Deseja alocar os ativos da sua carteira da maneira mais adequada às suas necessidades ao realizar um investimento de médio prazo? Então é preciso estar ciente da importância de definir seus objetivos financeiros.

Afinal, os investimentos de médio prazo podem atender a diversos objetivos. Alguns exemplos incluem viagens, compras de equipamentos, casamento, realização de curso superior ou especialização etc.

Quer saber como investir com foco em metas assim? Acompanhe a leitura e confira 4 sugestões de investimentos de médio prazo!

O que são investimentos de médio prazo?

Em geral, diz-se que um investimento de médio prazo é aquele que gira em torno de dois a cinco anos. Assim, representa suas metas que não são para prazos tão curtos, mas também não podem esperar tanto tempo.

Na prática, significa que é possível investir em alternativas com baixa liquidez, desde que o prazo seja condizente com o que você busca. Contudo, é preciso ponderar que, antes de fazer seus investimentos de médio prazo, você deve ter uma reserva para o curto prazo.

Estamos falando da reserva de emergência. É interessante que ela corresponda a, no mínimo, seis meses de seu custo de vida. Assim, o montante pode protegê-lo de circunstâncias inesperadas sem comprometer os planos de médio prazo.

O que considerar ao investir?

Você já compreendeu a importância de priorizar a reserva de emergência antes de começar a investir voltando-se ao médio prazo. Agora, é hora de pensar em outros aspectos que amparam a tomada de decisão.

Além dos objetivos financeiros, eles incluem:

  • perfil de investidor (conservador, moderado ou arrojado), que indica a compatibilidade do investidor com determinadas alternativas de investimento;
  • organização financeira, que ajuda a compreender o quanto de dinheiro poderá ser direcionado ao investimento de médio prazo;
  • retorno esperado, delimitado à realidade de cada investimento. Ele considera o total necessário para realizar os objetivos e o valor inicial investido;
  • conhecimento sobre o investimento;
  • diversificação, visando a proteger o portfólio e a alinhar as metas de médio prazo às demais, que podem ser de curto ou longo prazo.

Após conhecer esses pontos, será mais simples entender quais alternativas se enquadram melhor no seu caso.

4 Investimentos de médio prazo

Para decidir que investimento de médio prazo faz sentido na sua carteira, conheça 4 possibilidades!

1.      Alternativas da plataforma do Tesouro Direto

Os títulos do Tesouro Direto são considerados bastante seguros. Por isso, podem ser alternativas interessantes aos investidores conservadores que buscam investir em médio prazo. Podem atender também a todos os perfis.

Nesse sentido, uma das opções disponíveis é o Tesouro Selic. Conforme o nome indica, a remuneração desse título está associada à taxa Selic. Ela é a taxa básica de juros da economia brasileira.

Investir no Tesouro Selic traz uma vantagem em relação à liquidez. É possível realizar resgates antes do vencimento sem perdas. Assim, pode ser atrativo para planos que você não sabe ao certo quando serão realizados.

Além desse título, há a opção de investir em Tesouro IPCA+. O principal benefício nesse caso é ter garantidos sempre resultados acima da inflação. Isso porque ele remunera de acordo com o IPCA acrescido, ainda, de uma taxa de juros fixa.

No caso dos Títulos IPCA, é preciso ficar atento ao prazo. Alguns são de longo prazo e não é recomendado resgatar antes do vencimento, por ter risco de perda. Assim, você deve ter cuidado para investir nos títulos que sejam condizentes com o médio prazo.

2.      LCI e LCA

A LCI (Letra de Crédito Imobiliário) e a LCA (Letra de Crédito do Agronegócio) são aplicações de emissão bancária. Geralmente, elas têm prazo médio e baixa liquidez.

Com isso, as duas podem contemplar investidores de médio prazo que não precisam de tanta liquidez. Os títulos tendem a ter rentabilidades superiores ao CDI (Certificado de Depósito Interbancário).

Como as aplicações de renda fixa no geral, elas ofertam previsibilidade ao investidor. Portanto, você saberá a taxa contratada (no caso de prefixados) ou a lógica de rentabilidade (no caso de pós-fixados e híbridos).

Uma vantagem da LCI e da LCA em relação a outras aplicações de renda fixa é que ambas são isentas de Imposto de Renda. Assim, podem oferecer maior rentabilidade proporcional, já que não há incidência de imposto.

3.      CDB

Os CDBs (Certificado de Depósito Bancário) são mais opções que estão disponíveis para o médio prazo. Eles são títulos privados emitidos por bancos e costumam ter prazos entre 30 dias e 5 anos. Por isso, há alternativas para objetivos variados.

Além disso, assim como o Tesouro Selic, alguns CDBs contam com liquidez diária. Mas, em geral — e de acordo com o binômio liquidez x rentabilidade — é possível encontrar títulos com potenciais de retorno maiores ao abrir mão da liquidez.

4.      Fundos de Investimento

Os Fundos de Investimento são modalidades de investimento coletivas. Dessa forma, reúnem diversos investidores em torno de um objetivo em comum. Eles são geridos por profissionais, que são responsáveis por aportar o dinheiro, segundo a estratégia estabelecida.

Existem diferentes tipos de fundos, como os Fundos Multimercado, Fundos Imobiliários, os Fundos de Renda Fixa etc. Em relação a objetivos de médio prazo, é adequado buscar por alternativas que não apresentem tanta volatilidade.

Por exemplo, os Fundos Multimercado de baixa e média volatilidade e alguns Fundos de Renda Fixa. Mesmo sendo considerados de menor risco do que fundos de renda variável, é preciso ficar atento ao perfil. Afinal, eles não são protegidos pelo FGC (Fundo Garantidor de Crédito).

Os Fundos Multimercado alocam recursos em diferentes classes e modalidades de investimento. Eles podem ter níveis de risco variados. Logo, é interessante procurar pelos mais seguros para médio prazo.

Já os Fundos de Renda Fixa são voltados para essa classe. Assim, dão preferência por alocar o maior percentual em CDBs, LCIs, LCAs, títulos do Tesouro Nacional, entre outros. A depender das escolhas feitas pelo gestor, eles podem ser bons veículos para o médio prazo.

Não se esqueça: antes de realizar qualquer investimento de médio prazo, é relevante analisar as condições específicas do investimento. Conheça cada um a fundo e avalie se está adequado ao seu perfil de investidor e aos seus objetivos!

Depois de conhecer algumas opções para o médio prazo, que tal saber mais sobre alternativas de resgate rápido? Confira nosso artigo sobre investimentos de curto prazo!

Autor

Equipe André Bona

O Portal André Bona é um site de educação financeira independente, que tem como missão auxiliar pessoas e famílias a melhor compreender o mercado financeiro e seus produtos. Assine nossa newsletter!

Posts relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *