Em primeiro momento, o mercado na bolsa de valores pode assustar qualquer iniciante. Isso porque, muitas vezes, os noticiários e a televisão mostram uma infinidade de siglas, índices e estratégias complexas.

Analisando inicialmente, o mercado de ações parece ser direcionado somente aos grandes especialistas da área, certo? Mas não é bem assim. Você, mesmo sem grande experiência em investimentos, pode começar a colher os primeiros frutos na bolsa de valores e analisar ações por conta própria.

A grande sacada para analisar ações e operar na bolsa, principalmente para investidores iniciantes, é conhecer profundamente a saúde financeira da empresa na qual investirá o seu capital e, principalmente, obter as projeções reais de lucro. Esteja certo de que, aliando estes primeiros conhecimentos às dicas que você verá a seguir, será possível analisar ações e aplicar nos investimentos certos.

Então, pronto para descobrir como analisar empresas para investir na bolsa e lucrar no mercado de ações? Acompanhe o artigo de hoje e saiba como fazer aportes a partir de boas análises dos papéis negociados no mercado brasileiro.

Como escolher ações na bolsa? Descubra agora!

Seja para iniciantes no mercado ou investidores experientes, é interessante salientar que existem alguns tipos de análise de ações, os quais são comumente utilizados pelos  profissionais da área. Dois deles são: análise do tipo técnica e análise fundamentalista.

Na análise técnica – muito utilizada por traders, por exemplo – o foco é  o valor momentâneo da ação, bem como o volume de negociações. Através da análise de gráficos, o investidor define quando comprar ou vender ações. Nesta modalidade não são avaliados outros fatores, como o histórico da empresa, pois presume-se que o valor de cada ação e o volume negociado já consideram tais características.

Já a análise fundamentalista, consumida por grandes e renomados investidores, é baseada na construção de valor a longo prazo, considerando não somente o volume de negociação e valor das ações, como também a análise de demonstrativos financeiros, situação macroeconômica, gestão e outros atributos que caracterizam a solidez da ação.

Agora que você já conhece teoricamente as modalidades de análise, veja outras dicas de como estudar ações de forma simples e direta e, assim, escolher as melhores opções em rendimentos excepcionais.

1.   Acompanhamento de demonstrativos financeiros

Acompanhar a saúde financeira da empresa na qual você investirá o seu dinheiro deve ser uma prioridade. Afinal, não vale apostar em ações sem ao menos conhecer os demonstrativos financeiros da companhia, correto?

Ao se deparar com ações de valores muito baixos, há dois cenários que devem ser considerados: ou a empresa é nova e ainda não possui a confiança do mercado financeiro, ou oide se tratar de uma empresa de grande porte que lida com dificuldades financeiras.

Ter estes dados em mãos é de extrema importância. Você deve, portanto, avaliar as informações, acompanhar os demonstrativos financeiros, elaborar projeções e compreender como o mercado das referidas ações poderá se comportar.

Tal análise é importante para conhecer as possibilidades de lucratividade e prejuízo.

2.   Análise do histórico de compra e venda de ações da empresa

Principalmente em se tratando de iniciantes, quando o investidor ainda não possui muitas informações sobre as transações de compra e venda de ações de cada empresa, é interessante avaliar o histórico de negociações.

Saiba que empresas de um determinado nicho podem observar períodos mais positivos do que outros, seja para compra ou para venda. A flutuação das ações é demonstrada pela série histórica, que traz os períodos nos quais as negociações foram mais favoráveis aos acionistas.

3.   Avaliação e cálculo do índice preço-lucro

Ao decidir comprar ações, certamente você planeja em quanto tempo o valor investido trará retorno, não é? Saber exatamente quando ações “se pagarão” é fundamental na hora de analisar ações na bolsa de valores e montar um portfólio mais sólido.

Neste cenário, é preciso calcular e avaliar o índice preço-lucro, que nada mais é do que o tempo necessário para que o lucro obtido com as ações cubra o valor inicialmente investido.

Com um exemplo simples é possível clarear o entendimento: se você compra uma ação de R$2.000 e ela rende R$500 ao ano, o valor inicialmente aplicado será recuperado após um período de 4 anos. O ponto-chave é apostar em ações cujo valor seja recuperado no menor tempo possível, já que dinheiro parado não rende!

Mas atenção: não se esqueça que o mercado de bolsa é variável e o que se espera é apenas uma projeção, que pode ou não se concretizar.

4.   Cálculo do valor patrimonial da ação (VPA)

Um dos pontos principais dentro da análise fundamentalista, o valor patrimonial da ação é uma dos melhores indicadores para avaliação acionária.

Analisando de forma simples, é possível compreender que um VPA elevado está relacionado a uma boa lucratividade e alta em dividendos – ou seja, ações com perspectiva de crescimento. Quando o VPA é reduzido, há uma atenção sobre os riscos na compra destas ações, mesmo que os valores de cada ação sejam tentadores para o investidor.

A melhor maneira de obter o cenário real das negociações é calcular o VPA utilizando a seguinte fórmula: patrimônio líquido dividido pela quantidade de ações da empresa (ou, ainda, pelo lote de 1000 ações.

5.   Investimento em empresas com valor de mercado superior a R$ 500 milhões

Uma das premissas sobre como escolher ações na bolsa é investir o capital em empresas cujo valor de mercado ultrapasse os R$ 500 milhões.

Há uma explicação sólida para isso: quanto maior for o valor de mercado de uma companhia, menores serão as influências em âmbito social, econômico, financeiro e político. Usualmente, empresas com valores de mercado pouco atrativos estão sujeitas a um alto volume de adversidades.

Para não correr o risco, tenha este nível de valorização em mente. A saber: para conhecer o valor da empresa, basta multiplicar o valor de cada ação pela quantidade total de ações da companhia.

Estudo e prática são fundamentais

Assim como outras atividades do mercado financeiro e de investimentos, comprar e vender ações com efetividade é uma junção de estudo e prática. E isso vale tanto no mercado para iniciantes quanto no mercado para investidores experientes.

Sendo assim, além de seguir as dicas compartilhadas no artigo, é necessário manter uma regularidade nos seus aportes. Somente desta forma você conhecerá as particularidades do mercado e sua volatilidade, acertando na compra das ações ideais para o seu perfil e planos futuros.

Se você aprendeu como analisar empresas para investir na bolsa e gostou do conteúdo de hoje, compartilhe com seus amigos nas redes sociais. E se quiser aprofundar seus conhecimentos em finanças e investimentos, inscreva-se na newsletter!

 

Como fazer seu dinheiro trabalhar para você?

Aprender a investir melhor seu dinheiro e tomar boas decisões de investimentos, de acordo com seu planejamento pessoal, é a única maneira de fazer seu dinheiro trabalhar para você e de conquistar todos os seus objetivos financeiros.

Quer acelerar a conquista da sua liberdade financeira? Então clique aqui e saiba como fazer o seu dinheiro trabalhar para você agora!

Autor

Equipe André Bona

O Portal André Bona é um site de educação financeira independente, que tem como missão auxiliar pessoas e famílias a melhor compreender o mercado financeiro e seus produtos. Assine nossa newsletter!

shadow

Posts relacionados

Comentários

  1. Marcos Leonardo    

    Excelentes dicas pessoal. Eu adotei uma regra que mudou minha vida financeira, em um determinado momento eu decidi viver com 50% do que ganhava e investir a diferença, esse tipo de conteúdo gratuito é fantástico para quem está iniciando.

    Grande abraço!

    Att.

    Marcos Leonardo

  2. Carla    

    Muito bacana o seu artigo. Super completo e detalhado. Vou continuar acompanhando o blog.. Parabéns!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *