Você já ouviu falar do Fair Trade? Ele diz respeito a um sistema de comércio cujas ideias datam do final da década de 1940. Seu foco inicial era combater as injustiças do comércio internacional. Porém, ao longo do tempo, o movimento ganhou novos contornos.

Hoje, é possível enxergar o Fair Trade como a correção de desigualdades em quaisquer relações comerciais. Para isso, ele atua como uma espécie de economia solidária e que valoriza as condições de trabalho dos produtores.

Confira este artigo e saiba mais sobre como o sistema de comércio funciona!

O que é Fair Trade?

Fair Trade é um termo em inglês que significa Comércio Justo. Ele está presente em todo o mundo. Seus principais objetivos incluem melhores acordos para trabalhadores e agricultores de países em desenvolvimento, sustentabilidade e preços justos.

Esse movimento também impulsiona governos e empresas a reconhecerem os impactos de suas ações. Para esse fim, pede atenção a pontos sociais e ambientais, por exemplo.

Desde a sua criação, o Fair Trade ganhou muita relevância. Logo seu destaque culminou na criação de uma certificação Fair Trade. Ela é direcionada a associações ou cooperativas que apresentem os requisitos exigidos.

Além disso, o Comércio Justo conecta trabalhadores e agricultores aos potenciais compradores de seus produtos. Nesse momento, ele não visa ao lucro. Em vez disso, ao usar ferramentas como as certificações independentes, sua principal ideia é gerar mudanças significativas.

É possível entender mais sobre esse movimento por meio do site BRFAIR. Ele é da Associação das Organizações de Produtores Fair Trade do Brasil. O grupo representa as Organizações de Pequenos Produtores do Comércio Justo brasileiras.

Como funciona o Fair Trade?

Como você percebeu, o Fair Trade ajuda a desburocratizar as relações comerciais. Isso acontece uma vez que se minimiza, por exemplo, a atuação de atravessadores. Afinal, ao facilitar o contato entre compradores e produtores, as aquisições podem ser feitas diretamente.

E, nessa hora, um dos seus principais focos é o preço justo. Além de abordar os valores dos produtos certificados, em si, o preço justo preconiza a existência de um bônus que deve beneficiar toda a comunidade.

O sistema de comércio também inclui o financiamento da produção e a antecipação do pagamento da safra (se for necessário). Essas atitudes promovem um planejamento mais seguro e amparam a criação de vínculos mais significativos entre os consumidores, os produtores e os agricultores.

Para calcular o preço justo, usa-se como base os custos médios das produções sustentáveis das colheitas. Assim, é possível evitar incertezas quanto à possível queda dos preços do mercado. Além desse, o movimento segue alguns outros princípios. São eles:

  • respeito ao meio-ambiente;
  • corresponsabilidade e transparência na hora de gerir as cadeias comerciais e produtivas;
  • segurança no ambiente de trabalho e acesso à educação por parte das crianças;
  • relações de longo prazo que apoiem e capacitem os produtos, aumentando seu acesso às informações sobre o mercado;
  • reconhecimento justo do trabalho dos trabalhadores agrícolas e artesanais;
  • criação de oportunidades para produtores em desvantagem econômica;
  • cumprimento de normas nacionais e internacionais e da legislação;
  • garantia de que não haja trabalho forçado ou infantil;
  • organização democrática dos produtores em associações ou cooperativas, entre outros.

Quais são os padrões que um produto com a marca Fair Trade cumpre?

Conforme apontado, produtos que seguem os princípios Fair Trade cumprem padrões específicos. Eles incluem boas práticas ambientais, sociais e econômicas. Para quem trabalha na área da agricultura, isso significa ter seus direitos trabalhistas protegidos, por exemplo.

Também representa ter sua área de trabalho (o meio-ambiente) poupada. Já no caso das empresas, produtos com a marca Fair Trade incluem o pagamento do Preço Mínimo do Comércio Justo.

Além dele, adiciona-se um Prêmio Fair Trade. Esse valor adicional se volta para o investimento em projetos comunitários ou negócios escolhidos pela própria comunidade.

Quais os benefícios do Fair Trade para empresas?

A maior vantagem geral trazida pelo Comércio Justo é o acesso dos trabalhadores a preços justos. Em países em desenvolvimento, como o Brasil, muitos agricultores independentes podem receber rendas injustas, sendo marginalizados pelo sistema de comércio mundial.

Mas, como isso impacta as empresas? Apoiar esse sistema de comércio estimula um mercado mais justo e competitivo. Além de contar com preços justos, a compra e venda de produtos tende a culminar em um desenvolvimento econômico sustentável e benéfico a todos os envolvidos.

Além disso, a prática promove maior transparência nas negociações. Isso facilita as trocas com o consumidor — resultando em relacionamentos com maior confiança, solidariedade e respeito mútuo.

Também é possível melhorar a visão dos compradores em relação ao negócio. Isso porque organizações certificadas tendem a ser mais bem vistas pelo público. Elas se mostram ligadas a questões pertinentes ao desenvolvimento igualitário e sustentável do país.

Finamente, uma vez que governos tendem a injetar dinheiro para o setor privado, empresas que investem no Fair Trade podem atrair mais financiamentos.

Como funciona a certificação?

Agora que você sabe o que é e como funciona o Fair Trade, é hora de conferir como conquistar a certificação.  Em todo o mundo, os certificados são administrados pela World Fair Trade Organization (WFTO), ou Organização Mundial do Comércio Justo.

Ela é uma organização sem fins lucrativos. No Brasil, há, ainda, a Flocert, que é a principal certificadora nacional. Ela é credenciada pela ISO 17065, uma norma internacional de qualidade voltada aos certificadores.

Caso os produtos da empresa atendam aos padrões e princípios exigidos, ela ganhará um selo de identificação. Os produtos listados dependem do país em questão, bem como da região. É possível conferir os produtores que contam com o selo Fair Trade.

Para isso, basta acessar o site da BRFAIR. Apesar de ser importante, no Brasil, esse sistema de comércio ainda não tem tanto destaque.  Contudo, a tendência é que ele se torne cada vez mais forte com o passar dos anos.

Entender o Fair Trade pode ser importante para as empresas. Ele proporciona resultados baseados em uma sociedade mais sustentável e também ajuda na identificação de produtores e comerciantes que atendem aos critérios da organização internacional, aprimorando as negociações.

Gostou de saber mais sobre o assunto? Deixe um comentário!

Autor

Equipe André Bona

O Portal André Bona é um site de educação financeira independente, que tem como missão auxiliar pessoas e famílias a melhor compreender o mercado financeiro e seus produtos. Assine nossa newsletter!

Posts relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *