O dumping é uma das práticas consideradas anticoncorrenciais, assim como o truste e o cartel. Logo, também pode prejudicar muito o mercado e a livre concorrência, fundamental para que haja equilíbrio entre todos em uma relação de compra e venda.

Nesse cenário, geralmente os produtos têm preços abaixo do montante de custo de forma temporária. Quando os concorrentes enfraquecem e são eliminados, esses mesmos bens são vendidos a valores muito maiores para compensar as perdas e melhorar o resultado financeiro durante o período anterior.

Já imaginou as consequências disso? Acompanhe a leitura do artigo e aprenda melhor o que é o dumping para saber identificá-lo!

O que é dumping na economia?

Dumping é uma prática de definição de preços que ocorre quando uma companhia tem a possibilidade de cobrar pelo seu produto no exterior, um preço muito menor do que cobra no seu país de origem.

O objetivo de definir um preço reduzido é de competir com as outras empresas que já estão operando no país importador, possibilitando, assim, uma vantagem competitiva.

Com essa prática de concorrência desleal, as outras organizações podem não conseguir reduzir seus valores ao mesmo patamar, principalmente devido aos seus custos de produção. Dessa forma, elas podem ir à falência.

As consequências de um dumping é que as industrias do país importador são afetadas, permitindo à companhia que realizou essa ilegalidade a formar um oligopólio ou monopólio no seu setor de atuação nesse determinado local.

Exemplo de dumping

Imagine que a empresa X seja dos Estados Unidos e vende um produto no território americano por US$100 e exporta esse mesmo bem para o Brasil, nas mesmas condições de comercialização, por US$70. Nesse caso, considera-se que a companhia está praticando o dumping, com margem de US$30.

Ou seja, a empresa que importou está tendo prejuízo por vender seu produto mais barato no país de destino. No entanto, ela tem condições de mantê-lo até que as concorrentes fiquem prejudicadas.

Após isso, o preço sobe de forma exorbitante para compensar as perdas. Ela consegue fazer isso justamente por não ter mais concorrência, podendo impor seus preços.

Quais são os tipos de dumping?

Há alguns tipos de dumping que merecem ser mencionados. Confira-os abaixo.

Dumping persistente

Caracteriza-se pela ação de vender abaixo do preço de mercado por um tempo extenso. Esse cenário pode ocorrer quando a empresa recebe benefícios governamentais para vender seus produtos por valores inferiores durante a exportação ou por ter uma grande fatia de seu mercado interno.

Dumping temporário

Ocorre quando as empresas precisam colocar mais produtos em outras nações, afastando os concorrentes de seu nicho nesses lugares. Aqui, não há prejuízo para o mercado de seu país natal.

Dumping predatório

Acontece quando, para vender seus bens abaixo do preço no mercado internacional, as companhias sobem o valor no mercado interno para compensar as perdas no exterior.

Aqui, por mais que a concorrência externa seja prejudicada, os consumidores do país de origem também são afetados devido ao aumento no preço. Assim como os dois citados anteriormente, essa é uma prática de dumping comercial.

Dumping social

No dumping social, as nações que possuem mão-de-obra mais barata e encargos sociais menores são acusados pelos países que perderam condições competitivas por terem sacrificado o bem-estar de seus trabalhadores para conquistar outros mercados.

Dumping ambiental

Nessa modalidade, as companhias estabelecem atividades empresariais em locais onde a legislação ambiental é menos rigorosa e impõe poucas obrigações ao empregador. Assim, a empresa tem gastos menores na produção e maior margem de lucro.

O que é antidumping?

O dumping comercial, por ser uma prática anticoncorrencial, é proibida praticamente no mundo todo.

Para controlar essa ilegalidade, diversos governos adotam medidas antidumping para evitar que agentes econômicos se utilizem dessa artimanha para se beneficiar. Essas diretrizes foram criadas para proteger as companhias do mercado interno das estrangeiras que chegam a um determinado país vendendo por preços menores.

Assim, foram estabelecidas tarifas e tributos específicos para tornar os valores praticados entre empresas nacionais e estrangeiras mais igualitários.

Em outras palavras, o antidumping tem o intuito de elevar o preço das empresas estrangeiras e consequentemente, o encarecimento de seus produtos no mercado interno para defender as companhias locais.

Diversas nações, blocos econômicos e órgãos internacionais adotam as medidas antidumping. Inclusive, a Organização Mundial do Comércio (OMC) também proíbe a prática. O antidumping é, em sua essência, uma prática protecionista.

Qual a diferença entre dumping, cartel e truste?

Agora você entendeu que o dumping é prejudicial para a economia. Contudo, ele pode ser confundido com outras práticas de concorrência desleal, que são o truste e o cartel. Entenda melhor a diferença entre eles abaixo.

Truste

O truste ocorre quando duas ou mais empresas se juntam em uma mesma companhia. O objetivo é aumentar o poder delas em um determinado setor econômico.

Dessa maneira, as organizações que se uniram conseguem deter um grande domínio e controle sobre o mercado, aumentando, assim, seus lucros e tendo total poder sobre a oferta e demanda de bens e serviços.

Cartel

Talvez a prática anticompetitiva mais conhecida, o cartel se forma quando companhias se unem para estabelecer um preço único a um determinado bem ou serviço. Normalmente, os agentes econômicos pertencem ao mesmo nicho, mas são totalmente independentes.

Trata-se de uma prática altamente danosa, pois obriga o cliente a comprar o que precisa com os valores determinados pelos cartéis, os quais costumam ser acima do justo.

Existem casos de dumping no Brasil?

As práticas desleais na economia são fiscalizadas principalmente pelo Conselho Administrativo de Defesa Econômica (CADE). O dumping também pode ser investigado pela Subsecretaria de Defesa Comercial e Interesse Público, do Ministério da Economia.

Apesar da fiscalização, existiram alguns casos de dumping no país. Um dos exemplos mais comuns é a de importação de produtos chineses, que costumam ser mais baratos que os brasileiros.

O dumping em relação aos bens chineses demanda desses órgãos um constante controle e aplicação de impostos, sempre com o objetivo de proteger os comerciantes e produtores brasileiros.

Concluindo

O dumping traz consequências negativas para o comércio, visto que pode prejudicar diversas organizações e tirá-las do cenário econômico. Ainda, enfraquece a economia do país importador, pois suas empresas nacionais podem ir à falência.

O consumidor também tem seus direitos lesados. Isso porque ele fica sujeito ao desejo de um ou poucos agentes sobreviventes no mercado, estando na iminência de pagar preços abusivos.

Logo, é fundamental que a sociedade e os órgãos reguladores eliminem essa prática para manter o mercado saudável, defender as empresas locais e garantir o princípio da livre concorrência.

Que tal continuar aumentando seus conhecimentos em economia? Aproveite e confira agora o que é e como funciona a economia de mercado!

 

Autor

Equipe André Bona

O Portal André Bona é um site de educação financeira independente, que tem como missão auxiliar pessoas e famílias a melhor compreender o mercado financeiro e seus produtos. Assine nossa newsletter!

Posts relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *