O processo decisivo dentro de uma empresa depende de um conglomerado de informações. Escolhas assertivas exigem total conhecimento do desempenho financeiro, tributário, operacional, dentre outros. Neste cenário, possuir um excelente respaldo contábil, sobretudo da contabilidade gerencial, é de extrema importância para o negócio.

Ao contrário da contabilidade tradicional, a contabilidade gerencial vai além dos números. Ela envolve avaliação, gestão e tomada de decisão.

Quer saber o que é contabilidade gerencial, suas principais características e, principalmente, como suas ações podem alavancar o seu negócio? Acompanhe o artigo de hoje e desvende este conceito.

Boa leitura!

Definição e conceito de contabilidade gerencial

Entende-se por conceito de contabilidade gerencial a reunião de estratégias, técnicas e ações que possibilitam o compartilhamento de dados e demais informações financeiras da empresa.

Em meio a estas informações, o gestor torna-se apto a tomar decisões assertivas, baseadas nas informações coletadas a partir de relatórios contábeis.

Dentre as características da contabilidade gerencial destacam-se a identificação, mensuração, acumulação, análise, preparação, interpretação e comunicação das informações coletadas.

Tais informações, por sua vez, são utilizadas como base para o processo decisório em prol do bom planejamento, avaliação e controle de recursos financeiros e econômicos do negócio.

Em meio a um cenário de tomada de decisões, a contabilidade gerencial surge como método de redução de riscos, uma vez que toda e qualquer ação será realizada após análise de dados passados e provisões futuras.

Vantagens da contabilidade gerencial financeira

Aplicar a contabilidade gerencial no seu negócio traz um série de vantagens estratégicas, principalmente relacionadas à percepção e aplicação de ações futuras.

Listamos a seguir alguns dos benefícios:

Identificação de gargalos na produção

Em outras palavras, trata-se da redução de desperdícios. Nem sempre o nível de produção que a empresa espera é o que ela realmente entrega.

Neste processo, podem haver falhas que comprometem integralmente o andamento das atividades. A contabilidade gerencial auxilia na percepção destes gargalos, eliminando-os e otimizando o processo produtivo.

Precificação estratégica

Muitos empreendedores acreditam que basta seguir o preço médio proposto pelos concorrentes para que seja aplicada uma precificação vantajosa e confortável. Mas não é bem assim.

A contabilidade gerencial é uma grande aliada na precificação de produtos e serviços. Através dos relatórios gerados, é possível avaliar custos com matéria-prima e produção, a fim de determinar a porcentagem ideal de lucro e, consequentemente, valor de venda.

Como aplicar a contabilidade gerencial na empresa?

1.   Elaboração de relatórios

A contabilidade tradicional, por si só, é caracterizada pela avaliação de dados contábeis e financeiros para o desenvolvimento de relatórios gerais. Como exemplo destes relatórios temos os balanços patrimoniais, livros-caixa e a escrituração fiscal – frequentemente interpretados apenas por contadores, uma vez que a demonstração dos dados é complexa.

Já na contabilidade gerencial, o foco são os relatórios personalizados. A partir da extração de informações relacionadas ao custo com o lançamento de determinados produtos, por exemplo, é possível criar um relatório específico ao setor de marketing.

Com estes dados, o departamento consegue traçar novas estratégias que reduzam os custos, caso estes apresentem-se muito elevados, e aumentem a margem de lucro com os produtos.

2.   Integração entre departamentos

Para que os projetos e ações da empresa sejam realizados de forma efetiva e sem grandes obstáculos, é necessário integrar os departamentos – de modo que todos tenham conhecimento acerca das decisões que serão tomadas.

Desta forma, os riscos poderão ser analisados pelos responsáveis de todos os setores, que poderão dar opiniões estratégicas sobre os impactos de cada decisão.

Um exemplo bem prático: o departamento comercial da empresa avalia a possibilidade de abertura de uma nova filial, em outro estado. Como se trata de uma expansão que trará impactos econômicos e fiscais, o departamento financeiro ou contábil, por exemplo, deve participar ativamente do processo de análise.

Com uma visão mais analítica, um contador gerencial pode provisionar a aplicação de impostos e demais custos, como os administrativos e operacionais, mapeando as obrigações, deveres e necessidades da nova estrutura.

Vale salientar que manter um padrão para a aplicação de ações, realizar reuniões periodicamente e definir o fluxo das informações – a fim de evitar ruídos internos – otimiza o gerenciamento entre departamentos.

3.   Uso de ferramentas tecnológicas

A tecnologia é uma grande aliada das ferramentas da contabilidade gerencial. A busca por novas soluções deve adequar-se à rotina empresarial, aprofundando-se, inclusive, em setores que já tenham um histórico negativo relacionado ao gerenciamento de informações.

Se a sua empresa já vivenciou episódios de inadimplência, por exemplo, seja devido a escassez de recursos, seja pela fragilidade nos processos de contas a pagar e receber, é interessante criar mecanismos de análise que auxiliem na gestão financeira.

Em contrapartida, o contador gerencial deve ter acesso total aos dados disponíveis no sistema de gestão do negócio. Assim, será possível analisar dados e emitir relatórios que facilitem a visualização das contas da empresa, evitando novos episódios de inadimplência – seja devido a erros humanos, seja devido a erros sistemáticos.

4.   Capacitação profissional da equipe

A capacitação da equipe tende a ser uma das principais ferramentas da contabilidade gerencial. Apostar em workshops, palestras e reuniões cuja pauta envolve as expectativas do setor gerencial da empresa acaba por reduzir ruídos e otimizar as ações.

A empresa, mais especificamente na figura do contador gerencial, deve esclarecer a importância de o departamento contábil manter-se alinhado aos demais setores do negócio.

O ideal é que todos os colaboradores estejam atualizados sobre os números que mais representam seus setores, a fim de alinharem-se à interpretação dos relatórios propostos pela contabilidade gerencial financeira.

5.   Elaboração de planejamento estratégico

Torna-se impossível falar em contabilidade gerencial financeira sem falar em planejamento estratégico. Ao criar um planejamento para sua empresa, você pode definir metas e traçar objetivos que serão realizados a curto, médio e longo prazo.

Na contabilidade gerencial, é possível aliar informações como balanços patrimoniais e demonstração de resultados junto a análises de mercado, orçamentos, custos tributários, custos de produção, custos operacionais, dentre outros.

Empresas que almejam crescimento de forma organizada e planejada devem, desde já, apostar nas estratégias propostas pela contabilidade gerencial. Além do contador, gestores de todos os departamentos devem aliar-se, a fim de colher os melhores resultados – do ponto de vista gerencial e, consequentemente, financeiro e econômico.

´Curtiu o conteúdo? Então compartilhe nas suas redes sociais e ajude seus amigos!

Como fazer seu dinheiro trabalhar para você?

Aprender a investir melhor seu dinheiro e tomar boas decisões de investimentos, de acordo com seu planejamento pessoal, é a única maneira de fazer seu dinheiro trabalhar para você e de conquistar todos os seus objetivos financeiros.

Quer acelerar a conquista da sua liberdade financeira? Então clique aqui e saiba como fazer o seu dinheiro trabalhar para você agora!

Autor

Equipe André Bona

O Portal André Bona é um site de educação financeira independente, que tem como missão auxiliar pessoas e famílias a melhor compreender o mercado financeiro e seus produtos. Assine nossa newsletter!

shadow

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *