Smartphones, tablets, notebooks. Você se imagina ficando sem nenhum deles à disposição? Iria para uma cidade no interior, onde não há sinal ou internet? Se a resposta para as duas perguntas foi “não”, fique de olho, pois você pode estar viciado nestes dispositivos. Em muitos casos, quando o medo torna-se irracional ou excessivo, há grandes chances desse quadro evoluir para uma nomofobia.

Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), a nomofobia pode, inclusive, ser uma das causadoras da doença que abala milhões de brasileiros, a depressão. A OMS inferiu que, de 2005 para 2015, o número de pessoas com depressão aumentou de 263 milhões para 322 milhões.

O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), este ano, informou que, atualmente, existem 220 milhões de celulares em funcionamento no Brasil. Porém, o país apresenta, em média, 207,6 milhões de habitantes. Estes dados estatísticos mostram que a nomofobia pode aumentar mais ainda, visto que o nosso país já tem mais de um smartphone por habitante.

Neste artigo, você verá o conceito de nomofobia, seus sintomas e o que este medo excessivo pode causar. Assim, você terá em mãos os conhecimentos necessários para ajudar quem você mais gosta ou alguém que já sofre desse transtorno.

Nomofobia: o conceito

Podemos definir a nomofobia como o medo irracional e excessivo de estar longe de seu celular ou outros dispositivos móveis. Se você não pode utilizar o celular por algum motivo, seja porque acabou a internet, está sem sinal ou o celular descarregou, e tem pavor só de pensar nesta situação, você pode estar sofrendo de nomofobia.

A nomofobia, segundo um estudo publicado no periódico Cyberpsychology, Behavior and Social Networking, faz com que os dependentes enxerguem os smartphones, notebooks e tablets como se fossem extensões de seus corpos. A pesquisa reuniu 301 estudantes universitários entre 18 e 37 anos na Coreia do Sul.

Portanto, se você já acorda e vai responder os e-mails, corre para pegar o celular quando houve uma notificação ou tem pavor se for para um local e ficar sem internet, é preciso observar se não está com alguns sintomas da nomofobia.

Sintomas da nomofobia

Existem alguns sinais de alerta, que lhe mostram se você está sofrendo ou não de nomofobia.

São eles:

  • ver se tem alguma mensagem, e-mail ou chamada perdida a todo momento;
  • não conseguir desligar o telefone de jeito algum;
  • ficar nervoso e irritado quando está presente em um local sem wi-fi;
  • carregar a bateria do celular mesmo quando a mesma esteja cheia;
  • ir ao banheiro e não conseguir deixar o seu celular em outro cômodo;
  • utilizar as redes sociais e Whatsapp de forma obsessiva, sem prestar atenção no que está acontecendo ao redor;
  • desconforto, angústia e ansiedade quando não está com o seu celular ou quando não pode utilizá-lo.

Se você ou alguém próximo a você estiver com um destes sintomas, fique em alerta. O ideal, sempre, é procurar um psicólogo ou um terapeuta especializado nestes distúrbios que envolvem a tecnologia/internet.

Quais as consequências da nomofobia?

Todos que sofrem de nomofobia podem ser prejudicados de diversas formas. Veja algumas delas:

Diminuição da produtividade

Quem não consegue ficar longe do celular perde totalmente o controle do tempo. Ao invés de trabalhar, por exemplo, ou cuidar das tarefas da casa, o indivíduo fica preso na tela do smartphone vendo ou fazendo coisas muito supérfluas, na maioria das vezes.

Com isso, a produtividade diminui, e a pessoa perderá a eficiência em todos os processos e etapas fundamentais no dia a dia. Assim, uma tarefa que poderia ser concluída em minutos, levará horas para ser fechada – e com pouca qualidade.

Crises de insônia

Essa é uma das primeiras consequências do vício em dispositivos móveis. Por ficar muito tempo no celular e não conseguir se desprender dele, o indivíduo começará a ficar com insônia.

Biologicamente, isso ocorre devido a luz presente na tela do smartphone ou em qualquer dispositivo móvel. Esta luz suprime a melatonina, o hormônio que regula o sono. O nosso cérebro acha que ainda é de dia, mesmo estando de noite. Assim, ficamos com crises de insônia.

Além disso, para dormir, precisamos de um momento calmo e relaxante. Se você ficar preocupado e nervoso com todas as notificações do celular, provavelmente não conseguirá dormir.

Altos níveis de ansiedade

Se você tem medo de perder as últimas novidades ou de não poder conversar com os amigos e, principalmente, se isso acontece a todo momento, é melhor tomar cuidado. A nomofobia causa este tipo de ansiedade. Aliás, para qualquer dependente digital, a ansiedade se apresenta constantemente.

Irritação e alterações de humor também são algumas causas da nomofobia. Se, ao perder o sinal da internet ou ficar sem celular por um dia é sempre um sofrimento para o indivíduo, é necessário buscar ajuda. Pois, em casos mais extremos, a nomofobia pode acarretar numa grande consequência: a depressão.

Como você já deve saber, a depressão é muito séria, e pode levar a pessoa para o fundo do poço. Portanto, não deixe que isso aconteça com você.

Não permita que ninguém sofra de nomofobia, passe este conhecimento adiante. Para isso, compartilhe este artigo em suas redes sociais e ajude centenas de pessoas com apenas alguns cliques. E lembre-se: se os sintomas persistirem, procure ajuda psicológica.

Como fazer seu dinheiro trabalhar para você?

Aprender a investir melhor seu dinheiro e tomar boas decisões de investimentos, de acordo com seu planejamento pessoal, é a única maneira de fazer seu dinheiro trabalhar para você e de conquistar todos os seus objetivos financeiros.

Quer acelerar a conquista da sua liberdade financeira? Então clique aqui e saiba como fazer o seu dinheiro trabalhar para você agora!

Autor

Equipe André Bona

O Portal André Bona é um site de educação financeira independente, que tem como missão auxiliar pessoas e famílias a melhor compreender o mercado financeiro e seus produtos. Assine nossa newsletter!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *