Muitos sequer param para pensar na diferença entre economia e finanças. Inclusive, acaba sendo normal utilizar esses termos de forma intercambiável, como se fossem sinônimos.

O que as pessoas não imaginam é que são dois campos de estudos diferentes. E, para quem se interessa por esses assuntos, é preciso ter em mente que um profissional de economia atua em uma área distinta do profissional de finanças.

Reserve alguns minutos, entenda a diferença entre economia e finanças e veja o que os profissionais dessas áreas fazem!

O que é economia?

Economia é uma ciência social que consiste, dentre outras atribuições, na análise das variáveis relativas à produção, distribuição e consumo de bens e serviços.

Ou seja, esse ramo é extremamente abrangente e procura ver o “todo”. Seja a situação econômica de um país ou região ou, ainda, como uma empresa ou setor está operando.

Também conhecida como Ciências Econômicas, é da área de humanas, assim como Sociologia, Direito, Ciências Políticas, dentre outras. Por mais que se diferencie desses cursos e envolva o aprendizado de diversos tipos de cálculos, a Economia é uma ciência que procura entender como a sociedade e a economia se relacionam.

Esse ramo estuda aspectos como: gestão de bens e serviços, produção e consumo, fatores que afetam o consumo, etc. Tem como objetivo também entender como as economias funcionam e interagem entre si, para melhorar a situação econômica de algum setor ou local.

Ela também pode ser dividida em duas áreas predominantes de estudo: a microeconomia e a macroeconomia. Entenda um pouco sobre cada uma delas abaixo.

Microeconomia

A microeconomia é uma área de estudo econômico que visa entender o desempenho e o comportamento de cada um dos setores, de forma individual. Aqui, são analisadas as famílias, empresas e os consumidores, por exemplo.

Assim, ela consegue avaliar as decisões que cada um desses grupos tomam em relação à utilização e consumo de recursos, bens e serviços, dentre outros. A microeconomia estuda aspectos como:

  • como uma família escolhe entre o que é considerado produto de consumo essencial ou supérfluo e qual deles comprar;
  • como uma loja atua para aumentar suas vendas sem aumentar seus gastos e ser competitiva no seu ramo.

Macroeconomia

A macroeconomia, diferente da primeira, estuda o comportamento da economia de forma geral. Dessa maneira, leva em consideração, por exemplo, a economia de um país e seus aspectos primordiais.

Nesse campo de estudo incluem-se diversas variáveis importantes, como: desigualdade social, Produto Interno Bruto (PIB), políticas econômicas, globalização, política monetária, dentre outros. A macroeconomia estudaria temas como:

  • como o aumento da importação de um produto afeta o consumo das famílias;
  • quanto de prejuízo o PIB sofreria com o aumento do trabalho informal;
  • a variação do poder de compra em relação à inflação acumulada;
  • etc.

O que mais a economia estuda?

Além da macroeconomia e microeconomia, a Economia se aproxima muito das outras ciências sociais.

Isso porque ela costuma analisar teorias, correntes de pensamento de diversos economistas, diferentes tipos de planos econômicos, políticas públicas, questões sociais, impactos de decisões políticas na economia, impacto das medidas econômicas na sociedade, etc.

O que é finanças?

Finanças, na verdade, é apenas um ramo da economia, que tem foco na análise de preços, juros, fluxo de caixa, atuação do mercado financeiro, dentre outros.

Ou seja, enquanto a economia é uma ciência completa e faz um exame generalizado de um sistema, a área de finanças é bem específica em termos de estudo. Essa última busca analisar as empresas, de modo a compreender como as companhias e os investidores avaliam e precificam questões como risco e retorno.

As finanças têm como objetivo também controlar a gestão de ativos e investimentos, estudando o dinheiro e os negócios. Uma das suas essências é verificar como as finanças são controladas e de que maneira o dinheiro é gerenciado quando se faz empréstimos, por exemplo.

Resumidamente, as finanças são um pequeno conjunto dentro da economia e considera aspectos como: riscos, dinheiro disponível, tempo, empréstimos, fundos de reserva, dentre outros.

Inclusive, questões como: finanças pessoais ou familiares, utilização do cartão de crédito, pagamento de impostos, utilização do dinheiro em investimentos e controle das despesas domésticas estão relacionadas a esse ramo.

O que o profissional de cada uma dessas áreas pode fazer?

Os dois profissionais acabam atuando em campos distintos. Um economista, por exemplo, pode trabalhar em instituições financeiras, no setor público, prestar consultorias ou atuar em qualquer local que seja necessário um profissional para fazer previsões de crescimento, analisar taxas de juros, inflação, consequências de crises, dentre outras.

Por outro lado, o profissional de finanças pode trabalhar no mercado financeiro, podendo atuar também em empresas, como gestor empresarial, por exemplo.

E a contabilidade, no que ela se diferencia dessas duas áreas?

Outro ramo de estudo que pode ser confundido com a economia e a finanças é a contabilidade. Para não restar dúvidas, entenda-a como uma área que tem como objetivo preparar e organizar registros contábeis. Um profissional desse ramo trabalha também interpretando demonstrativos e balanços financeiros.

Esse ramo busca avaliar as atividades financeiras de uma companhia e verifica aspectos como: salários, entrada e saída de caixa, transações financeiras, etc.

Ela pode ser dividida em diversas categorias, como: contabilidade geral, contabilidade tributária, entre outras. Os serviços de um contador também podem ser utilizados em análises econômicas de alguns setores.

Em questões de formação superior, a contabilidade também tem um curso próprio, que geralmente é chamado de Ciências Contábeis, que se constitui em uma ciência do grupo das humanas. O profissional desse ramo costuma atuar em escritórios de contabilidade, prestando serviços para pessoas físicas e jurídicas.

Como essas três áreas podem atuar conjuntamente?

Embora sejam diferentes, elas podem atuar em conjunto. Por exemplo, um profissional de finanças que atua em uma empresa precisa das informações geradas pelos profissionais de contabilidade para poder fazer a gestão financeira.

Além disso, elas se diferenciam muito em outros aspectos. Um profissional de finanças toma decisões com base em informações recebidas do escritório de contabilidade, atuando em conjunto com essa última área.

Um economista pode fazer a análise das decisões tomadas pelo profissional de finanças. E, por conseguinte, a contabilidade faz os registros reais dos impactos da decisão, demonstrando os resultados em forma de números e balanços financeiros.

Além disso, a economia pode se basear mais em hipóteses, modelos e projeções, ao passo que os profissionais de finanças e a contabilidade se baseiam fundamentalmente em dados reais.

Saber a diferença entre economia e finanças não só ajuda a compreender o campo de atuação de cada um dos profissionais desses ramos, mas também esclarece certas dúvidas em relação ao tema.

Se você gostou deste artigo, continue estudando um pouco mais sobre temas relacionados a economia! Veja agora as diferenças entre inflação e deflação!

Autor

Equipe André Bona

O Portal André Bona é um site de educação financeira independente, que tem como missão auxiliar pessoas e famílias a melhor compreender o mercado financeiro e seus produtos. Assine nossa newsletter!

Posts relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *