Previdência Social e Privada: escolho uma ou as duas?

Diversos governo já assumiram a tarefa de tentar aprimorar os sistemas de previdência que funcionam em nosso país e, assim como em todo o mundo, a questão previdenciária gera grande preocupação e a solução parece distante.

A razão é óbvia: os anos passam e todos nós queremos saber qual escolha nos trará mais segurança financeira a médio e longo prazo. Nesse sentido, algumas perguntas frequentes que fazemos são:

  • Devo confiar nos meios governamentais e escolher a previdência social?
  • Preciso me esforçar para reunir recursos e pagar algum tipo de previdência privada?
  • Posso conjugar os dois tipos de previdência, numa postura mais conservadora?

Preparei esse artigo para explicar a você os benefícios das duas opções. Sugiro uma reflexão profunda, pensando nas suas reais necessidades, considerando possíveis imprevistos e nos planos que você possui para o futuro.

A nossa estratégia previdenciária faz grande diferença. Quando tomamos boas decisões ainda jovens, os resultados positivos aparecem com o tempo, nos deixando à vontade para tomar diferentes rumos em nossas vidas conforme a idade avança.

Por isso, confira agora alguns detalhes sobre os 2 tipos de previdência e daí avalie o que mais se adequa a você.

Previdência Social

Antes de decidir se permanecerá somente com a previdência social ou se partirá para uma atitude mais precavida em relação ao futuro, é preciso avaliar bem um fator fundamental: quanto o beneficiário deseja ganhar após sua aposentadoria.

É claro que todo mundo quer ganhar bem, mas nesse caso em especial querer nem sempre é poder. Portanto, pergunte-se: quanto eu desejo ganhar após minha aposentadoria? De quanto disponho para poder atingir essa meta quando chegar o momento certo?

Essa última pergunta é fundamental para seu planejamento. Por que? É que dependendo do quanto pode investir num plano complementar, talvez seja necessário enfrentar a realidade de que só haverá a primeira opção: manter-se com os recursos da previdência social.

Qual é o teto atual desse tipo de previdência? Segundo o site FolhaUol, as expectativas são de que em 2017 o valor teto da previdência social atinja o valor de R$ 5.579. Partindo dessa base de cálculo, você pode se perguntar: minhas despesas pessoais podem ser cobertas por esse valor de renda mensal, caso eu contribua o suficiente para atingir esse teto?

Diferente da previdência privada, onde você pode escolher investir valores bem mais altos e futuramente obter uma renda mais elevada proporcionalmente aos seus aportes, a previdência social lhe permite receber um teto salarial como aposentado, podendo ainda ser menor caso você opte por exemplo por tentar uma aposentadoria antes do prazo estipulado pelo governo.

Por que existe essa diferença? Porque no sistema de previdência social, o total das contribuições dos trabalhadores ativos subsidia o pagamento dos trabalhadores inativos. Já na previdência privada, cada indivíduo possui uma conta única e o seu benefício será diretamente proporcional aquilo que ele próprio acumulou.

Por outro lado, existem benefícios específicos da previdência social que a previdência privada não oferece. Quais são eles?

  • Seguro quando há acidente de trabalho
  • Seguro-doença
  • Seguro durante a gravidez

Por isso, mesmo que se decida investir na previdência privada, todo trabalhador autônomo é incentivado a contribuir pelo menos o valor mínimo ao INSS. Em todo o caso, se alguma dessas situações listadas acima ocorrer, você estará segurado pelo governo federal, o que não ocorre nos planos de previdência privada. Daí o conceito de que a previdência privada é uma previdência complementar e não uma previdência substituta a previdência social.

Um detalhe importante que deve ser levado em conta é que quem trabalha como servidor público não tem vínculo com a previdência social. Estranho? Na realidade não. Para que funcionários públicos se aposentem, eles se beneficiam de planos de previdência fechada. Esse tipo de plano tem vínculo estreito com a instituição governamental para a qual trabalham. Certamente essa realidade deve se modificar em algum momento, porque isso gera um déficit imenso para o país e no longo prazo é insustentável.

Previdência Privada

Quem optar por contribuir à algum plano de previdência privada tem benefícios únicos, não usufruídos pelos que escolhem apenas contribuir para o INSS. Veja alguns desses benefícios abaixo:

Possibilidade de escolha da forma como receberá o benefício no futuro. Veja 3 possibilidades:

Essas opções não são elegíveis para os que optam pela previdência social, que recebem seu salário aposentadoria com apenas uma operação de saque. E quais são as opções?

1. Pagamentos vitalícios mensais

Além de outros fatores, o cálculo tem como base o valor acumulado individualmente e sua expectativa de vida.

2. Pagamento mensal reversível ao benefíciario

Nesse caso se aplicam os mesmos fatores de cálculo mencionados na primeira opção. Porém, é preciso nomear um dependente, que vai continuar recebendo os pagamentos após o falecimento do titular do plano de previdência privada.

3. Saque do valor total

Essa seria uma boa opção para planos que alguns pais fazem para seus filhos. Sacar o valor total permite o desenvolvimento de algum projeto pessoal ou aplicar em outro tipo de investimento. Outra vantagem dessa modalidade é que quando você opta por pagamentos mensais, você “troca” o total que juntou pela renda. Ao optar pelo saque ao invés de converter em renda, você pode aplicar o recurso no mercado financeiro e retirar a rentabilidade periodicamente dos investimentos feitos e, quando vier a falecer, o saldo ainda existente é transferido para os herdeiros. Nos casos 1 e 2 acima, o saldo existente fica com a instituição.

Antecipação de aportes mensais

Um aspecto bem distintivo da previdência privada é a chance de se reduzir o tempo de contribuição adiantando o valor de alguns aportes. Isso permite a aplicação da ideia de aplicar mais para receber mais cedo.

Instituições com menor valor de taxas operacionais

Quando se escolhe a opção de pagar um plano de previdência privada, isso lhe dá a chance de pesquisar diversas instituições e planos com diferentes perfis. Essa pesquisa permite encontrar uma que cobre taxas operacionais com valores mais acessíveis à sua realidade. E menos taxas resultam em mais rendimentos, o que impactará diretamente no montante acumulado ao final do período e, consequentemente no seu benefício na aposentadoria.

O assunto é amplo, e já foi discutido em diversos artigos e vídeos. Se quiser saber mais a respeito dos dois tipos de previdência, clique nos links abaixo:

O que foi abordado e que poderá servir de base para reflexão é: pense na possibilidade de ter mais de um tipo de previdência. Faça cálculos e compare sua realidade com essa possibilidade.

No final das contas, o que acabará acontecendo é que os anos passarão e você se verá confrontado com essa pergunta: previdência social ou privada, qual delas escolho? Vou escolher as duas? Entenda que a previdência privada deve ser entendida como uma previdência complementar. Então sempre contribua com a previdência social, mas avalie seriamente a possibilidade de complementar sua aposentadoria pela previdência privada.

Se deixar para decidir depois, quando possíveis problemas de saúde ou outros surgirem, você talvez não tenha tempo para usufruir os benefícios dos dois planos combinados. Se pensar no assunto e decidir agora, seu futuro será mais seguro. O tempo que será investido na família e nos seus assuntos pessoais lhe trarão mais prazer!

Grande abraço,

André Bona

Autor

André Bona

André Bona possui mais de 10 anos de experiência no mercado financeiro, tendo auxiliado milhares de investidores a investir melhor seus recursos e é o criador do Blog de Valor - site de educação financeira independente.

shadow

Posts relacionados

Comentários

  1. João    

    #PergunteaoBona
    Olá, Bona! Tenho 20 anos e estudo Engenharia. Tenho uma reserva feita por meus pais em previdência privada, que, em alguma emergência, duraria alguns anos. Entretanto, dado a possibilidade de mudanças na previdência pública, vale a pena começar desde já a contribuir com o INSS como autônomo é melhor eu aplicar esse dinheiro no longo prazo?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *