Fim do mês apertado, contas empilhadas e o cineminha que fica para a próxima são situações comuns na vida de muitos brasileiros. O que muitos não se dão conta, no entanto, é que a nossa realidade financeira pode ser diferente disso, bastando economizar dinheiro no dia a dia.

Existe, porém, uma armadilha envolvendo este processo de economizar, que é construída no momento em que as pessoas não conseguem colocar a economia em prática, de forma efetiva, em suas vidas. E este processo acabada por desencorajar e desestimular as pessoas quando o assunto é vida financeira equilibrada.

Se você está cansado de ter dinheiro curto, que leva tanto tempo para chegar e vai embora tão rápido, o artigo de hoje foi feito para você. Continue a leitura e confira abaixo 8 dicas infalíveis que ajudarão você a economizar dinheiro no dia a dia e a conquistar aquela reserva financeira que você tanto deseja ou a alcançar sua liberdade financeira para realizar um sonho antigo, engavetado ao longo dos anos.

Acompanhe!

1. Organize e controle suas despesas

Tenha anotado, de forma precisa e organizada, todos os seus gastos mensais. Tenha em mente todas as suas despesas e tudo o que for essencial para o mês.

O primeiro passo para ter controle da sua vida financeira é saber o quanto é necessário gastar mensalmente com as despesas essenciais. Sabendo disso, você já terá um direcionamento da porcentagem de sua renda que irá para as contas e similares.

Já deixe, com uma certa folga, o montante necessário para essa finalidade separado e lembre-se de pagar as contas em dia, para não ter de lidar com os juros.

2. Anote suas despesas extras e corte o que for (des) necessário

Aquele suco de laranja depois do almoço, um brigadeiro extra no fim de semana ou um presentinho de gratificação pessoal. É comum as pessoas se perderem em um amontoado de pequenos gastos que pareciam inofensivos.

Por isso, é essencial manter um controle de tudo que se gasta diariamente e fazer um controle mensal dos extras. Anote tudo em um local específico, especialmente esses pequenos deslizes que, no final do mês, podem totalizar uma soma de dinheiro que poderia ter sido gasta para outros objetivos mais importantes a longo prazo.

Depois de ter anotado por um ou dois meses, fica mais claro saber o que cortar e lhe dará um ânimo maior para manter suas anotações e cortar o que for desnecessário.

3. Fique longe das dívidas e empréstimos

É claro, nem sempre isso é possível, mas começar a ter controle financeiro pode ajudar você a ter uma perspectiva melhor da sua situação financeira e a evitar dívidas e empréstimos. Pagar contas dentro do prazo e evitar juros, por exemplo, já é um grande passo para manter suas finanças em ordem.

Empréstimos de bancos e similares costumam ser uma grande furada para quem deseja economizar no dia a dia, já que os juros são muito altos e acabam se tornando, muitas vezes, uma imensa bola de neve.

Se você já adquiriu dívidas, não se desespere: tudo tem conserto. Manter um planejamento financeiro, por exemplo, poderá ajudar você a estimar quanto poderá desembolsar por mês para quitar um dívida sem apertar demais sua renda.

E lembre-se de manter o foco em quitar as dívidas – e não adquirir outras. Pagar o que for possível logo no início do mês, para não correr o risco de gastar com outras coisas e controlar seus gastos no dia a dia são hábitos que devem ser mantidos.

Uma alternativa para diminuir os riscos de precisar de empréstimos e para aumentar as chances de quitar as dívidas mais rapidamente é buscar uma renda extra, como um trabalho freelancer, vender algo que sabe fazer aos amigos ou também anunciar aquelas tranqueiras empilhadas em casa – que ninguém usa, para vender online.

4. Congele o cartão de crédito

Você pode fazer como a protagonista do filme “Os delírios de consumo de Becky Bloom” e guardar seu cartão de crédito no congelador. Bem, talvez não precise ser tão radical, mas tenha controle dos gastos no crédito e deixe essa opção apenas para o que for essencial e não tiver outra forma de pagamento, como comprar passagens aéreas.

Outra opção é pedir no banco cartões separados de débito e crédito e deixar o último em casa na hora de sair para um passeio cotidiano, para não cair na tentação.

5. Busque outras alternativas para lazer

Se você acaba se afundando em gastos de lanches, passeios, academia, é possível rever seus conceitos. Você pode optar por sair menos vezes por semana, planejando, a priori, o que couber no seu orçamento.

Na hora do lazer, fique atento à programação da sua cidade: sempre há algum parque interessante ou evento gratuito para aproveitar. Utilize cupons para eventos culturais com preços reduzidos, substitua a academia por uma caminhada no parque.

Faça um agradável piquenique ao ar livre, com ingredientes direto do mercado, em vez de tentar aquele restaurante mais caro. Na hora de viajar, também vale pensar em formas alternativas de se hospedar, como se cadastrar em um site de trabalho voluntário em troca de hospedagem.

6. Enxugue a vida cotidiana

Uma boa parte do dinheiro pode acabar indo, sem controle e sem consciência, para momentos cotidianos. Um lanche extra depois do trabalho aqui, uma luz acesa na cozinha vazia ali e lá se vão mais várias dezenas de reais. Saiba que você pode ter maior controle financeiro se estiver atento a economizar dinheiro no dia a dia.

Se você almoça no trabalho ou local de estudo, pode levar a comida de casa e dar uma boa economizada. Em alguns casos, dá para substituir o carro pela bicicleta, ou pelo menos revezar a carona com um colega que more meio perto.

Se tiver condições, faça uma horta em casa, com alguns vasos de leguminosas mais utilizadas. Apague as luzes quando sair de um cômodo. Se atenha aos detalhes de gastos para repensar seus hábitos cotidianos.

7. Pratique o minimalismo na hora de consumir

Você não precisa ser um completo adepto do minimalismo, nem doar tudo o que tem para morar no meio do mato. Mas um pouco de consciência a respeito do consumismo exagerado e uma vontade de diminuir o que for desnecessário pode ser eficiente.

Aquele livro que você pretende ler uma vez só, pode ser emprestado na biblioteca. Procure consertar objetos danificados, quando possível, em vez de os jogar e comprar novos. Quando se trata de comprar coisas materiais, é bom ter consciência de investir no que for essencial e que valer a pena a longo prazo.

Na hora de fazer compras no mercado, não vá com fome e lembre-se de levar a lista de compras – e se ater a ela, em vez de pegar desenfreadamente tudo o que parecer interessante. É bom pesquisar preços também, mas tome cuidado com as promoções. Muitas vezes as pessoas podem cair nelas e acabar por adquirir coisas que não precisavam, ou comprar quantidades muito maiores do que o que podem consumir no curto e médio prazo.

8. Tenha objetivos e planeje suas finanças

Saber o que fazer com o dinheiro é essencial, mesmo que seja simplesmente acumular uma boa poupança. Tenha em mente o que você pretende, para ter maior controle.

E lembre-se de ter foco no objetivo, mantenha-se com o pensamento a longo prazo. Você pode, inclusive, deixar lembretes do seu objetivo ao seu redor, na sua casa ou local de trabalho ou mesmo no celular e na carteira, para se lembrar. Se o seu objetivo é viajar, pode colar uma foto do destino desejado na sua carteira, para visualizar a imagem e pensar duas vezes antes de comprar aquela roupa que seria dispensável.

Se você divide as finanças com outras pessoas, trabalhe em família. Todos devem estar a par da situação financeira atual, do objetivo a ser atingido e deve haver um consenso em alcançar o objetivo, para todos os envolvidos, de modo que todos estejam agindo em prol de economizar dinheiro no dia a dia e alcançar o que foi estipulado.

Também é bom estabelecer prazos para os objetivos, especialmente se eles dependerem de datas. Se os seus planos envolvem viagens ou cursos, é bom ter um planejamento, tendo controle dos gastos e economizando, para conseguir o objetivo dentro do prazo determinado.

Utilizando estas dicas, ficará mais simples para você conseguir economizar dinheiro no dia a dia. E o resultado desta economia se transformará, aos poucos, no alcance de uma vida financeira mais equilibrada, com maior liberdade.

Quer aprender um pouco mais sobre finanças pessoais? Então clique aqui e entenda as principais diferenças entre independência e liberdade financeira!

 

Quer aprender mais sobre investimentos e finanças? Então conheça o treinamento online “O Investimento Perfeito”Clique aqui e saiba mais sobre o curso!

Autor

Redação Blog de Valor

O Blog de Valor é um site de educação financeira independente com a missão de auxiliar pessoas e famílias a melhor compreender o mercado financeiro e os seus produtos. Assine nossa newsletter!

shadow

Posts relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *