Você gostaria de ter mais dinheiro sobrando no final do ano, as contas todas em ordem e garantir seu bem estar e da sua família? Então saiba que fazer um orçamento familiar poderá lhe ajudar a alcançar esses objetivos.

Por mais importante que seja, poucos realmente tem o hábito de fazer este orçamento, o que é um problema. Realizar um orçamento lhe ajudará a entender para onde vai o dinheiro que você e outros membros da casa ganham, a fim de poder gastar melhor e administrá-lo para alcançar os objetivos financeiros.

Quer aprender mais sobre o assunto? Então leia o artigo e descubra como organizar um orçamento familiar para poder controlar melhor as finanças domésticas!

Orçamento familiar: entendendo a importância

Uma família é como uma empresa. Há pessoas diferentes, com objetivos distintos e, se os integrantes não conversarem entre si, ninguém saberá das metas de ninguém. Desse jeito, ninguém sairá do lugar.

Há diversos tipos de família e cada uma se comporta de maneira diferente em relação às finanças, mas mesmo que todos trabalhem ou apenas alguns, deve-se deixar claro o que entra, o que sai e organizar os gastos.

Dessa forma, todos estarão cientes e poderão contribuir para que as metas de guardar dinheiro sejam alcançadas.

Como organizar um orçamento doméstico

A primeira coisa que se deve fazer é anotar todos os ativos, ou seja, tudo o que entra na conta até o final do mês. Depois, analise todas as despesas e organize-as para definir o que pode ou não ser cortado.

É possível definir a entrada e saídas de rendimentos de forma separada. Isto é, cada um tabela o que ganha e o que gasta ou de forma conjunta, juntando o montante de todos os que trabalham e também as dívidas de todos.

O orçamento separado, que é aquele que cada um planeja, é o que as pessoas, no geral, mais fazem. Porém, o orçamento único, que junta tudo da família, pode ser interessante, pois assim, todos ficam sabendo dos gastos e limites de cada um.

Veja agora um passo a passo para montar e controlar os gastos domésticos na prática.

Passo 1: Anote todos os gastos

Nessa etapa, é essencial que a família inteira colabore e deixe claro todas as despesas de cada um. No início, pode ser difícil mas, com o tempo, todos saberão lidar melhor com as contas. Para facilitar, divida as despesas em fixas e variáveis, a saber:

  • despesas fixas: conta de internet, aluguel, conta de luz, despesas com transporte, seguro do carro, seguro de vida, mensalidade de academia, mensalidade de escola/faculdade e outras do mesmo tipo;
  • despesas variáveis: cinema, refeições fora de casa, viagens, passeios, lazer, despesas com salão de beleza e outras.

Dessa forma, ficará mais fácil visualizar os gastos de cada um e ver onde que se está desperdiçando mais. Além disso, será melhor para definir o que será cortado ou reduzido.

Passo 2: Elimine o máximo de despesas que puder

Ninguém gosta de abrir mão de certas mordomias e, por isso, essa parte será difícil. Primeiro, analise todas as contas que podem ser renegociadas, como as de internet e celular. Se valer a pena, podem ser trocadas por outras com valores mais acessíveis.

Adquirir hábitos mais conscientes podem ajudar a reduzir as contas de luz, água e transporte. Avalie se vale a pena trocar o carro por bicicleta ou transporte público.

O mais difícil vai ser fazer alguns integrantes abrirem mão de costumes que possuem há muito tempo, como almoçar fora todo final de semana, pedir delivery toda hora ou ir no cinema todo sábado. Famílias com esses hábitos podem se sentir insatisfeitos em um primeiro momento, mas não é nada que o tempo não consiga resolver.

Passo 3: Defina as metas de curto, médio e longo prazo

Sem definição de objetivos, ninguém vai querer colaborar com você. Por isso, estabelecer essas metas em conjunto fará com que todos sintam-se incentivados a contribuir com um bem maior.

Mas, o que seria uma meta de curto, médio e longo prazo?

Uma meta de curto prazo, normalmente, seria para ser realizada em até 2 anos. Poderia ser, por exemplo, colocar piscina em casa, fazer uma viagem em família, comprar um carro novo ou investir em um curso profissionalizante para algum membro da família.

Metas de médio prazo são para serem realizadas, em geral, entre 3 e 5 anos. Poderia envolver viagens em família para o exterior, trocar de carro, voltar aos estudos, etc.

Metas de longo prazo são para serem concluídas, normalmente, entre 6 e 10 anos ou mais. Envolve, por exemplo, fazer intercâmbio por 1 ano, comprar um imóvel, quitar financiamentos, entre tantos outros.

Por isso, sente com todos da família e planejem as metas. Todos com certeza ajudarão a conquistá-las.

Passo 4: Faça todos se lembrarem do orçamento

Após fazer o orçamento, definir corte de gastos e definir as metas, não se pode pegar esse planejamento e guardá-lo em uma gaveta. Sempre lembre os outros membros da família sobre o orçamento, mostre os gastos, converse sobre o assunto e analise o que foi planejado sempre.

Se não conversarem sobre o assunto, é muito provável que caia no esquecimento. Por isso, deixe tudo sempre bem detalhado, seja em papel, planilha ou aplicativo e de tempos em tempos, converse com a família sobre isso. Mostre progressos, onde estão errando e onde pode ser reduzido os gastos.

O que fazer para ajudar seu orçamento doméstico

Por mais que seja uma forma de controlar o dinheiro, algumas atitudes podem ser tomadas para deixar esse processo mais tranquilo para todos os integrantes, além aprimorar o objetivo de guardar mais dinheiro. Veja algumas:

  • defina pequenas metas, sejam elas mensais, trimestrais ou semestrais. Quando alcançadas, defina um prêmio para a família, como comer em uma pizzaria ou viajar para a praia no final de semana;
  • para não perder os momentos de diversão, seja criativo! Pense em como ter momentos de lazer sem gastar muito, como fazer um passeio ou um piquenique, por exemplo;
  • sempre busque por gastos fúteis que podem ser cortados;
  • aprenda sobre finanças e investimentos e pense em como investir o dinheiro que sobrou das economias. Guardar na poupança não fará o dinheiro render;
  • sempre que puder, reserve uma parte para fazer algo especial com a família, seja uma viagem curta ou passar o dia em um hotel fazenda, por exemplo;
  • evite ter muitos cartões de crédito na família. Quando não é bem usado, pode se tornar um enorme problema;
  • busque sempre encontrar outras formas de ganhar dinheiro. Incentive os outros membros da família a encontrarem outras fontes de renda

Fazer um orçamento familiar demanda tempo e muito trabalho, mas é necessário para garantir o bem estar financeiro da família e fazer todos trabalharem em prol de um bem maior. Com todos em sintonia, as chances de baterem todas as metas são grandes. Por isso, reúna sua família e faça já um orçamento doméstico!

E você? Já sabia da importância de um orçamento para a família? ]Aproveite então e assine nossa newsletter para continuar aprendendo mais sobre finanças!

Como fazer seu dinheiro trabalhar para você?

Aprender a investir melhor seu dinheiro e tomar boas decisões de investimentos, de acordo com seu planejamento pessoal, é a única maneira de fazer seu dinheiro trabalhar para você e de conquistar todos os seus objetivos financeiros.

Quer acelerar a conquista da sua liberdade financeira? Então clique aqui e saiba como fazer o seu dinheiro trabalhar para você agora!

Autor

Equipe André Bona

Nosso site é um site de educação financeira independente com a missão de auxiliar pessoas e famílias a melhor compreender o mercado financeiro e os seus produtos. Assine nossa newsletter!

shadow

Posts relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *