Empreendedores usualmente são criativos, com ideias saltando a mente a cada segundo. A vontade de considerar uma destas ideias e logo transformá-la em negócio realmente é tentadora.

Mas será que essa ideia pode vingar e resultar em sucesso? Uma boa forma de buscar essa resposta é aplicando o MVP.

Você já ouviu falar na metodologia MVP?  Do inglês, Minimum Viable Product, o MVP é a técnica perfeita para você testar um novo produto ou serviço junto ao seu público. Porém, investindo o mínimo possível.

Quer saber como aplicar este conceito em seu projeto? Então acompanhe o artigo de hoje e saiba mais. Boa leitura!

Afinal, o que é a metodologia MVP?

Apesar de muito utilizado em startups, o MVP também é perfeito para negócios tradicionais. Em termos simples, o MVP é um espécie de protótipo do seu produto ou serviço, que pode ser oferecido aos consumidores como meio de “sentir” a receptividade da audiência.

Na verdade, trata-se de uma versão o mais próxima possível da versão final. Porém, com um custo de produção totalmente reduzido.

Esta versão, mesmo sendo a versão completa, permite que o empreendedor utilize os feedbacks obtidos junto os seus clientes, utilizando-os para ajustes e possíveis melhorias para, consequentemente, criar um versão 100% atrativa ao público.

Tipos de MVP

Antes de conhecer as vantagens de aplicar a metodologia MVP em seu negócio, você precisa saber que existem diferentes tipos de MVP. Cada um possui características que de diferem entre si e, por isso, são individualmente úteis em vários nichos.

Conheça agora 5 tipos de MVP e saiba qual deles é o mais indicado para o seu caso:

1.   MVP Fumaça

Quer medir o nível de interesse do seu público acerca de um novo produto ou serviço? Apostar no MVP Fumaça é o melhor caminho.

Este tipo de MVP funciona como uma espécie de cortina de fumaça, atraindo as atenções do seu público para o referido lançamento, como um espetáculo artística, mesmo. A ação possibilita que você dimensione o interesse dos clientes por determinada solução e defina se o investimento é ou não é válido.

Dentro os exemplos de MVP Fumaça destaca-se o uso de páginas de venda para atrair o público. Neste página, você informará o público sobre as vantagens do produto, além de extrair o máximo possível de contatos. O nível de interesse do consumidor pela sua ideia pode ser mensurada pela quantidade de leads convertidos.

Ao final desta metodologia MVP, sua empresa terá coletado informações valiosas que serão úteis no desenvolvimento do projeto.

2.   MVP Concierge

O MVP Concierge é um dos modelos de MVP mais utilizados no mercado. Se num primeiro o nome Concierge lhe remete ao setor hoteleiro, saiba que a aplicação desta metodologia MVP é bem ampla.

Neste MVP, o foco da estratégia é gerar valor sob o produto ou serviço. Se no concierge hoteleiro o que vale é a experiência personalizada, o mesmo acontece no MVP Concierge.

Aqui, o processo será desenvolvido através da individualidade dos desejos e anseios. Significa que você deverá oferecer atenção exclusiva a cada consumidor, compreender suas necessidades e oferece uma solução que atenda suas necessidades.

Por ser único, o MVP Concierge não tem a pretensão de atingir um grande público. Lembre-se que devido a aproximação a audiência e a personalização das soluções, o impacto – em questões numéricas – será menor. No entanto, sobre o valor agregado gerado ao redor da sua solução, este é imensurável.

3.   MVP Protótipo

Você deve se perguntar se criar um protótipo e lançá-lo ao público não possui o mesmo custo de desenvolver um produto final, certo? Realmente, dentre todos os tipos de MVP, o MVP protótipo é o que exige um investimento mais próximo do que o utilizado na versão final.

Apesar da questão do custo, é válido dizer que o MVP Protótipo é o que mais traz resultados positivos. Isso porque o consumidor utilizará seu produto na totalidade, podendo assim avaliá-lo integralmente.

O uso de protótipos no projeto MVP garante a coleta de dados importantes para o desenvolvimento final do produto. Trata-se de um dos caminhos mais completos para a validação da sua ideia.

4.   MVP Mágico de Oz

O MVP marketing nomeado de Mágico de Oz está focado na avaliação sobre o processo de automação de determinado produto ou serviço. Apesar de exigir que o público tenha acesso a uma versão final do produto, aqui as ações ainda não estão automatizadas.

Como modo de compreender as necessidades do clientes e os passos dados desde o primeiro contato a conclusão da venda ou contratação, a empresa libera o acesso. Porém, uma equipe é responsável por fazer determinadas ações.

Quer um exemplo de MVP Mágico de Oz? A empresa Easy Táxi é um deles. Antes de lançarem seu serviços aos usuários, na fase de validação da ideia, o contato com os motoristas do app era realizado manualmente pela equipe interna.

Para o cliente, nada mudava – já que ele realizava todas as solicitações normalmente. O trabalho duro ficava por trás das cortinas, sem que alguém soubesse sobre as ações de validação.

Vantagens do MVP no marketing

Por si só, a possibilidade de entender as reais necessidades do seu cliente e criar um produto ou serviço que atenda seus desejos já é um tremendo benefício do MVP.

No entanto, a aplicação desta metodologia como avaliação de ideia traz outras vantagens que devem ser consideradas.

  • Permite testes e ajustes – A grande sacada de investir em um projeto MVP é a possibilidade de avaliar se aquele produto atende, de fato,as necessidades do cliente. Além disso, a possibilidade de realizar todos os ajustes necessários nesta fase garante que a melhor versão seja entregue ao usuário
  • Dá um panorama sobre a escalabilidade da solução – De nada adianta disponibilizar um produto ou serviço se ele não for escalável, certo? O MVP marketing promove uma avaliação certeira neste aspecto, já que avalia o nível de interesse do público pela oferta
  • Proporciona aprendizado – Ao lançar um projeto MVP, a empresa sentirá o impacto gerado pelo produto – que pode ser tanto negativo quanto positivo. Nessas condições, há duas premissas importantes: verificar os erros e acertos do processo produtivo e compreender se o seu lançamento, de fato, causará impacto no mercado

Se você está criando um produto ou serviço, não hesite em aplicar o MVP em suas avaliações. Saber, de forma concreta, como o público receberá sua oferta garante menos surpresas negativas, além de custos extras desnecessários – principalmente em uma fase de criação.

Gostou do artigo? Você já aplica o MVP em sua empresa? Deixe um comentário e conte-nos mais!

Como fazer seu dinheiro trabalhar para você?

Aprender a investir melhor seu dinheiro e tomar boas decisões de investimentos, de acordo com seu planejamento pessoal, é a única maneira de fazer seu dinheiro trabalhar para você e de conquistar todos os seus objetivos financeiros.

Quer acelerar a conquista da sua liberdade financeira? Então clique aqui e saiba como fazer o seu dinheiro trabalhar para você agora!

Autor

Equipe André Bona

O Portal André Bona é um site de educação financeira independente, que tem como missão auxiliar pessoas e famílias a melhor compreender o mercado financeiro e seus produtos. Assine nossa newsletter!

shadow

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *