Os títulos de renda fixa são produtos bastante escolhidos no mercado por investidores individuais para composição da carteira de investimentos. E é cada vez maior a variedade de ativos à disposição do pequeno investidor.

Entre os títulos de renda fixa disponíveis a qualquer investidor no país está o Recibo de Depósito Bancário – ou RDB. Apesar de muito semelhante ao Certificado de Depósito Bancário (CDB), o RDB é um pouco menos conhecido do público geral – o que não significa que não seja uma boa opção para aportes.

Acompanhe o artigo de hoje e descubra o que é o Recibo de Depósito Bancário e conheça suas principais características. Boa leitura!

Recibo de Depósito Bancário: o que é?

O Recibo de Depósito Bancário (RDB) é um investimento de renda fixa no qual os investidores emprestam seu dinheiro às instituições bancárias e recebem, ao final de um determinado período, o valor investido acrescido de uma rentabilidade.

É por meio de investimentos como o RDB que os bancos conseguem captar recursos para oferecer crédito aos seus clientes mesmo em tempos de escassez de crédito no mercado – assim como acontece com o CDB, por exemplo.

Assim como o CDB, a rentabilidade dos RDBs é composta pelos juros pagos pelo banco ao investidor no vencimento do investimento. O valor da aplicação inicial, assim como a remuneração oferecida e os prazos variam de acordo com o produto contratado e com a instituição que oferece o título ao investidor.

Quais as vantagens do RDB?

O RDB oferece uma série de vantagens aos investidores – sobretudo àqueles que possuem menor apetite ao risco. Conheça a seguir algumas delas:

Risco reduzido

A primeira vantagem oferecida é a garantia do Fundo Garantidor de Crédito (FGC), que garante um valor global de até R$ 1 milhão – em um limite de até R$ 250 mil por CPF por instituição –  aos investidores que aplicam em RDBs no caso de falência da instituição financeira que emitiu os títulos.

Por conta dessa garantia oferecida pelo FGC, o investimento em RDB pode ser considerado – assim como é o caso dos CDBs – um investimento de baixíssimo risco.

Rendimento superior à poupança

Além disso, a rentabilidade do RDB costuma ser superior ao rendimento da poupança – o que pode ser bastante interessante para investidores com aversão ao risco e também para quem deseja compor um portfólio de investimentos mais diversificado.

Valor inicial mais baixo

Assim como outros produtos de renda fixa, o RDB possui um valor mínimo para aplicação que gira em torno de R$ 1.000,00. Isso faz com que o Recibo de Depósito Bancário esteja ao alcance de pequenos investidores individuais que possuem um capital limitado para aportes.

RDB x CDB: quais as diferenças?

Você já deve ter percebido que o Recibo de Depósito Bancário é bastante semelhante ao Certificado de Depósito Bancário, não é mesmo? Porém, existem diferenças importantes entre eles, as quais você deve conhecer.

Conheça algumas destas disparidades entre RDB e CDB:

Negociação e resgate

A principal diferença entre estes dois produtos de renda fixa é quanto à negociação. Enquanto os CDBs podem ser negociados pelo investidor antes da data de vencimento do certificado, os RDBs são inegociáveis e intransferíveis, sendo possível receber os valores investidos somente no vencimento do investimento.

Por isso, é preciso que o investidor saiba exatamente quais são seus objetivos em relação ao investimento antes de escolher o melhor produto para aplicação e antes de realizar seus aportes. Conhecer as vantagens e desvantagens de cada opção e compará-las aos seus objetivos enquanto investidor é fundamental para tomar decisões mais assertivas e sólidas.

Emissão dos títulos

Enquanto os CDBs podem ser emitidos por bancos múltiplos, bancos comerciais, de desenvolvimento e bancos de investimento, os RDBs podem ser emitidos por estas mesmas instituições e também por cooperativas e sociedades de crédito e financiamento.

Há tributação no RDB?

Sim, o  Imposto de Renda sobre o Recibo de Depósito Bancário segue uma tabela fixa, que varia de acordo com o resgate. A tributação dos RDBs, portanto, fica assim:

– Para resgates em até 180 dias: 22,5% de IR sobre a rentabilidade

– Para resgates entre 180 e 360 dias: 20,0% de IR sobre a rentabilidade

– Para resgates entre 360 e 720 dias: 17,5% de IR sobre a rentabilidade

– Para resgates acima de 720 dias: 15,0% de IR sobre a rentabilidade

Vale a pena investir em RDB?

A decisão de realizar ou não aportes em RDBs é particular de cada investidor.  É importante, no entanto, realizar esta escolha com base no seu perfil de investidor e nos seus objetivos financeiros.

São os planos de curto, médio e longo prazo do investidor que ditarão a composição da sua carteira de investimentos e, por isso, estes planos não devem ser ignorados na hora de realizar seus investimentos.

Agora que você já conhece um pouco mais sobre o Recibo de Depósito Bancário, que tal ler nosso artigo sobre Fundos de Renda Fixa x CDBs?

 

Quer aprender mais sobre investimentos e finanças? Então conheça o treinamento online “O Investimento Perfeito”Clique aqui e saiba mais sobre o curso!

Autor

Luana Neves

Jornalista e redatora. Atuou como editora de Economia no Jornal DG e Revista Quem é Quem - Economia, assinou por três anos coluna diária de Economia e já produziu conteúdo para diversos portais de notícias do Brasil.

shadow

Posts relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *