De um lado, algumas pessoas acreditam que Investir na bolsa de valores é como um jogo de azar no qual o investidor pode perder muito dinheiro. De outro, investidores acreditam que essa é uma oportunidade de enriquecer utilizando apenas uma estratégia e um computador.

O que difere as duas categorias de pessoas é que a segunda sabe qual é o momento certo para aplicar o dinheiro. Confira o artigo de hoje e veja dicas que vão te ajudar a identificar o timing certo para tomar as decisões corretas e fazer seu dinheiro render.

Esteja no azul

Parece bastante óbvia essa afirmação, certo? No entanto, muitas vezes ela não é respeitada por investidores afobados — eles geralmente têm a esperança de que a bolsa será uma salvação financeira.

Não seja como o cidadão que possui dívidas e insiste, todo mês, em comprar ações em vez de arcar com os seus compromissos. Afinal, dessa maneira não é possível fazer os juros trabalharem a seu favor. O ideal para começar a planejar seus investimentos na bolsa é estar com uma boa situação financeira, sem dívidas.

Possua metas já estabelecidas

Qual é sua intenção ao investir na bolsa? Você quer dinheiro para uma viagem na Europa? Juntar capital para comprar uma casa maior? Um carro novo? Saiba onde você, investidor, quer chegar precisamente.

Isso não vai lhe ajudar somente a estar mais motivado para a conquista do seu objetivo, mas também vai auxiliar na realização de um bom planejamento financeiro — pois tudo fica mais fácil ao saber como e em quanto tempo você pretende conquistar o montante desejado. Isso pode lhe ajudar até mesmo a escolher a melhor estratégia para alcançar seus objetivos.

Tenha um valor definido

Saiba quanto você vai aplicar inicialmente na compra de ações, pois se possuir um valor muito baixo para investir, os custos que envolvem a bolsa podem corroer toda a sua rentabilidade. O ideal é que você tenha um valor mínimo de R$ 1.000 para investimento – lembre-se: quanto maior o valor, melhores podem ser os seus resultados.

Possua sempre uma reserva

É sempre importante ter uma reserva financeira. Se por algum motivo a sua aposta não der muito certo e você perder dinheiro – o que dificilmente acontecerá se você estiver bem preparado, essa reserva servirá para cobrir qualquer emergência.

Caso o seu carro dê algum problema, por exemplo, você precisará gastar um pouco mais do que o esperado e poderá usar a reserva que você havia reservado para investir na bolsa de valores todo mês. O ideal mesmo é possuir na poupança ou em um investimento, como o tesouro direto, o equivalente a seis meses de salário para estar sempre preparado para os imprevistos.

Conheça os custos e a tributação

Existem custos relacionados à bolsa de valores com os quais, infelizmente, você vai ter que arcar. O primeiro deles é o custo de corretagem – pois, para comprar e vender ações você precisa estar vinculado a uma corretora.

Existe a corretagem fixa e a variável. A primeira é mais vantajosa, a não ser que você vá trabalhar com valores muito pequenos, o que dificilmente ocorre.  O segundo tipo de custo é cobrado por várias corretoras e funciona como uma mensalidade cobrada para guardar as suas ações.

Por último, saiba que existe uma tributação por suas ações caso você venda mais de R$ 20 mil no mês, que é o Imposto de Renda. O IR cobrado é de 15% sobre o valor ganho com cada ação.

Se, por exemplo, você compra uma ação por R$ 1.000 e vende por R$ 2.000, você deve pagar R$ 150 de Imposto de Renda, que é calculado sobre o lucro. Conhecendo esses valores, você estará preparado e não será pego de surpresa.

Esteja preparado tecnicamente e psicologicamente

Essa é a etapa mais importante para quem quer começar a investir na bolsa de valores. O primeiro conselho é não confiar naquele seu amigo de mesa de bar que diz que investir na “empresa X” é furada. Estude o mercado, as estratégias e como prever a variação das ações. Existem diversas ferramentas com as quais você pode fazer isso.

Tenha uma carteira de ações bem diversificada para evitar riscos e não sair perdendo. Não se assuste de maneira alguma com a oscilação do mercado de ações – isso é normal e é assim que se faz dinheiro.

Para evitar alguns riscos, a recomendação é a mais óbvia: estude muito sobre a bolsa e sobre o mercado financeiro. Veja vídeos, leia livros específicos, artigos de economistas e especialistas, busque uma boa corretora, entenda o cenário econômico atual.

Se você não tem muito tempo para escolher as ações, é recomendável recorrer aos ETFs, que lhe darão uma boa exposição ao mercado de renda variável. Em resumo, não deixe que flutuações abalem seu psicológico: entre sem medo, esteja sempre atento e com os estudos financeiros em dia.

A hora de investir na bolsa de valores é agora

As perspectivas atuais são de queda na taxa de juros, o que tende a fazer com que as aplicações de renda fixa apresentem menor rendimento, favorecendo a valorização da bolsa. Sabe o que isso significa, meu caro investidor? Que o bom momento para começar seus investimentos na bolsa é imediatamente!

Como os lucros são feitos em cima da valorização de suas ações, um bom momento para apostar é quando a bolsa apresenta baixas, como em situações de crise econômica e política – que está ocorrendo atualmente no país. Podemos fazer uma comparação com a crise do ano de 2008, durante a qual a bolsa apresentou uma grande queda.

No mesmo ano, uma alta se iniciou e se prolongou até 2010, representando uma valorização de 68% do índice Bovespa. Isso significa que quem aplicou seu dinheiro com prudência nesse período tem boas chances de ter ganho uma quantia considerável de dinheiro.

Agora que você já sabe qual é o momento exato para investir na bolsa de valores, parta para a ação! São em momentos de instabilidade econômica que os bons “ganhadores de dinheiro” se revelam fortes, mostrando que sabem aproveitar as situações adversas para colocarem-se em um patamar mais elevado.

Se você deseja saber mais dicas sobre o mercado de ações e investimentos na bolsa de valores, entre em contato conosco! Ficaremos muito felizes em ajudá-lo!

 

Um grande abraço,

André Bona

Autor

André Bona

André Bona possui mais de 10 anos de experiência no mercado financeiro, tendo auxiliado milhares de investidores a investir melhor seus recursos e é o criador do Blog de Valor - site de educação financeira independente.

shadow

Posts relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *