*Este artigo foi produzido pelo portal Chaves na Mão com exclusividade para o Blog de Valor.

 

A tão sonhada conquista da casa própria, seja um apartamento decorado ou uma casa em condomínio fechado, é um desejo que envolve uma grande parcela da população brasileira, especialmente quem passa anos conseguindo juntar dinheiro para conseguir realizá-lo.

Mas, atualmente, os imóveis atingiram preços tão elevados que ficou quase impossível fazer um pagamento à vista. Sendo assim, a alternativa mais viável acaba sendo o financiamento, geralmente feito por meio de um empréstimo, que depois será devolvido ao banco.

Entretanto, quando o banco empresta recursos para financiar o seu imóvel, acaba também impondo algumas restrições contratuais, que te proíbem, por exemplo, de alugar o imóvel para obtenção de renda enquanto a dívida ainda não foi quitada. Além disso, o financiamento exige uma série de requisitos e etapas para ser feito do jeito certo e não te dar uma dor de cabeça depois.

Está pensando em dar esse passo na sua vida? Saiba mais sobre como fazer um financiamento e acompanhe dicas práticas para adquirir um imóvel e conseguir comprar a casa dos sonhos!

O primeiro passo

Antes de partir para qualquer etapa de um financiamento, é necessário saber o quanto você poderá gastar, fazendo um controle prévio da quantia que será destinada mensalmente ao investimento para não sacrificar o conforto da sua família, pensando em espaços integrados, tamanho da cozinha, da lavanderia, da sua sala de estar, alguma área de descanso e entretenimento e, especialmente, seu quarto e o quarto de seus filhos. Após saber exatamente o valor que cabe no seu bolso, você deve partir para as simulações de financiamento.

De fato, se a simulação mais benéfica para você for aquela do banco no qual já possui conta, será ainda mais fácil o processo de aprovação do crédito, visto que a instituição possui seu cadastro há tempos e já realiza toda a sua movimentação financeira. Mas, vale repetir, nunca fique restrito a isso, pois os outros bancos, apesar de exigirem toda a burocracia e processo de cadastramento, podem te oferecer melhores condições e benefícios em longo prazo.

Busque sempre pela instituição que atende o que for importante para você, como: valor do imóvel, número de prestações, valor de entrada, etc. A Caixa Econômica Federal, por exemplo, tem as taxas mais baixas do mercado e ótimas vantagens no financiamento.

Mas lembre-se: independente da escolha, você precisará comprovar que tem condições de arcar com as parcelas para sair do aluguel e passar para a compra de um imóvel novo ou usado — normalmente, os bancos não o aprovam caso o valor das prestações seja maior do que 30% da sua renda.

Documentação necessária e comprovação de renda

Nessa etapa, você deve, obrigatoriamente, apresentar cópias do CPF e RG ao banco, junto dos originais. Lembrando que, se existe união estável ou um casamento registrado em cartório, é necessário a anuência do companheiro(a), pois a compra pode ser declarada nula futuramente caso haja contestação ou qualquer outro problema.

Sendo assim, ambos precisam apresentar seus holerites e comprovante de estado civil. Caso sejam autônomos, é importante entregar extratos bancários para demonstrar a movimentação na conta e também a declaração de imposto de renda do casal.

Se você deseja financiar com um banco no qual ainda não possui conta, deverá se submeter a todo o processo de cadastramento junto ao gerente, o qual te informará toda a documentação necessária para dar seguimento às etapas e, posteriormente, aprovar o financiamento. Procure demonstrar de onde vem a sua renda familiar, seja através de holerites, extratos bancários, declaração de imposto de renda, contratos de prestação de serviço, etc.

Por último, aguarde a sua análise no SPC (Serviço de Proteção ao Crédito) e, caso não haja nenhuma pendência em seu nome, o crédito é liberado.

Quanto tempo leva para a aprovação?

O tempo de espera entre as simulações e a aprovação do crédito dura em média de 30 a 45 dias. Tudo vai depender de uma série de fatores: se você já possui todos os documentos necessários em mãos, se o financiamento será no banco que possui conta ou em uma agência diferente, se já simulou a quantidade que poderá investir ou não. Caso queira saber o valor que ficarão as prestações para você e se isso se encaixará no seu bolso, pode fazer uma simulação grátis on-line.

Em geral, pode-se dizer que um processo rápido de aprovação levará em torno de 15 dias, enquanto que um processo mais longo — com maior exigência de documentos — poderá demorar três meses para uma resposta definitiva.

Finalização e aprovação do crédito

A primeira parte do financiamento para comprar sua casa própria já foi feita entre você e o banco, e após toda a etapa de comprovação de dados, a instituição financeira solicitará uma avaliação do imóvel — feita por uma empresa especializada, engenheiro ou arquiteto —, para confirmar o seu valor real de mercado.

Tendo a confirmação do valor, as prestações são estabelecidas e passa-se para a etapa da feitura do contrato, que deve ser assinado pelo vendedor e pelo comprador. A partir disso, o banco pagará o vendedor e a dívida fica sendo entre você e o banco.

Opções de financiamento

Através do FGTS (Sistema SFH)

O financiamento através do FGTS faz parte do sistema SFH (Sistema Financeiro de Habitação), que é um mecanismo do governo federal voltado para a aquisição da casa própria, até porque existem imóveis à venda e em todo o país. Esse modelo de financiamento possui algumas características, benefícios e restrições: o valor financiado não pode ultrapassar R$ 585 mil e somente pessoas físicas podem financiar; há exceções nos estados do Rio de Janeiro, Minas Gerais, São Paulo e Distrito Federal, onde o valor é de R$ 750 mil.

O comprador pode financiar em qualquer banco, com um prazo de até 35 anos para pagar (420 meses) e taxas de juros não superiores a 12% ao ano. O FGTS pode ser usado para quitar prestações, dar de entrada e reduzir valor das parcelas, diminuindo a sua dívida.

SBPE

A sigla para Sistema Brasileiro de Poupança e Empréstimos. Esse modelo é utilizado quando os valores estão fora das características e limites expostos no SFH, e a diferença é que os juros podem chegar a mais de 12% ao ano.

Construtoras

A parte boa de financiar diretamente com as construtoras é a flexibilidade nos valores e juros, porém, os riscos são maiores e você deve ficar bem atento. Lembrando que, quando se financia um bem, ele ainda não é seu, ele pertence à financiadora (seja ela uma agência bancária ou construtora) e, por consequência, o bem fica hipotecado. Portanto, se a instituição falir, o seu imóvel pode ser perdido.

Se puder, consulte um advogado imobiliário para verificar os itens contidos em seu contrato antes de assiná-lo e nunca deixe de analisar se o financiamento imobiliário é, de fato, a melhor opção para adquirir um imóvel.

Aproveite que agora você descobriu dicas práticas para adquirir um imóvel e poste este artigo em suas redes sociais!

Como fazer seu dinheiro trabalhar para você?

Aprender a investir melhor seu dinheiro e tomar boas decisões de investimentos, de acordo com seu planejamento pessoal, é a única maneira de fazer seu dinheiro trabalhar para você e de conquistar todos os seus objetivos financeiros, como adquirir um imóvel.

Quer acelerar a conquista da sua liberdade financeira? Então clique aqui e saiba como fazer o seu dinheiro trabalhar para você agora!

 

*O Chaves na Mão é um portal de classificados online de imóveis e veículos. Fundado em 2013 e sediado na cidade de Curitiba (PR), o site tem como objetivo ajudar as pessoas a encontrar seu novo imóvel ou veículo com mais facilidade no dia a dia.

Autor

Autor Convidado

Este artigo foi produzido por um autor parceiro e/ou convidado do Blog e Valor, com a finalidade de compartilhar suas opiniões sobre temas diversos e contribuir com o site.

shadow

Posts relacionados

Comentários

  1. Jorge    

    A melhor coisa é fugir do de imóveis até os preços estarem mais condizentes com a realidade.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *