Nesta semana demos início a uma série especial de 5 artigos sobre os fundos de investimento ETFs – ou Exchange Traded Funds. Falamos sobre o que são estes fundos, suas vantagens e como eles funcionam na prática.

Hoje, no segundo artigo da série, vou falar um pouco mais sobre quatro dos principais ETFs do mercado brasileiro. Vamos a eles:

BOVA

O BOVA – ou BOVA 11, como é mais conhecido, é um ETF baseado no índice Ibovespa. Ele é composto por ações emitidas por companhias que respondem a mais de 80% do volume de negócios da Bolsa de Valores brasileira.

O fundo, listado em novembro de 2008, é composto, majoritariamente, por ações de companhias do setor financeiro, das áreas de petróleo, gás e biocombustíveis, materiais básicos, mineração, bebidas, entre outras.

O BOVA 11 é administrado pelo Citibank e sua gestão é feita pela BlackRock Brasil – um braço da BlackRock, que é considerada a maior gestora de ativos do mundo. O lote padrão do BOVA – ou a quantidade mínima a ser negociada na bolsa – é de 10 cotas e a taxa de administração é de 0,54% ao ano.

BOVV

O BOVV – ou BOVV 11 – é um ETF também espelhado no índice Ibovespa, e também composto por companhias que detém uma fatia de cerca de 80% do número de negócios e volume financeiro da B3. Por refletir a performance e a composição do Ibovespa, o BOVV também é composto pelos mesmos setores do BOVA 11.

O BOVV é mais novo que o BOVA, uma vez que sua listagem na bolsa ocorreu em julho de 2016. Sua gestão e administração são realizadas pelo Itaú Unibanco S.A. O lote padrão do BOVV 11 é de 10 cotas e a taxa de administração do fundo é de 0,30% ao ano.

XBOV

O XBOV 11 – ou CAIXA ETF Ibovespa Fundo de Índice – é mais um dos fundos brasileiros disponíveis para negociação na Bolsa de Valores. Assim como o BOVA e o BOVV, os retornos de investimentos do XBOV são espelhados nos resultados obtidos pelo índice Ibovespa.

Listado em novembro de 2012, o XBOV é gerido e administrado pela Caixa Econômica Federal. O lote padrão do XBOV 11 é de 10 cotas e a taxa de administração do fundo é de 0,50% ao ano.

PIBB

O PIBB – ou PIBB11 – É um ETF baseado no Índice Brasil – 50 (IBrX50), que mede o retorno de um investimento em uma carteira teórica composta por 50 ativos entre as ações mais negociadas na B3 (antiga BM&FBovespa) em relação à liquidez.

Ele é composto por ações de companhias das mais diversas áreas e setores, como o setor Financeiro, setor de Materiais Básicos e Mineração, de Telecomunicação, Transporte, e muitos outros.

O fundo, que foi listado em julho de 2004, tem sua administração e gestão garantidos pelo Itaú Unibanco S.A. O lote padrão deste ETF a ser negociado na bolsa é de 10 cotas e taxa de administração do fundo é baixa: apenas 0,059% ao ano.

E você, já investiu em algum destes ETFs? Deixe seu comentário aqui no post!

 

Autor

André Bona

André Bona possui mais de 10 anos de experiência no mercado financeiro, tendo auxiliado milhares de investidores a investir melhor seus recursos e é o criador do Blog de Valor - site de educação financeira independente.

shadow

Posts relacionados

Comentários

  1. Carlos    

    Olá Bona, muito interessante a série sobre ETFs, porém se possível sanar duas dúvida. Os ETFs tem IR de 15% sobre o ganho, de quanto deve ser a valorização do ETF para que esse tenha um ganho real em consideração a este imposto e como ocorre o cálculo para o pagamento do IR? Grato.

    1. ignacio    

      só incorre 15% na hora da venda do papel e se, só se superar 20 mil reais no mesmo mês. Senão é isento.

  2. Mônica    

    Oi, Bona. Parabéns pela série. Pelo q entendi, os ETF’s geralmente são sem dividendos ou outras formas de pagamentos periódicos aos investidores. Assim, o acesso aos rendimentos só se dará ao tempo da venda das cotas? Ou seja, só se tem acesso ao saldo total, no tempo q vender as cotas?
    Por fim,aproveito pra perguntar se tá previsto alguma série sobre FII’s
    Grata

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *