As fintechs têm avançado ano após ano no Brasil. No início de 2017 havia mais de 240 destas empresas no mercado brasileiro. Muita gente, no entanto, ainda não conhece estas startups inovadoras, que chegam ao mercado para solucionar problemas e oferecer serviços de alta tecnologia comuns ao setor bancário de maneira eficientes e menos burocrática.

E foi pensando nisso que o Blog de Valor decidiu produzir uma série inédita sobre fintechs. Hoje você vai conhecer o perfil de mais uma destas startups, que têm facilitado a vida do consumidor e resolvido suas dores no segmento dos serviços que, até pouco tempo atrás, eram oferecidos exclusivamente por grandes instituições bancárias.

Saiba um pouco mais sobre a fintech papelada, que permite ao usuário organizar documentos a qualquer momento em um ambiente 100% digital e o ajuda a manter as finanças ordenadas no dia a dia.

Raio-X: papelada

A empresa papelada – com “p” minúsculo – surgiu em janeiro de 2013, com o objetivo de oferecer uma solução digital para a troca de informações entre emissores de documentos e contas e os usuários. O aplicativo, no entanto, foi lançado tempos mais tarde, em novembro de 2016.

De acordo com Leonardo Moraes, CEO do papelada, a ideia era não só aproximar emissores e consumidores, mas também oferecer funcionalidades que satisfizessem os dois lados, facilitando a organização financeira no dia a dia.

É comum termos faturas dispersas em e-mails, SMS e papel. Isso gera desorganização e, em última instância, descontrole financeiro. Com o papelada, o usuário passa a ter todas as contas e documentos em um único ambiente digital, que é seguro e acessível a qualquer momento”, explica Moraes.

Atualmente, a plataforma – que conta com cerca de 15 mil usuários, segundo o CEO da empresa, permite ao usuário manter uma conexão direta com o emissor. É por meio do aplicativo que o consumidor tem acesso aos seus documentos e contas de maneira simples, organizada e desburocratizada.

A solução do problema

Há pouco mais de um ano no mercado, o aplicativo do papelada se propõe a resolver uma dor que acomete milhões de brasileiros: a falta de organização financeira. O CEO da startup explica que o modelo de gestão de documentos utilizado pelo app foi importado de países como Estados Unidos, Noruega, Canadá e Dinamarca que, até então, era inédito no país.

“Este modelo de gestão está alinhado às necessidades das pessoas por mais mobilidade em suas vidas, inclusive no acesso às contas e documentos pelo celular”, disse.

Para o usuário, a plataforma oferece um ambiente seguro para organização de despesas e armazenamento de documentos online, graças à conexão direta com o emissor. Além de realizar uploads de contas e documento via papelada, o consumidor também pode inserir manualmente suas despesas sem códigos de barra – facilitando a organização financeira no dia a dia.

“O sistema avisa o usuário sobre os vencimentos, o que reduz a incidência de juros e multas devido a atrasos nos pagamentos, e possibilita a conexão direta com as principais instituições financeiras do país para pagamento. Tudo isso é disponibilizado gratuitamente ao usuário”, explica Moraes.

Para o emissor, o papelada ajuda a reduzir custos com impressões e postagem de faturas, além de aumentar a eficiência da entrega dos documentos. “O processo ajuda a diminuir o risco de fraude de boletos, ajuda a reduzir os níveis de inadimplência do consumidor e, por fim, contribui para o meio ambiente por conta de uma utilização menor de papel”, ressalta o CEO da empresa.

O cenário atual

Em 2017 a empresa lançou a versão 2.0 da ferramenta para plataformas Web e para os sistemas iOS (iPhone) e Android, que acrescentou uma função interessante para quem deseja manter a organização financeira e gerenciamento de contas de pequenos negócios em um mesmo aplicativo.

Batizada de “Meu Negócio”, a função permite ao pequeno empreendedor gerenciar suas contas pessoais e da empresa ao mesmo tempo, em um único ambiente. “Já disponibilizávamos, por meio do papelada, todo o histórico de gastos do usuário. Na versão 2.0 do app, este gerenciamento passa a abranger também o pequeno negócio dos nossos usuários”, ressalta Moraes.

Segundo o CEO da fintech, empresas parceiras do papelada já disponibilizam, automaticamente na plataforma, documentos por elas emitidos para o CPF do usuário cadastrado. Já no caso de contas e documentações emitidas por instituições e companhias não cadastradas, o sistema permite a busca da fatura online, também de acordo com os dados cadastrais do usuário.

O maior desafio da empresa, de acordo com Leonardo Moraes, é aumentar a base de usuários concomitantemente à adesão de novos emissores à plataforma. “Estamos atuando, em uma ponta, com ações de marketing e comunicação para alcançar e fidelizar mais usuários e, em outra ponta, com prospecção para fechamento de acordos com emissores”, explica.

Entre os emissores que a empresa busca atrair para a plataforma estão empresas de telefonia, TV a cabo, empresas de fornecimento de luz, gás, entre outras.

Projeções para o futuro

O futuro do papelada parece ser bastante promissor. No final do mês de setembro, o aplicativo se fez presente na lista dos “Apps que Amamos”, da Apple Store, e chegou ao TOP 50 da loja da Apple entre os aplicativos da categoria Finanças.

Segundo o CEO da startup, as projeções da papelada para o longo prazo são, de fato, muito positivas. “A tração dos usuários ajuda na prospecção com os emissores, e novas empresas estão se tornando parceiras”, garante.

Serviço:

papelada

Site: www.papelada.com.br

Autor

Luana Neves

Jornalista e redatora. Atuou como editora de Economia no Jornal DG e Revista Quem é Quem - Economia, assinou por três anos coluna diária de Economia e já produziu conteúdo para diversos portais de notícias do Brasil.

shadow

Posts relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *