numero de inadimplentes subiu para 36,9%. Esses números incluem não só os saques realizados em função de credito do cartão, mas também as operações rotativas.

José Kobori, professor de finanças da Ibmec do Distrito Federal afirma que este resultado já estava sendo previsto pela maioria dos economistas do país.

Os motivos principais do endividamento são as altas taxas de inflação de produtos e serviços, bem como a queda do valor salarial de cada cidadão.

Esses são os principais fatores que prejudicam nossas finanças pessoais. Tudo, de acordo com os economistas, fruto de uma resseção que insiste em continuar.

Em momentos como esse o desemprego também aumenta. Se já estava difícil de contratar antes (numero de desempregados que preferem não trabalhar aumentou ainda mais nos últimos anos) agora com a dificuldade de pagar os funcionários e com os recentes cortes fica mais complicado ainda.

 Trabalhador comissionado

Ainda de acordo com a pesquisa, quitar as dívidas é ainda mais difícil para os trabalhadores comissionados. A maioria atua no comércio, setor que sofre mais com as taxas de inflação e o endividamento da população brasileira.

Quem tem dívida fica sem credito e por tanto não pode efetuar novas compras.

Quem trabalha por comissão, recebe uma renda variável. Economistas chamam este fenômeno de “cadeia alimentar”. Quando uma parte da população deixa da pagar as contas e de comprar, outros deixam de vender. Sem vender não ganham dinheiro e por consequência também não pagam suas contas.

A pesquisa do Banco do Brasil ainda informa que a maioria das pessoas tem muita dificuldade em entender os juros. Porque eles afetam tanto o que consumimos?

Se os juros sobem, o preço do consumo também aumenta e é assim que o credito vai ficando mais caro. Um produto que antes custava R$ 2,00 reais pode acabar valendo R$ 5,00 reais em período de altos juros.

A questão maior agora é realmente a dívida do cartão de credito, que em momentos como este vira uma bola de neve.

Economistas explicam que não tem atitude pior na hora de pagar as contas do que a de optar pelo valor mínimo da fatura.

Por exemplo, se você esta devendo 2 mil reais, e só esta conseguindo pagar 200 reais por mês (sendo este o valor mínimo), em uma taxa de juros de 10% siguinifica que no próximo mês você ainda vai estar devendo R$ 1980 reais. O valor da sua próxima fatura ainda vai ser alto.

André Braz, economista da Fundação Getúlio Vargas, (FGV) explica que o valor mínimo da fatura não chega a pagar nem pelos juros bancários. O que significa que no mês seguinte o valor de sua fatura vai subir devido o saldo negativo do juros.

A taxa de juros da maioria dos cartões está a 372% anual, o que mostra que atualmente comprar no cartão de credito, esta mais perigoso do que há alguns anos atrás.

O economista André Braz afirma que esta taxa anual deve continuar a subir.

A intenção do nosso governo é manter essas taxas, pois esta é a única forma de conter a inflação.

O cartão de credito ainda é considerado pela maioria dos economistas o campeão dos juros altos. As taxas ficam mais altas ainda em períodos de resseção. O que deve ser feito o mais rápido possível, é pisar no freio, ou seja, parar de usar o cartão.

Deixando de ter divida com cartão de credito e optando por pagar suas contas no debito ou no dinheiro, vai fazer com que a inflação eventualmente diminua.

Continuar a pagar pelo valor mínimo da fatura é o mesmo que dar dinheiro aos bancos. Os juros continuarão a manter o valor mensal alto, tornando a conta cada vez mais impagável.

 

Autor

Equipe André Bona

O Portal André Bona é um site de educação financeira independente, que tem como missão auxiliar pessoas e famílias a melhor compreender o mercado financeiro e seus produtos. Assine nossa newsletter!

shadow

Posts relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *