Quando pensamos em trocar de carro e o fazemos financiando parte do valor, não nos preocupamos, em geral, com a forma do financiamento, se é leasing ou CDC (crédito direto ao consumidor). Tal entendimento é importante para evitar armadilhas futuras e tomar uma decisão consciente. Normalmente escolhemos apenas qual terá o menor custo e ponto final. É uma forma de decisão, mas será 100% das vezes a mais adequada? A resposta é não! Para isso, vamos entender as diferenças.

 O que é o CDC?

O CDC se divide em duas modalidades:

  • Empréstimo: linha de crédito livre, disponibilizada normalmente através de crédito em conta corrente sem qualquer destinação específica por conta do contratante.
  • Financiamento: linha de crédito destinada a financiar o consumo de algo específico. Os recursos devem ser obrigatoriamente empregados na execução da finalidade contratada.

Dessa forma, o financiamento de veículos – que é a modalidade de CDC que estamos analisando – é uma operação financeira cujo tomador do crédito (consumidor, cliente, tomador) é o proprietário do veículo ficando o mesmo alienado ao banco financiador durante a vigência da operação.

O que é Leasing?

A palavra leasing – de origem inglesa derivada do verbo to lease – significa aluguel. Leasing é, portanto, o mesmo que aluguel e, também, o mesmo que arrendamento.

A idéia de leasing é a utilização e não a propriedade de um determinado bem.

Na prática, o cliente escolhe o veículo e o fornecedor que melhor satisfaça suas necessidades e efetiva a operação por meio de um contrato de leasing.

O leasing é, portanto, um contrato pelo qual alguém cede a outrem, por certo tempo e preço, o uso e gozo de coisa não fungível. No final do prazo contratual o arrendatário (tomador, cliente, consumidor) poderá comprar ou devolver o veículo à empresa de leasing indicando um 3º. para compra.

Por conta dessa característica, a prestação paga pelo cliente numa operação de leasing é composta pelo somatório de duas parcelas: a contra-prestação e o valor residual garantido (VRG).

  • Contra-prestação: diz respeito ao valor do pagamento que corresponde ao aluguel, ao arrendamento propriamente dito, pelo uso do veículo arrendado.
  • VRG: é o percentual ou importância previamente tratada entre cliente e a empresa de leasing para que, no final do prazo, o cliente possa exercer o direito de compra. O pagamento do VRG é diluído no contrato.

Diferenças importantes entre CDC e Leasing:

CDC

Leasing

Natureza da operação

Empréstimo

Aluguel

Propriedade do bem

Cliente

(alienado ao banco)

Banco

(cedido para o cliente)

Composição da parcela

Parcela do financiamento

Contra-prestação + VRG

Incidência de IOF

Sim

Não

Antecipação das parcelas:

Muitas vezes fazemos um financiamento de veículo por um determinado prazo e, antes de seu término, manifestamos a intenção de trocar novamente de veículo e, para isso, temos que quitar o contrato atual. Quando isso ocorre, a diferença entre o CDC e o Leasing torna-se mais significativa.

  • Antecipação no CDC: é possível a qualquer tempo, calculado o valor presente (VP) conforme Resolução 3.516/07 do BACEN. Ou seja, obtém-se desconto dos juros sobre as parcelas vincendas (a vencer).
  • Antecipação no Leasing: é possível a qualquer tempo, mas o arrendatário somente fará jus à opção de compra do veículo se cumprir o prazo mínimo legal de 24 ou 36 meses, conforme a vida útil do bem, de acordo com a Resolução BACEN 2309, de 1996.

Resumindo: além da menor flexibilidade, vale observar que parte da prestação do leasing é composta por um valor de aluguel. E valor de aluguel não tem juros. Portanto o desconto para antecipação do contrato, no leasing é muito menor do que no CDC.

Então, qual é o melhor?

Se a intenção é levar a operação (seja CDC ou Leasing) até o final do prazo do contrato, deve-se optar pela de menor custo, que normalmente é o leasing. Mas se a intenção é ter flexibilidade e possibilidade de maior desconto em caso de quitação antecipada ou mesmo a troca por um outro veículo durante o prazo do contrato, a operação de CDC tende a ser mais adequada.

E como saber qual é a alternativa mais barata?

Bom, você irá se deparar com alternativas (CDC e Leasing) de vários bancos e empresas de leasing, tanto das oferecidas pela loja de veículo, quanto pelas oferecidas pelo banco de seu relacionamento. Aí é bom entender que existe uma diferença entre taxa de juros e CET (custo efetivo total).

Muitas vezes decidimos somente pela taxa de juros divulgada e nem sempre essa é a alternativa mais barata.

Veja o quadro abaixo:

Banco A – LSG

Banco B – LSG

Banco C – CDC

Veículo

28.500,00

28.500,00

28.500,00

Entrada

18.500,00

18.500,00

18.500,00

Valor solicitado

10.000,00

10.000,00

10.000,00

Tarifa cadastro

350,00

0,00

0,00

Serviços 3º.s

420,00

0,00

0,00

IOF

0,00

0,00

152,15

Gravame

42,85

0,00

0,00

Promotor de vendas

181,00

0,00

0,00

Total financiado

10.993,85

10.000,00

10.152,15

Valor da parcela

543,10

488,88

496,31

Qtd parcelas

24

24

24

Tx de juros informada

1,41%

1,32%

1,32%

Tx de juros real (CET)

2,24%

1,32%

1,45%

CET – custo efetivo total

30,40%

17,00%

18,81%

Na tabela acima vimos que as operações do banco B e do banco C tinham, em tese, a mesma taxa de juros: 1,32%. No entanto a proposta de leasing do Banco B teve menor CET.

Veja como o custo da operação do banco A, cuja taxa de juros divulgada foi de 1,41%, se elevou para 2,24% em função de outras taxas cobradas. Normalmente esses custos são condensados numa taxa chamada TAC – taxa de abertura de crédito que serve, na verdade, para remunerar alguns prestadores de serviços envolvidos.

Neste caso, dependendo do objetivo de cada um e da flexibilidade que se deseja, a opção ficaria entre as operações de leasing do banco B e de CDC do banco C.

Portanto, o mais importante é consultar o CET da operação. Compare sempre condições iguais (mesmo valor do veículo, mesmo valor financiado e mesmo prazo). Se considerar todas essas condições, poderá optar pela operação de menor CET.

Pra você, o melhor pode ser um CDC com CET maior do que de um leasing… Ou um CDC com juros informados maiores, mas com menor CET… Ou um contrato de leasing, se o objetivo for cumprir todo o prazo.

Espero tê-lo ajudado a entender os pormenores de avaliação do custo de uma operação de leasing e de CDC e de suas características.

 

Grande abraço,

André Bona

Autor

André Bona

André Bona possui mais de 10 anos de experiência no mercado financeiro, tendo auxiliado milhares de investidores a investir melhor seus recursos e é o criador do Blog de Valor - site de educação financeira independente.

shadow

Posts relacionados

Comentários

  1. wellington    

    E possivel na compra de um veiculo cujo esteja financiado na modalidade leasing, o novo comprador transferir a divida para CDC junto ao banco?

    1. André Bona    

      Wellington, ele poderá quitar um e pegar o outro. Isso é possível, mas são 2 operações. Não sei se é vantajoso, pois haverá a incidência de IOF na nova operação. E dependendo do prazo, o leasing não pode ser quitado. O leasing é recomendado para quem, certamente, vai levar a operação até o final e para empresas, pois a parcela de leasing pode ser contabilizada como despesa, sendo abatida do cálculo do IR, no caso de empresas tributadas pelo Lucro Real.

  2. Abner    

    Ola, tenho um Gol 2001 16v. Quando o comprei dei R$4000,00 de entrada e financiei R$8500,00 em 36 vezes (CDC), ja paguei 18 parcelas e estou em dia, mas estou pensando em trocar por outro carro, um Astra 2007. E possivel fazer essa troca? Estou sujeito a ter muito prejuizo?
    Obrigado!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *