Aqui nessa tônica você não vai encontrar os fatos que vão mexer com a semana, ou a agenda econômica ou nem mesmo o noticiário da semana passada…para isso existem vários noticiosos por aí…aqui você vai encontrar opinião sincera, exposição de ideais que eventualmente fazem sentido..rs.

Então vamos lá… (TEMPO DE LEITURA: 19 MIN)

 

RECAPITULANDO…

Gosto de começar o mês dando uma olhada geral…tipo um panorama Macro mesmo…pintar um quadro com a situação atual da economia, pois como sempre digo, não somos uma ilha!

Mês passado fiz isso na primeira tônica do mês…qual era o cenário? (confere aqui)

Em suma: receio com crescimento mundial por conta da trade war tornava o mercado mais avesso a risco e buscando proteção em ativos de renda fixa…com isso víamos commodities sofrendo, ativos de risco sendo colocados em segundo plano e mais e mais bonds negociando com juros negativos – gráfico abaixo mostra que existem hoje um estoque de US$ 13 trilhões de bonds sendo negociados a juros negativos!

Não obstante, a continuidade da Trade War pesava sobre perspectivas de crescimento americano, jogando seus juros para baixo e, com isso, puxando o dólar para baixo…

Ou seja, queda recente do dólar não foi só no Brasil! Como digo não somos uma ilha!

Passado um mês o cenário de juros só foi reforçado; mas as commodities se recuperaram (gráfico abaixo) e os investidores passaram a procurar mais risco…bolsa americana teve alta de 6,9% e o MSCI World teve alta de 4,9%!

O cenário externo de juros negativos teve repercussão internamente com todos os juros brasileiros caindo…gráfico abaixo mostra a evolução da chamada curva de juros brasileira. Se há 12 meses atrás os juros de 10 anos se situavam em 11,2%, hoje se encontram em 7,5%! Isso faz uma grande diferença para precificação de ativos como busquei explicar na semana passada.

Ou seja, tivemos um cenário bom lá fora com queda do dólar, elevação das commodities e juros continuamente baixos. Esse último fator trazido para realidade do nosso mercado ajudou a impulsionar a bolsa. Com isso, o dólar caiu cerca de 6% de meados de maio até agora … e a bolsa fechou junho com 4% de alta.

 

E O QUE ESPERAR PARA JULHO?

Começamos a semana, o mês e o semestre com ventos positivos vindos de fora:

Do Investing.com:

Os Estados Unidos e a China concordaram no sábado em reiniciar as negociações comerciais após o presidente Donald Trump oferecer concessões, incluindo novas tarifas e uma flexibilização das restrições à empresa de tecnologia Huawei, a fim de reduzir as tensões com Pequim. Nenhum prazo foi estabelecido para o progresso de um acordo, e os dois lados permanecem sem definições sobre partes significativas das conversas.

Mercado já repercute muito bem…veja o S&P Futuro:

E as bolsas asiáticas aproveitaram para comemorar…

Minha opinião: a notícia do retorno a mesa de negociações por US e China é muito positiva para os mercados de renda variável sim! Penso que há motivo para celebrar, ainda que na prática não tenha se chagado a nenhum acordo que interrompa a guerra comercial. Então penso que faz preço sim no curto prazo, em especial essa semana.

Vale lembrar que junto a isso temos: juros americanos em queda; dólar mais fraco o que favorece commodities; e o acordo entre China e EUA tende a impulsionar commodities e a perspectivas de crescimento global.

 

ECONOMIA…

Tal acordo vem em boa hora uma vez que o último dado do PMI da China mostrou fraqueza e reforçou a ideia de que aquela economia foi sim afetada pela Trade War….veio abaixo de 50.0 o que mostra contração da atividade manufatureira.

Assim como a economia americana vem dando sinais de arrefecimento forte! Os últimos PMI’s também decepcionaram bem:

Nisso tudo a Europa foi que mais saiu prejudicada, pois além de ter fundamentos macro frágeis viu as duas maiores economias do mundo reduzindo suas expectativas de crescimento e isso os afetou em cheio! Último dado PMI foi bem ruim…mostrando contração da atividade econômica do bloco.

Minha opinião: economia é cíclica e formada de longos ciclos e ciclos mais curtos. Penso ser normal esse arrefecimento após um 2018 forte. Então a figura parece feia, mas se de fato houver uma interrupção na guerra comercial aliado a ação já coordenada dos Bancos centrais injetando mais liquidez no sistemas, veremos esses indicadores melhorarem. 

A propósito se você quer saber o que é o PMI, clique aqui.

 

VAI BRASIL…PRA CIMA DELES! 

Toda semana busco passar minha percepção a respeito da bolsa e dos ativos brasileiros. Há 2 semanas atrás disse que acreditava que tinha chegado a hora da bolsa andar (confere) … precificar aquilo que estávamos esperando o ano inteiro.

Bolsa andou um pouco, mas acredito que vá continuar indo bem. 

Por quê?

Lhe devolvo a pergunta, por que não? 

Qual o motivo para vermos o mercado brasileiro sofrendo? 

No Brasil vivíamos e seguimos vivendo a incertezas políticas…mas nesse sentido, vimos elas diminuindo ao longo do mês de junho e parece bem possível que nos próximos dias tenhamos a tão sonhada e comentada reforma da previdência! Acredito que saia até… […]

 

Leia o texto na íntegra no blog BUGG – Análises Econômicas e de Investimentos, de William Castro Alves.

 

Como fazer seu dinheiro trabalhar para você?

Aprender a investir melhor seu dinheiro e tomar boas decisões de investimentos, de acordo com seu planejamento pessoal, é a única maneira de fazer seu dinheiro trabalhar para você e de conquistar todos os seus objetivos financeiros.

Quer acelerar a conquista da sua liberdade financeira? Então clique aqui e saiba como fazer o seu dinheiro trabalhar para você agora!

 

 

Autor

William Castro Alves

Economista pela UFRGS, iniciou sua carreira em 2004 na Solidus Corretora, tendo passado pelo Koliver Merchant Bank e Banco Alfa. Atuou como analista de Investimento na XP e responsável pelas gestão das Carteiras Recomendadas.

shadow

Posts relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *