Você sabe o que é rating? Se você investe no mercado financeiro ou apenas acompanha notícias sobre economia e finanças, certamente já deve ter se deparado com essa palavra – mas talvez não conheça o seu significado.

O rating é uma ferramenta de classificação muito importante no âmbito do mercado financeiro e da economia. No artigo de hoje vamos explicar em detalhes o que é rating, como funciona e como é calculado o rating.

Continue a leitura para saber mais sobre esta classificação e descubra como utilizar o rating ao seu favor.

O que é rating

A palavra rating vem da expressão “credit rating agency” – que, em tradução livre, significa agência de classificação de risco de crédito. A função destas agências é classificar as empresas e produtos de acordo com seu risco de investimento.

O rating, portanto, é a nota que as agências de classificação de risco atribuem ao emissor – seja ele um país ou governo, uma empresa, uma instituição financeira – de acordo com a capacidade de cada emissor em honrar uma dívida. Com esta classificação, os investidores conhecem o nível real de risco dos títulos oriundos do emissor.

As agências

Na atualidade, temos três grandes agências de rating no mundo: a Standard &Poor’s (S&P), Fitch e a Moody’s. As agências são contratadas por empresas e governos que desejam ser classificados.

Cada uma dessas agências possuem uma denominação de risco própria. Quanto mais alta a probabilidade de não pagamento, pior é a nota de classificação oferecida – ou rating.

Em geral, o rating é dado de acordo com as letras, que vão de A a D. Na escala da Standard &Poor’s e na Fitch, por exemplo, as notas mais altas são AAA e a mais baixa é D. Já na escala da Moody’s, a nota mais alta é a Aaa, e a mais baixa, C.

As agências recorrem a diversas técnicas para essa análise: técnicas quantitativas – como balanço patrimonial, ativo, passivo, fluxo de caixa, projeções estatísticas, técnicas de análise de elementos qualitativos – como ambiente externo, setor da empresa, legislação, questões jurídicas, percepções sobre o emissor, entre outras.

Grau especulativo e grau de investimento

Os investimentos são classificados por essas agências de risco em dois grandes grupos: o grau especulativo e o grau de investimento. Conheça a seguir cada um destes grupos.

Grau especulativo

Os graus especulativos são aqueles nos quais há grandes chances de inadimplência. Desta maneira, os investidores que optam por investir em empresas e governos com grau especulativo buscam, justamente, conseguir melhor rentabilidade com investimentos de maior risco.

Pela escala Standard &Poor’s e Fitch, a nota mais baixa é a D – que é alto grau de inadimplência. As notas atribuídas são C, CC, CCC ou B-, B, B+, BB, BB+.  Na escala Moody’s, a nota mais baixa é a C, seguida por Ca, Caa3, Caa2, Caa1. No grau de especulação, estão B3, B2, B1, Ba3, Ba2, Ba1.

Grau de investimento

Já o grau de investimento, por outro lado, costuma representar governos e empresas que oferecem maior segurança para o investidor e menores chances de calote. Deste modo, a rentabilidade costuma ser menor, uma vez que a segurança do investimento é alta.

Na escala Standard &Poor’s e Fitch, a nota mais baixa é BBB-, BBB, BBB+, com qualidade média. Seguem-se a isso as notas altas: A-, A, A+, AA-, AA+, AAA.  Na escala Moody’s, as notas são Baa3, Baa2, Baa1, A3, A2, A1, Aa3, Aa2, Aa1, Aaa, sendo as primeiras três notas consideradas categorias medianas de investimento.

A importância do rating

O rating é uma ótima ferramenta para que se possa ter uma noção mais nítida sobre o nível de risco dos títulos de dívida de empresas e governos. Assim, essas agências acabam por auxiliar o investidor, que tem informações mais precisas para tomar decisões de investimentos.

Quem sabe o que é rating e entende como ele funciona pode sempre consultar a classificação de risco de um determinado produto de investimento, de uma empresa (para comprar ações na bolsa de valores, por exemplo) ou até mesmo de um país antes de tomar suas decisões de investimento.  Caso encontre um investimento que não possua classificação, tome ainda mais cuidado e busque se informar antes de optar ou não pelo aporte.

Agora que você sabe o que é rating e como ele funciona, fica mais fácil entender como ele pode lhe ajudar na hora de investir, não é mesmo? Para manter-se informado e ficar por dentro de conteúdos exclusivos sobre investimentos e finanças, assine nossa newsletter!

 

Quer aprender mais sobre investimentos e finanças? Então conheça o treinamento online “O Investimento Perfeito”Clique aqui e saiba mais sobre o curso!

Autor

Equipe André Bona

Nosso site é um site de educação financeira independente com a missão de auxiliar pessoas e famílias a melhor compreender o mercado financeiro e os seus produtos. Assine nossa newsletter!

shadow

Posts relacionados

Comentários

  1. LEONARDO    

    tem algum lugar que consolida os ratings das empresas brasileiras listadas na bovespa?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *