Os resultados de uma organização estão intimamente ligados à produção de bens e serviços e sua comercialização. Cálculos de retorno de investimento, margens de produtos. Tudo isso deve estar bem analisado. Porém, muitas vezes, implementar atividades e desenvolver trabalhos pode não ser tão simples e frio quanto parece nos números.

A importância das habilidades interpessoais no trabalho se destacam uma vez que o capital humano de uma empresa é responsável por colocar em prática as estratégias, construir uma cultura da organização e desenvolver um trabalho eficiente em equipe.

Para entendermos mais como as relações humanas estão ligadas aos resultados alcançados, este artigo irá tratar do comportamento organizacional e como analisá-lo.

Quer saber o que é o comportamento organizacional e sua importância? Continue a leitura e aprenda!

Comportamento Organizacional: O que é?

Nos estudos modernos de gestão, ao se estudar as organizações, foi percebida a importância do estudo da área comportamental da mesma forma que sempre foi dada a importância às habilidades técnicas.

A gestão empresarial sempre dedicou sua atenção ao estudo de Logística, Contabilidade, Finanças, Produção, e tantos outros setores diretamente ligados aos negócios. Porém, ao longo do tempo, a área comportamental foi elevada a um lugar essencial de estudo uma vez que as organizações são compostas por indivíduos.

O comportamento é desenvolvido de acordo com as experiências a que os indivíduos são expostos em sua vida e de acordo com as interações deles nos ambientes de trabalho. Diante dessa análise, pode-se chegar a alguns questionamentos:

Como o comportamento afeta o desempenho dos profissionais? Como afeta os resultados alcançados pelas corporações?

Um grupo representa uma nova configuração, indo muito além da soma dos indivíduos que o compõem, que merece estudo específico. Para entender essa interação e seus resultados, surge o estudo do comportamento organizacional, que pode ser resumido como:

O comportamento organizacional estuda o impacto das relações entre os indivíduos, dentro de uma estrutura organizacional, no desempenho de cada indivíduo em suas atividades e nos resultados alcançados pela organização.

Importante considerar que o estudo do Comportamento Organizacional abrange administração e gestão, mas se vale de conceitos e análises realizadas em outros campos de estudo, como variáveis psicológicas, psicologia social, e sociologia.

Para entender como este estudo busca se estruturar, continue a leitura e entenda.

Níveis de Comportamento Organizacional

A análise de comportamento pressupõe elementos subjetivos e mais difíceis de quantificar se comparados a outros departamentos.

Dessa forma, foi desenhada uma estrutura da análise em níveis, conforme segue:

Modelo Básico de Níveis de Análise do Comportamento Organizacional

  •  Nível Individual
  •  Nível de Grupo
  •  Nível de Sistemas organizacionais

Nível Individual

Diz respeito a variáveis que se relacionam ao indivíduo: Características biográficas, habilidades, valores e atitudes, personalidade e emoções. Essas variáveis influenciam na percepção da realidade, tomada de decisão individual e escolhas, aprendizagem individual e motivação.

O primeiro fator que influencia no comportamento e desempenho das organizações é a própria pessoa através de suas características pessoais.

Nível de Grupo

Se relaciona ao grupo, levando em conta: comunicação no grupo, tomada de decisões em grupo, como é exercida a liderança, a confiança do grupo, formas de poder e políticas adotadas.

Essas variáveis afetam a estrutura do grupo, a interação entre as equipes de trabalho e a geração e resolução de conflitos.

“O comportamento de um grupo é mais do que a soma das ações dos indivíduos que fazem parte dele. A complexidade do modelo aumenta quando compreendemos que o comportamento das pessoas é diferente quando elas estão sozinhas e quando estão em grupo” (ROBBINS, 2006, Comportamento Organizacional, p. 23).

Nível de Sistema Organizacional

Esse nível diz respeito a: Cultura organizacional, política de recursos humanos, estrutura da organização.

A análise dessas variáveis auxilia o alcance de níveis satisfatórios que as empresas buscam relativos à produtividade, melhoria nos índices de absenteísmo e rotatividade de empregados, redução de desvios de comportamento no ambiente de trabalho, cidadania organizacional e satisfação no trabalho.

Comportamento Organizacional: Qual a importância?

As organizações não são tidas somente como unidades de produção de bens e serviços, mas de relações sociais, de trocas e compartilhamento de valores entre os indivíduos que as compõem.

Dessa forma, o potencial de crescimento de uma organização pode ser considerado em relação ao sistema sócio cultural instituído e à melhor performance do potencial humano dessa organização. Quando levamos em conta o papel do administrador, podemos definir ainda que o desempenho desse papel está intimamente ligado a habilidades humanas.

Para desempenhar suas atribuições o administrador deve ter habilidades técnicas. Ou seja, deve saber o que está fazendo, saber como mensurar as variáveis; habilidades conceituais, uma vez que precisa de capacidade cognitiva para análise de informações e cenários para tomada de decisões; e, habilidades humanas.

Por que habilidades humanas?

Por que todo trabalho desempenhado será com outros indivíduos. Cabe ao gestor ter habilidades interpessoais, direcionando e motivando os colaboradores; ser o disseminador de informações à equipe; receber informações da equipe e perceber o que se passa no exterior, concatenando essas informações.

E, claro, nos processos decisórios, quando inicia projetos, toma decisões diante de situações críticas; busca melhor alocação de recursos físicos, humanos e financeiros.

O gestor está sempre no papel de negociador, buscando relacionamentos nos quais os atores ganhem – estabelecendo relações ganha-ganha. Além de melhorar a habilidade humana na gestão, o comportamento organizacional apresenta inúmeras outras possibilidades como:

  • Melhoria de atendimento ao cliente
  • Estimulo e aceitação de inovações e mudanças no trabalho
  • Retenção de talentos
  • Auxílio ao corpo funcional a conciliar da melhor forma vida profissional e pessoal
  • Construção de um terreno fértil para comportamentos éticos.

Concluindo

Como é possível perceber, um ambiente de trabalho agradável permite o desenvolvimento de potenciais e retenção de talentos. Da mesma forma, um ambiente tóxico reprime a qualificação das pessoas e resulta em rotatividade de membros da equipe que não se sentem atraídos a permanecer naquele ambiente.

O estudo do comportamento organizacional trabalha o capital humano da empresa, fazendo com que os resultados da empresa sejam alcançados junto a uma satisfação do pessoal, aproveitando o melhor que cada um pode dar dentro da empresa.

E você, gostou de ver artigos de gestão por aqui? Compartilhe abaixo seus comentários com suas experiências sobre o tema e sugestões!

Como fazer seu dinheiro trabalhar para você?

Aprender a investir melhor seu dinheiro e tomar boas decisões de investimentos, de acordo com seu planejamento pessoal, é a única maneira de fazer seu dinheiro trabalhar para você e de conquistar todos os seus objetivos financeiros.

Quer acelerar a conquista da sua liberdade financeira? Então clique aqui e saiba como fazer o seu dinheiro trabalhar para você agora!

Autor

Daniela Viola Bona

Especialista em Finanças e Economista pela UFES (ES). Especialista em Comportamento Organizacional. Atua no mercado financeiro há 10 anos. Realiza atividades de educação e treinamento como professora/instrutora na área de banking/economia.

Posts relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *