Se você acompanha o mercado de ações já deve ter ouvido falar sobre o Day Trade. Mas, afinal, você sabe o que é Day Trade? Caso não saiba, não precisa se apavorar, pois isso não é nenhum bicho de sete cabeças! Trata-se apenas de uma terminação utilizada frequentemente por investidores que realizam operações na bolsa de valores.

Então, toda compra e venda de uma ação é um Day Trade? Evidentemente, não. O que existe no mercado de ações são investidores com diferentes perfis e diferentes estratégias. Alguns investem buscando retornos elevados em curto prazo, por exemplo, enquanto outros optam por prazos mais longos, porém com riscos menores.

Pensando em tudo isso, neste post levantamos algumas dúvidas sobre o que é um Day Trade e quais são suas principais características. Interessado? Então, não deixe de continuar a leitura!

O que é um Day Trade?

Com certeza, você já deve ter assistido algum filme em que o personagem compra e vende ações freneticamente na bolsa de valores, e fica rico do dia para a noite. Bom, como dito, isso é coisa de filme. Ainda assim, existem muitos casos de sucesso em que a ficção se transformou em realidade. E não há nada de sorte nisso.

Muito pelo contrário: um investidor que consegue um bom investimento na operação Day Trade precisa de uma estratégia bem definida que, ainda que não seja, necessariamente, sempre bem-sucedida, ainda reduzirá os riscos de grandes perdas.

Mas, afinal, o que é uma operação Day Trade?

Em tradução livre, Day Trade significa “Dia de Negócios” — assim, corresponde a todas as operações de compras e vendas dos mesmos ativos realizadas em um mesmo dia dentro da mesma Bolsa de Valores, na qual a quantidade transacionada tenha sido liquidada parcialmente ou totalmente.

Como funciona a operação Day Trade?

Na prática, o Day Trade ocorre quando você compra um determinado número de ações por um preço e, ao longo do dia, decide vender a mesma quantidade — ou seja, zerar a posição.

Assim, é possível obter uma boa rentabilidade por meio das oscilações de preços que ocorrem durante todo o dia. Se você compra ações às 13 horas por R$ 50 e as vende por R$ 56 às 17 horas, por exemplo, você realizou uma operação Day Trade.

Via de regra, investimentos Day Trade são abertos e fechados no mesmo dia. Assim, as operações são muito rápidas, já que costumam ter alavancagem e requer muita atenção em diversos momentos do pregão.

Como é a tributação neste tipo de operação?

De fato, as operações Day Trade têm custos — que, se você não definir muito bem as estratégias de investimentos, podem ser bem altos.

Quanto a isso, a primeira informação que deve estar clara é que, em cada operação de compra e venda de um ativo, o investidor paga uma corretagem. Isso significa que se ocorrerem várias operações durante o dia, o custo pode ser grande.

Por isso, não é recomendável um valor inicial muito baixo, já que os custos são elevados e a meta de ganho em cada operação gira em torno de 1%. Assim, no final do mês, o lucro líquido total sacado é apurado, e é necessário reter 20% para o Imposto de Renda. Logo, a rentabilidade é declarada no final do mês, após somados todo o lucro das operações realizadas.

O valor do imposto é recolhido por meio do Documento de Arrecadação Federal (DARF), e repassado para a Receita Federal.

Anda é importante destacar que, nas operações Day Trade, também há cobrança de Imposto sobre Serviços (ISS) em cima da taxa de corretagem da corretora. No entanto, seu valor varia de estado para estado.

Quem pode realizar Day Trade

Até pouco tempo atrás, as operações Day Trade eram realizadas exclusivamente por investidores experientes. Mas com a tecnologia, muita coisa tem mudado, principalmente a participação de pessoas com pouco ou nenhum conhecimento na Bolsa de Valores.

Nesse sentido, pessoas “normais” podem realizar Day Trade, desde que tenham acesso ao Home Broker. Essa é uma plataforma de fácil manuseio, em que é possível realizar negociações de ações e outros ativos financeiros por meio de um ambiente virtual.

Entre as suas funções, podem ser citadas:

  • acompanhar cotações em tempo real;
  • comprar e vender ativos de renda variável;
  • controlar a carteira de investimento e extrato.

Além disso, por meio do Home Broker o investidor passa a ter:

  • portabilidade: corretoras oferecem a possibilidade de operar por meio de aplicativos a qualquer hora e de qualquer lugar, e sem precisar depender apenas do acesso ao desktop;
  • praticidade: o investidor pode programar ordens de compras e vendas pelo home broker e ser notificado das ordens executadas, sem precisar acompanhar em tempo real.
  • comodidade: a plataforma ainda envia notificações sobre as ordens executadas, mostra cotações, notícias em tempo real e guarda o histórico da sua carteira de ações.

Vale destacar que leigos no assunto podem, sim, entrar no mercado de ações para investir na Bolsa de Valores e, ainda, prosperar no Day Trade — desde que estudem esse tipo de operação e saibam como lidar com o processo de compra e venda de um ativo.

E, por meio da análise técnica, o trader acompanha as oscilações de preço e avalia por meio de gráficos o desempenho histórico dos seus ativos negociados, de forma a identificar a tendência do seu comportamento futuro.

Sem dúvida, uma excelente maneira de estudar as possibilidades de alta e de baixa e definir o momento certo para comprar ou vender suas ações!

Principais erros cometidos

Começar no mercado de ações é sempre um risco, principalmente para aqueles que não têm conhecimento suficiente sobre as operações e, por isso, acabam caindo em algumas armadilhas da falta de preparação.

Vejamos, então, alguns desses erros comedidos pelo trader que devem ser evitados:

1. Começar operando grandes volumes

Muitos principiantes querem começar comprando e vendendo grandes lotes, e o resultado nem sempre é dos melhores. Por isso, primeiro passo para conseguir experiência no Day Trade é ir devagar quanto ao volume de negócios.

A recomendação é começar comprando e a vendendo lotes pequenos, de forma a obter experiência para encarar o mercado com quantidades vultuosas.

2. Overtrading

Diretamente relacionado ao volume está o “overtrading”. Muitas vezes, o trader não gasta tempo suficiente na análise técnica para observar e analisar as tendências do mercado e o comportamento de um determinado ativo. Assim, após uma operação mal feita, passa a pular entre os ativos.

Nesse caso, a dica é ter sempre uma boa estratégia e manter a calma.

Como as comissões das corretoras incidem sobre as quantidades de operações — sejam elas mais ou menos volumosas —, é preciso calcular o potencial prejuízo e o seu ganho mínimo. Afinal, não dá para entrar numa operação sem avaliar seu custo-benefício.

3. Falta de concentração

Geralmente, a falta de concentração está alicerçada num nível alto de ansiedade, provocado pelo desejo de estar em muitas operações ao mesmo tempo.

Muitos investidores acabam comprando muitos ativos de uma só vez, seguindo a ideia de que, quanto mais diversificados forem, menores serão os riscos. Mas isso é um erro óbvio — até porque é inviável conhecer as características e comportamentos de muitos ativos ao mesmo tempo.

Diferença entre Day Trade e Swing Trade

Grosso modo, o Swing Trading difere pelo prazo de operação. Enquanto, no Day Trade, a operação é aberta e fechada no mesmo dia, no Swing Trade é possível fechar depois de alguns dias ou algumas semanas.

Assim, com o Swing Trade o investidor tem um tempo operacional maior. Deste modo, os riscos tendem a ser um pouco menores, os gráficos, mais fáceis de interpretar, e há mais tempo para realizar a análise técnica.

Por fim, o Day Trade exige atenção a qualquer sinal de mudança de tendência, já o swing trade admite a possibilidade de aguardar as mudanças se consolidarem para ter certeza de que, realmente, é a hora certa.

E aí, gostou do nosso post? Agora que já sabe o que é um Day Trade, que tal aprender um pouco mais conferindo estas 9 dicas para quem quer fazer Day Trade?

Autor

André Bona

André Bona possui mais de 10 anos de experiência no mercado financeiro, tendo auxiliado milhares de investidores a investir melhor seus recursos e é o criador do Blog de Valor - site de educação financeira independente.

shadow

Posts relacionados

Comentários

  1. Cleiton    

    No texto diz: “Assim, no final do mês, o lucro líquido total sacado é apurado, e retém-se 20% para o Imposto de Renda para ganhos acima de R$ 20.000,00.”
    Essa informação está correta para day trade? Pensei que pagava 20% de ir no day trade independente do valor de lucro.

    1. André Bona    

      Opa Cleiton! Você está correto. Acabou ficando misturado do raciocínio com o swing e baguncei o texto. Corrigido agora. Obrigado por avisar!!!! Abs,

  2. André G.    

    Olá! Super legal as informações que compartilhou com a gente!
    Veja se pode me ajudar com uma dúvida:
    Suponha que “comprei” um ativo para iniciar uma Day Trade e programei meu Stop Loss e Stop Gain de acordo com minha estratégia e objetivos de ganhos para aquela operação.
    Porém o ativo se manteve oscilando dentro destes 2 valores (Loss e Gain) mas não atingiu nem um e nem outro.
    E ai chegou o horário de fechar a bolsa sem que nem um dos 2 “gatilhos” fossem acionados.
    O que se costuma fazer nestes casos? Sai da operação “manualmente”, vendendo ou comprando (dependendo da posição que estiver) e assumindo algum prejuízo ou lucro abaixo do programado inicialmente? Ou deixa o ativo lá até o outro dia ou mais (e acaba deixando de ser Day Trade)? (Claro, se estiver na posição vendido vou ter que ver a questão do BTC).
    Obrigado!

    1. Marcio    

      Mesmo no swing trade, a isenção de IR não se aplica a “ganhos” superiores a R$20.000,00, mas sim ao valor total dos ativos vendidos, ou seja, se o valor de todas as operações não-daytrade realizadas no mês não ultrapassarem os R$ 20.000,00 o investidor não deve declarar….

  3. Adriana    

    Andre Boa noite! Amei seus comentarios…..comecei a operar desde 03/2017, ou seja, há 7 meses mais ou menos, e segui bem como iniciante, perdi muito dinheiro alavancando rs e com falta de conhecimento e muita coragem, hoje estou mais contida e estudando para aprender o que não fazer, comecei com ações e pulei para futuros, a minha pergunta é: Para Daytrade a estratégia é a mesma para ações e futuros…… quer dizer que devo ter conhecimento da analise grafica e entrar qdo minha estratégia estiver traçada, sabendo claro do risco…..quais dicas vc pode me dar para atuar em mini dolar…..

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *