O número de brasileiros que investem em criptomoedas superou, em duas vezes, a quantidade de investidores cadastrados na bolsa brasileira B3 (antiga BM&FBovespa), de acordo com informações divulgadas recentemente pelo O Estado de S.Paulo. Segundo as corretoras de criptomoedas do país, já são 1,4 milhão de pessoas investindo nas moedas digitais – como o Bitcoin – no país.

A quantidade de investidores que decidiu realizar aportes em criptomoedas no Brasil, segundo a reportagem, é mais que o dobro do número de CPFs cadastrados na B3 – cerca de 642 mil no mês de janeiro, de acordo com dados da própria bolsa. O número de investidores em criptomoedas também se aproxima do total de investidores do programa Tesouro Direto, que se mantém no patamar dos 1,8 milhões de pessoas.

Expansão e volatilidade

A alta volatilidade das moedas digitais parece não ter afugentado os investidores. Segundo o jornal, o volume movimentado pelas criptomoedas no Brasil em 2017 foi de R$ 8,2 bilhões.

Não é possível prever, no entanto, se a procura pelas criptomoedas será tão intensa também em 2018 – principalmente por conta da intensa volatilidade no preço de moedas como o Bitcoin. Em dezembro de 2017 a moeda digital mais famosa do mundo chegou próximo ao patamar dos US$ 20 mil, mas recuou para baixo de US$ 6,5 mil no início do mês passado.

O mesmo ocorreu com outras criptomoedas, como a LiteCoin e o Ethereum, que têm se recuperado nas últimas semanas após um forte tombo no início de fevereiro. Apesar da brusca queda no valor das moedas, o interesse dos investidores em relação às criptomoedas parece se manter – ao menos por enquanto.

Acessibilidade

Um dos principais fatores que podem ajudar a explicar a grande quantidade de investidores de criptomoedas no Brasil é a acessibilidade do investimento, já que é possível adquirir apenas uma fração das moedas digitais, em aportes de apenas dois dígitos.

Esta facilidade permitiu que curiosos ou entusiastas com pouco dinheiro para investir nas moedas digitais realizassem suas aplicações apostando em uma valorização das criptomoedas – como aquela vista no final do ano passado.

Perfil dos investidores em criptomoedas

De acordo com dados das corretoras de moedas digitais, o grupo de investidores do Bitcoin no Brasil é formado – em sua maioria – por homens solteiros, que estão em uma faixa de idade entre 25 e 35 anos. Curiosamente, este é o perfil de um dos principais grupos de investidores da bolsa brasileira.

E você, faz parte do grupo de brasileiros que investem em criptomoedas? Qual sua opinião sobre este mercado? Deixe seu comentário!

 

Quer aprender mais sobre investimentos e finanças? Então conheça o treinamento online “O Investimento Perfeito”Clique aqui e saiba mais sobre o curso!

 

Autor

Luana Neves

Jornalista e redatora. Atuou como editora de Economia no Jornal DG e Revista Quem é Quem - Economia, assinou por três anos coluna diária de Economia e já produziu conteúdo para diversos portais de notícias do Brasil.

shadow

Posts relacionados

Comentários

  1. Camila    

    Muito bem elaborado o artigo o mercado de cryptomoedas ainda tem muito a crescer obrigado pelas dicas valiosas!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *