As fintechs têm avançado ano após ano no Brasil. No início de 2017 havia mais de 240 destas empresas no mercado brasileiro. Muita gente, no entanto, ainda não conhece estas startups inovadoras, que chegam ao mercado para solucionar problemas e oferecer serviços de alta tecnologia comuns ao setor bancário de maneira eficientes e menos burocrática.

E foi pensando nisso que o Blog de Valor decidiu produzir uma série inédita sobre fintechs. Hoje você vai conhecer o perfil de mais uma destas startups, que têm facilitado a vida do consumidor e resolvido suas dores no segmento dos serviços que, até pouco tempo atrás, eram oferecidos exclusivamente por grandes instituições bancárias.

Saiba um pouco mais sobre a fintech URBE.ME, que permite aos pequenos investidores realizar aportes em projetos imobiliários de maneira simples, descomplicada e totalmente online.

Raio-X: URBE.ME

A ideia da URBE.ME surgiu em 2013, quando o administrador Paulo Deitos Filho e o arquiteto Lucas Obino se conheceram por meio de um amigo em comum. Na época, Paulo atuava na captação de recursos via internet para viabilização de empresas, enquanto Lucas tinha um projeto de vender cotas de imóveis via internet.

Os empreendedores então decidiram unir seus projetos e criar uma startup que permitisse a captação de recursos para projetos imobiliários por meio do sistema de crowdfunding – de financiamento coletivo. Juntaram-se ao advogado Giancarlo Chiapinotto e deram vida à fintech URBE.ME, que nasceu com o objetivo de permitir que pequenos investidores pudessem investir em projetos imobiliários com maior facilidade, através da internet.

A solução do problema

A URBE.ME chegou ao mercado para preencher uma lacuna no campo dos investimentos imobiliários e proporcionar, aos investidores, acesso a investimentos específicos, sem taxas e com rentabilidades superiores àquelas encontradas no mercado. Por outro lado, a startup também ajuda a resolver as dores do incorporador no que se refere à captação de recursos para o desenvolvimento da obra.

Diferente dos fundos imobiliários – nos quais o investidor realiza aportes sem saber, exatamente, onde estará investindo, os investimentos imobiliários selecionados pela fintech são específicos e, por conta disso, o investidor consegue identificar onde está investindo seu dinheiro. Há oportunidades para aportes a partir de R$ 1 mil.

Para acessas as oportunidades de investimentos disponíveis na URBE.ME, basta que o investidor interessado realize o cadastro no site da empresa. Após a confirmação do aporte, o investidor consegue acompanhar cada etapa da obra na qual investiu diretamente na plataforma. Os rendimentos são pagos ao final do projeto.

De acordo com Deitos Filho ,o principal diferencial da URBE.ME é justamente permitir que ofertas públicas de investimento imobiliário sejam viabilizadas pela internet. “Isso permite que qualquer pessoa possa participar deste tipo de investimento que, no passado, era restrito a um grupo muito pequeno de pessoas”, explica.

O cenário atual

Há dois anos no mercado, a URBE.ME já realizou 6 captações e superou o patamar de R$ 10 milhões investidos em projetos imobiliários. Atualmente a empresa conta com mais de mil investidores ativos no portfólio.

Em 2017 a startup participou do programa Scale Up, da Endeavor, e foi eleita como uma das fintechs com maior potencial de crescimento da América Latina no prêmio Fintech Awards da Cantarino Brasileiro.

Segundo Deitos Filho, a maior dificuldade enfrentada pela empresa até aqui era conseguir autorização da Comissão de Valores Mobiliários (CVM) para a operação da empresa. O problema, no entanto, foi resolvido em julho de 2017, quando o mercado de crowdfunding foi regulado no Brasil por meio da Instrução 588 da CVM.

Projeções para o futuro

Com a principal dificuldade solucionada, os planos da URBE.ME para o futuro são bastante ambiciosos. De acordo com o fundador da empresa, a projeção é de triplicar o montante investido em projetos imobiliários no próximo ano. “Esperamos captar, no mínimo, R$ 30 milhões em 2018”, finaliza.

Serviço:

URBE.ME

Site: www.urbe.me

Autor

Luana Neves

Jornalista e redatora. Atuou como editora de Economia no Jornal DG e Revista Quem é Quem - Economia, assinou por três anos coluna diária de Economia e já produziu conteúdo para diversos portais de notícias do Brasil.

shadow

Posts relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *